Cáries dentárias: o que são e como evitar?

20 de novembro de 2019
A alimentação saudável e uma boa higiene aprendida desde a infância podem prevenir muitas infecções e complicações mais graves das cáries dentárias.

As cáries dentárias são um problema de saúde muito comum, tanto em crianças quanto em adultos. E não são algo banal: causam dor, são uma fonte de infecção e podem destruir o dente. Vejamos, então, o que são e como podemos evitá-las, principalmente nas crianças.

O que são as cáries dentárias e como elas ocorrem?

As cáries dentárias são uma infecção nos dentes causada por microrganismos da flora bacteriana normal da nossa boca, como o Streptococcus mutans, por exemplo. As bactérias que podem causar cáries são chamadas de bactérias cariogênicas.

Essas bactérias usam os açúcares presentes na nossa boca para produzir ácidos que, por sua vez, corroem o esmalte e, aos poucos, também as camadas mais profundas dos dentes. Esse processo é chamado de desmineralização e é a origem das cáries dentárias.

No entanto, o nosso corpo também possui mecanismos de defesa. A saliva tem como uma de suas funções remineralizar o esmalte dos dentes e prevenir o aparecimento de cáries. Isso também é feito pelo flúor presente na superfície dos dentes.

Visitar ao dentista

Primeiramente, as cáries aparecem como manchas brancas e áreas opacas nos dentes. Então, as manchas ficam mais escuras e surgem pequenos buracos, cada vez mais profundos, que destroem o dente.

Embora inicialmente sejam geralmente assintomáticas, com o tempo as cáries dentárias causam dor, são uma fonte de infecção e podem destruir o dente, bem como as partes próximas a ele. Por isso, é fundamental tratá-las a tempo, para evitar complicações mais graves.

O mais frequente é que as cáries surjam nos molares, pois são os dentes que apresentam mais irregularidades, embora também possam aparecer em outros dentes. Um caso especial é o da cárie de mamadeira, que danifica especialmente os dentes incisivos superiores.

Como podem ser evitadas?

Para evitar as cáries dentárias, é importante agir em vários níveis:

  • Alimentação:
    • Se possível, o consumo de alimentos açucarados deve ser reduzido, bem como o de bebidas açucaradas e de alimentos pegajosos que aderem aos dentes.
    • Os açúcares ingeridos fora do horário das refeições principais trazem maior risco de causar cáries, pois geralmente demoramos mais tempo para escovar os dentes e eliminá-los.
    • Devemos evitar que os bebês durmam com a mamadeira ou o peito na boca durante períodos muito longos, pois nesse caso os açúcares do leite ficam em contato com os dentes por muito tempo.
  • Higiene:
    • É fundamental manter uma boa higiene dental desde a infância. Os dentes devem ser escovados pelo menos duas vezes por dia. No caso das crianças menores, sob a supervisão de um adulto.
    • O flúor ajuda a fortalecer os dentes e a prevenir as cáries. Ele está presente em alguns cremes dentais e também em antissépticos bucais.
    • Também é importante cuidar da higiene dental das mães desde a gravidez. Além disso, comportamentos de higiene inadequados devem ser evitados, tais como colocar a chupeta do bebê na boca, lamber a colher dele, soprar a comida… Dessa forma, evitamos transmitir bactérias.
caries dentárias

As cáries dentárias são um problema de saúde muito comum, tanto em crianças quanto em adultos.

  • Consultar o dentista:
    • As consultas frequentes ao dentista desde a infância também ajudam a prevenir as cáries e, principalmente, a tratar de forma precoce aquelas que começarem a aparecer. Assim, evita-se a propagação das infecções e danos mais graves aos dentes.

Conclusão

Como já dissemos, as cáries dentárias são um problema de saúde muito comum na população em geral, desde a infância. Por isso, nunca devemos nos esquecer de examinar frequentemente tanto a nossa boca quanto a das crianças.

Entre as causas para o aparecimento das cáries dentárias, existem fatores que não podemos evitar. No entanto, a alimentação saudável e uma boa higiene aprendida desde a infância podem prevenir muitas infecções e complicações mais graves.

  • Soria-Hernández, M. A., Molina, N., & Rodríguez, R. (2008). Hábitos de higiene bucal y su influencia sobre la frecuencia de caries dental. Acta pediátrica de México29(1), 21-24.
  • Hidalgo Gato-Fuentes, I., Duque de Estrada Riverón, J., & Pérez Quiñones, J. A. (2008). La caries dental: Algunos de los factores relacionados con su formación en niños. Revista Cubana de Estomatología45(1), 0-0.
  • Pérez Quiñones, J. A., Duque de Estrada Riverón, J., & Hidalgo Gato-Fuentes, I. (2007). Asociación del Estreptococos mutans y lactobacilos con la caries dental en niños. Revista Cubana de Estomatología44(4), 0-0.
  • Molina Escribano, Antonia, López Garví, Antonio J., López Ibáñez, Catalina, & Sáez Cuesta, Úrsula. (2008). Caries del biberón. Revista Clínica de Medicina de Familia2(4), 184-185