Como a assertividade pode te ajudar durante o pós-parto?

18 Janeiro, 2020
Às vezes, temos dificuldade para estabelecer limites e pedir ajuda, por medo de parecer desagradáveis. No entanto, o pós-parto é um momento muito vulnerável no qual você precisa cuidar de si mesma.

A chegada de um recém-nascido envolve enormes mudanças físicas e psicológicas para a mãe. Nesse período tão vulnerável, é especialmente necessário conseguir estabelecer limites e pedir ajuda. Portanto, embora a assertividade sempre seja importante, durante o pós-parto, pode se tornar a sua melhor aliada.

Como ser humano, como mulher e, agora, também como mãe, você tem todo o direito de expressar o que sente e deseja. Entretanto, muitas vezes temos dificuldade para fazer isso por medo de parecer desagradáveis ou egoístas.

No entanto, o nascimento do seu bebê e os meses seguintes serão um desafio, em muitos níveis. Por isso, você deve tomar a decisão de colocar as suas necessidades acima das opiniões dos outros.

O que é a assertividade?

A assertividade é uma habilidade social que consiste em ser capaz de defender os próprios direitos sem passar por cima dos direitos das outras pessoas. Isso envolve uma ampla variedade de aspectos que levam a uma comunicação harmoniosa e equilibrada:

  • Comunicar-se de forma franca, clara e direta.
  • Expressar os seus desejos, opiniões e sentimentos.
a assertividade durante o pós-parto

  • Defender os seus direitos e necessidades.
  • Saber como fazer pedidos e aceitar ou recusar os que forem recebidos.
  • Aceitar elogios e lidar com as críticas.
  • Fazer tudo o que foi dito acima, sem medo de ser julgada ou rejeitada.
  • Não violar os direitos das outras pessoas nem desrespeitá-las com a nossa comunicação.

Isso nem sempre é fácil de colocar em prática. Um bom nível de autoestima facilita a comunicação assertiva. Mas, mesmo assim, existe uma certa pressão social, especialmente dirigida às mulheres, para que elas sejam cordiais, gentis e prestativas.

Muitas vezes, os comportamentos assertivos não são bem recebidos, sendo até mesmo rotulados como egoísmo. No entanto, é necessário nos lembrar de que o nosso primeiro compromisso é com nós mesmos e que não é apropriado ignorar as nossas necessidades para agradar as outras pessoas.

A assertividade durante o pós-parto

A chegada de um filho representa um período de grande estresse e vulnerabilidade para as mulheres. A fadiga e as alterações hormonais se juntam ao medo de enfrentar essa nova fase. É um momento muito exigente, tanto fisicamente quanto mentalmente, mas, às vezes, as pessoas ao redor não ajudam a aliviar esta carga.

É muito comum que parentes, amigos e familiares próximos não estejam cientes do estado e das necessidades da nova mãe. O entusiasmo por causa do novo membro da família e a vontade de colaborar podem levá-los a ter comportamentos invasivos em relação à mulher.

Nesse momento, o que ela provavelmente precisa é de descanso e intimidade com a sua família nuclear. Assim, as visitas constantes em casa ou no hospital, além de diversas pessoas dando opiniões e conselhos, podem ser algo opressor.

No entanto, para não parecer indelicada, a mãe geralmente se sente constrangida para expressar o que realmente quer e precisa. Da mesma forma, ela também pode sentir vergonha de pedir ajuda com o bebê, o que implica em um enorme desgaste ao lidar com tudo praticamente sozinha. 

a assertividade durante o pós-parto

Como aplicar a assertividade durante o pós-parto?

  • No hospital (e em casa) você deve receber as visitas que quiser e durante o tempo que você decidir. Não tenha medo de recusar, adiar ou pedir que vão embora. Você precisa respeitar as suas necessidades e as pessoas precisam entender isso.
  • Deixe bem claro que você precisa descansar. Se você hesitar, lembre-se de que essas pessoas não vão se levantar à meia-noite para cuidar do seu bebê.
  • Você não precisa fazer tudo sozinha. Pedir ajuda não faz com que você seja uma pessoa fraca, e dizer ao seu parceiro para cumprir com as suas obrigações não faz de você uma pessoa autoritária.
  • Lembre-se de que você é a mãe do seu bebê e, portanto, é você quem decide como cuidar dele. É você quem escolhe entre amamentar ou dar mamadeira, entre dormir juntos ou separados, se prefere uma mochila ergonômica ou um carrinho. Não aceite ordens alheias, não tenha medo de permanecer firme se alguém estiver se mostrando muito invasivo. Se você precisar de conselhos, peça ou então procure um médico.

Em resumo, se o nascimento do seu bebê estiver se aproximando, prepare-se para ocupar o seu lugar sem medo. Esqueça as opiniões e convenções sociais, porque agora você e o seu filho são o mais importante. Grave na sua mente quais são os seus direitos e não tenha medo de defendê-los de forma assertiva sempre que necessário. Não deixe nada manchar esse belo momento.