Ajude seu bebê no desafio de aprender a andar

22 de maio de 2017

Antes que você perceba seu pequeno vai começar a dar os primeiros passos para explorar com mais liberdade a casa e o mundo que o rodeia. Esse marco no desenvolvimento requer o seu apoio, a sua atenção e os seus cuidados. Também será preciso tomar algumas precauções para que esse desafio seja enfrentado de forma segura.

Em geral, a maioria dos bebês dão os primeiros passos entre os 9 e os 12 meses. Mas se a experiência com seu bebê fugir dessa previsão você não precisa se preocupar. Muitas crianças não dão seus primeiros passos até os 16 ou 17 meses. No entanto, se você acha que seu bebê está muito atrasado consulte um médico de confiança.

Um ótimo apoio que você pode usar para ajudar seu filho a desenvolver as funções motoras é o cercado, já que nele estão reunidos todos os elementos para estimular a criança até ela conseguir dar os primeiros passos. A maioria dos cercados para bebês possui uma estrutura forte, um espaço livre, um solo agradável para os pés, e confortável para qualquer tipo de movimento, além de telas ou redes suficientemente fortes para que a criança possa se agarrar nelas e conquistar todas as alturas do cercado, até juntar forças suficientes para ficar em pé.

O processo de aprender a andar passa por diferentes etapas. A maioria dos bebês começa engatinhando, apesar de também haver casos de bebês que pulam essa fase e passam diretamente para a fase de ficar em pé e, em seguida, andar.

passo

O desafio de aprender a andar se conquista passo a passo

Se seu bebê já é um especialista em engatinhar é possível que você o veja tentar realizar atividades mais difíceis como subir escadas engatinhando, por exemplo. Há duas coisas principais a se ressaltar no momento de analisar os prós e os contras de quando a criança começa a subir e descer escadas. O ponto positivo é que isso pode ajudar a criança a assimilar conceitos como altura e profundidade e a desenvolver o equilíbrio. No entanto, como medida de segurança, ressaltamos a importância de instalar proteções nos extremos das escadas para que a criança não possa tentar subir ou descer sem você ao lado para ajudar e auxiliar.

Geralmente os bebês mais inquietos, por assim dizer, tentam ficar em pé e dar alguns passos se segurando nos móveis. Se você perceber que seu bebê se sente cada vez mais seguro, logo ele vai descobrir como se deslocar em um cômodo se apoiando nos móveis para manter o equilíbrio.

Aprender a se locomover assim é a última habilidade física que seu bebê precisa dominar antes de começar a andar sem ajuda. Incentive e apoie seu bebê para que ele se locomova ao redor dos móveis e, em seguida, para que ele ande pela casa segurando nas suas mãos.

Sugestões para acompanhar seu filho nesse processo

passo

Ensine-o a dobrar os joelhos para se sentar. Se ele conseguir alcançar o brinquedo favorito se locomovendo com meios próprios ao redor da casa, não se esqueça de parabenizá-lo.

Também é bom você saber que a maioria dos especialistas desaconselha o uso do andador porque esse instrumento pode atrasar a função motora dos bebês, pois apesar da criança se locomover e movimentar as pernas como se estivesse andando, ela não aprende a sustentar o próprio corpo nem a exercitar o equilíbrio, ambas habilidades necessárias para poder dar os primeiros passos. Em todo caso, o andador poderia ser usado por um curto espeço de tempo. Mas, considerando o preço e o investimento que esse objeto representa e comparando com o pouco tempo de utilização que possui, é um investimento que não vale muito a pena.

Sobretudo porque o uso do andador faz com que seu pequeno pule etapas enriquecedoras ao desenvolvimento. No entanto, se mesmo assim você o utiliza, deve representar mais um momento de diversão, que um apoio para ajudar seu bebê a andar. Por isso é preciso limitar o tempo de uso.

À medida que seu bebê for adquirindo mobilidade e segurança, certifique-se que sua casa é um lugar seguro para ele. Quando um bebê se locomove segurando nos móveis ou já anda, ele pode tentar fazer muitas travessuras. Assim, é melhor estar preparada para isso. Além disso, como seu bebê usa as mãos, as pernas e os pés para se locomover, é muito mais provável que ele fique sujo, que a pele fique ressecada devido ao atrito adicional produzido ao caminhar, e que sofra pequenos cortes mais facilmente.

Imagem principal cortesia de © wikiHow.com