Por que as mães se sentem mais estressadas que os pais ao cuidar dos filhos

· 30 de maio de 2017

Sem dúvidas, há mães mais estressadas que outras. Mas alguns estudos mostram que nenhuma delas é menos estressadas que os papais. Aparentemente, os pais não sofrem tanto quanto as mães quando precisam cuidar dos filhos. Resultados científicos indicam que as mulheres tendem a ser mais infelizes frente às responsabilidades em relação aos filhos. Por que isso acontece? Você concorda com isso?

Não é uma novidade que a criação implica uma série de compromissos exaustivos. A rotina, as obrigações e a falta de tempo para si podem ser fatores estressantes. No entanto, isso parece ser muito mais complicado para as mulheres que para os homens. Particularmente, acreditamos que esse dado tem a ver com a necessidade de buscar a perfeição e o fato das mulheres não receberem ajuda.

O que acontece quando duas pessoas que possuem as mesmas obrigações não estão em sintonia? O mais provável é que alguém vá ficar com a maior parte do trabalho. Perceber que você não recebe ajuda e que acaba fazendo tudo sozinha já é por si só bem estressante.

Além disso, em relação à criação, a maioria dos pais não cuida dos filhos durante muito tempo. Portanto, sendo algo passageiro, não chega a ser um estresse. Eles sabem que quando a mamãe chegar vão passar a posição de comando, mas o contrário não é verdade. Quando a mamãe está ocupada com as crianças, a chegada do papai não muda em nada a situação.

estressadas

O que os dados dizem sobre mães estressadas?

A universidade estadunidense de Cornell realizou uma pesquisa por meio do Centro de Cidade de Minnesota. O estudo começou por analisar a quantidade de tempo que tanto homens como mulheres dedicam aos cuidados com os filhos. Em consequência, foi suficiente ter consciência das diferenças absurdas, para se ter uma ideia sobre o assunto.

Segundo os resultados da pesquisa, as mulheres não somente dedicam mais tempo, como administram um processo exaustivo. Se apenas se tratasse de uma tarefa simples e plenamente satisfatória, o tempo gasto na realização das atividades não deveria afetar os nossos nervos. No entanto, nesse caso, foi observado que as mulheres ficam evidentemente estressadas e menos felizes que os homens.

Os pesquisadores analisaram pelo menos 12 mil casos. Foram avaliados aspectos como o sentimento dos pais de acordo com o tempo, ao longo de três anos de pesquisa. Esses aspectos refletiam o uso do tempo e o tipo de atividades que mães e pais realizavam. O ambiente também foi levado em consideração.

Devido ao acúmulo da maioria das responsabilidades, o tempo de curtir momentos relaxantes com as crianças era menor para as mulheres. No entanto, o tempo para elas mesmas era ainda menor. Os pais tendem a conservar seus momentos de ócio com mais frequência que as mães.

As mães se divertem menos com os filhos

Vamos imaginar a seguinte situação: um pai chega em casa depois de um exaustivo dia de trabalho; enquanto a mãe prepara o jantar e as crianças assistem televisão, o que o pai faz? Ele tem a opção de descansar e se sentar um pouco com seus filhos.

No entanto, a mãe não tem tempo para isso. Ela vai continuar cozinhando, depois servindo e depois arrumando a cozinha. Para isso, ela vai ter acumulado o estresse com as tarefas domésticas, com os deveres das crianças e talvez com o seu próprio trabalho também. Infelizmente, ela não teve tempo para aproveitar com os pequenos e, talvez, nem sequer com seu companheiro.

Esse tipo de situação pode se repetir em diferentes níveis. Quando um pai precisa cuidar do filho, é provável que ele o leve ao cinema, saia tomar um sorvete ou simplesmente brinque no quintal. No entanto, a mãe não pode agir dessa maneira. Ela continua trabalhando para que os outros possam ter uma vida feliz.

estressadas

“Quando as mães estão com os filhos, geralmente estão sozinhas. Os papais quando estão com as crianças, provavelmente tem outros adultos, que podem oferecer respaldo, por perto. Isso ajuda a entender porque os papais são menos estressados com seus filhos”

-Ann Meier. Socióloga –

Também é comum que as próprias mães peçam para o companheiro dar uma volta com as crianças no parque enquanto ela lava a roupa ou arruma a casa.  Como sempre, nos sacrificando pela família, acabamos ficando infelizes com algo que, na verdade, nos dá muito prazer.

Ser mãe não nos deixa infelizes, é a maneira com que lidamos com a maternidade que faz isso. As exigências em relação a nós mesmas e a necessidade de que não falte nada aos nossos filhos são aspectos que acabam nos tirando o tempo para curtir momentos relaxantes e divertidos com os pequenos.