Causas do aborto tardio

O aborto tardio ocorre quando o embrião ou feto sem vida não é expulso espontaneamente. As causas são variadas e aqui vamos contar quais são as mais relevantes.
Causas do aborto tardio

Última atualização: 01 janeiro, 2022

Cerca de 20% das gestações terminam em aborto espontâneo antes das 20 semanas de gestação. Dentro destes, alguns podem ser abortos tardios, que é a retenção do embrião ou feto sem vida na cavidade uterina.

Nesse tipo de aborto não há expulsão espontânea do saco gestacional como normalmente ocorre. Este pode ficar dias ou semanas dentro do útero, sem que o corpo o detecte.

Em geral, a mãe não apresenta sangramento ou outros sintomas característicos. E, caso ocorram, geralmente são muito leves. Saiba mais neste artigo.

Por que ocorre um aborto tardio

Existem várias causas para o aborto tardio, que geralmente ocorre no primeiro trimestre da gravidez. A seguir, mencionaremos as de maior destaque.

Alterações genéticas

Vários estudos confirmam que os distúrbios cromossômicos são a principal causa de abortos espontâneos no início da gravidez.

Esses inconvenientes são gerados no momento da concepção e podem ser duplicações, triplicações ou alterações na forma dos cromossomos. Qualquer um desses casos condiciona a viabilidade da gravidez.

Herança genética dos cromossomos.

Problemas anatômicos da mãe

Se houver alterações anatômicas no útero, como miomas, presença de duas cavidades (útero bicorno) ou insuficiência cervical, estas podem levar ao aborto espontâneo.

Doenças endócrinas

Problemas na glândula tireoide, ovários policísticos , insuficiência do corpo lúteo ou baixos níveis de progesterona costumam causar problemas para manter o bebê vivo.

Anormalidades hematológicas

Alterações na coagulação do sangue, principalmente trombofilias, são uma causa importante de aborto tardio.

Problemas imunológicos

Quando existem doenças autoimunes, como o lúpus, os anticorpos da mãe podem atacar o feto e provocar o aborto.

Infecções maternas

Algumas infecções maternas podem causar alterações no feto e causar aborto. Por exemplo, toxoplasmose, infecção por micoplasma e citomegalovírus ou listeriose.

Outras causas de aborto tardio

Certas doenças sistêmicas e crônicas da mãe, como câncer, diabetes, hipertensão e problemas cardíacos, podem causar aborto espontâneo, assim como traumas graves, consumo de medicamentos e abuso de drogas.

Por outro lado, o impedimento de expulsão do saco gestacional do útero pode responder às seguintes condições:

Sintomas do aborto tardio

Esse aborto se caracteriza por ser assintomático. Ou seja, não há sinais de alerta, não costuma haver sangramento nem a expulsão de fluidos vaginais.

Da mesma forma, não há dor abdominal ou contrações uterinas, sendo necessária a realização de exames diagnósticos específicos para detectá-la. Dentre eles, destacam-se:

  • Ultrassonografia abdominal: é visualizado um embrião com ausência de batimento cardíaco ou a presença de saco gestacional vazio.
  • Exame de sangue: os níveis de gonadotrofina coriônica humana começam a diminuir abruptamente.

Essa retenção pode trazer complicações graves para a mãe, como infecção intra-abdominal ou septicemia, coagulopatia consumptiva ou degeneração hidrópica das vilosidades. Se não for tratada a tempo, essas condições podem ser fatais.

O que se deve fazer sobre um aborto tardio?

A realização de um controle pré-natal rigoroso é muito importante para detectar o aborto tardio, pois a avaliação do especialista através da ultrassonografia é a única forma de diagnosticá-lo.

Caso seja detectada essa condição, o médico procederá à curetagem uterina. É uma cirurgia que consiste em aspirar ou retirar os restos do embrião e outras estruturas da gravidez.

Dependendo do caso, o especialista pode prescrever certos medicamentos (como o misoprostol) para dilatar o colo e promover as contrações uterinas. Mesmo assim, o comum é fazer uma cirurgia para diminuir o risco de infecções maternas.

Mãe de luto após filho perdido.

Sobre o aborto tardio, podemos dizer…

O aborto é sempre um duro golpe para a mãe e para a família que anseia pela chegada do bebê. No entanto, isso não significa que outra gravidez não possa ocorrer novamente mais tarde.

O ideal é tentar identificar a causa do aborto tardio e seguir ao pé da letra as recomendações dos especialistas nas consultas pré-concepcionais.

This might interest you...
Aborto de repetição
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Aborto de repetição

Quando a futura mãe sofre abortos espontâneos antes de chegar à vigésima semana de gestação, fala-se em aborto de repetição.



  • Hernández, E (2011). Aborto diferido como origen de una enfermedad trofoblástica persistente.  Progresos de Obstetricia y Ginecología Vol. 54. Núm. 11. páginas 588-591 (Noviembre 2011).
  • Ministerio de salud pública de Ecuador. (2013). Diagnóstico y tratamiento del aborto espontáneo, incompleto, diferido y recurrente. Guía de Práctica Clínica (GPC). Quito-2013: 1ª edición. Dirección Nacional de Normalización.
  • Organización mundial de la salud. (2019). Tratamiento médico del aborto. Recuperado de: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/328166/9789243550404-spa.pdf?ua=1