5 dicas para ensinar as crianças a serem constantes

Para que as crianças aprendam a ser constantes, algumas das dicas têm a ver com o estabelecimento de metas claras e alcançáveis. Os adultos também devem ser capazes de se comprometer com sua parte.
5 dicas para ensinar as crianças a serem constantes

Última atualização: 20 Junho, 2021

Quando pensamos em sucesso, talvez apenas visualizemos o momento do resultado final. Porém, se pensarmos nos detalhes, uma conquista são os pequenos esforços de cada dia. Assim, é fundamental ensinar as crianças a serem constantes, pois isso não só permitirá que alcancem seus objetivos e se dediquem em suas atividades ou interesses, mas também tem a ver com ordem e, claro, sua autoestima. Conseguir algo com o nosso próprio esforço nos deixa muito satisfeitos.

Por que é importante ensinar as crianças a serem constantes?

A constância é a base para alcançar os objetivos. As crianças podem gostar de tirar um 10 em línguas, mas isso aconteceu porque todos os dias elas se sentaram para estudar um pouco.

Além disso, a constância permite que os pequenos tenham uma ordem e um certo controle sobre suas coisas e, portanto, também tenham uma certa certeza e maior segurança sobre o que vai acontecer. Isso é algo que ajuda muito as crianças a manter a calma.

Por outro lado, o desenvolvimento da constância também anda de mãos dadas com a paciência, com aprender a esperar, reconhecendo que as coisas demoram e que nem todas as satisfações são imediatas.

Sem dúvida, esforço, perseverança e responsabilidade serão fundamentais para o desenvolvimento acadêmico de meninos e meninas, além de moldar as competências exigidas em todas as áreas da vida.

Pode interessar a você: O que a natureza ensina ao seu filho

Dicas para ensinar as crianças a serem constantes

 

Aprendendo a ser constantes.

A constância é um desafio para todas as pessoas. Afinal, quantas vezes já aconteceu com você de começar a frequentar a academia e acabar abandonando depois de algumas semanas? A mesma coisa acontece com as crianças e, dependendo da idade, é ainda mais desafiador. Portanto, algumas das dicas para trabalhar a constância em crianças podem ser as seguintes.

1- Criar um espaço de conforto, sem distrações

A constância tem a ver com muitas coisas, e uma delas é a atenção. Se tentarmos estabelecer um hábito, mas o tempo todo as crianças estiverem “sob controle” por uma miríade de distrações muito mais tentadoras, será difícil para elas atingir o objetivo proposto.

Portanto, é importante criar as condições para que os pequenos consigam se concentrar e focar na tarefa. Nesse sentido, dependendo da idade, e principalmente no início, os elementos distrativos podem ser removidos. Por exemplo, se você quer que seu filho se acostume a fazer uma tarefa, então é conveniente arrumar a mesa, retirar os brinquedos e contar com um ambiente de estudo.

2- Estabelecer metas claras e alcançáveis

Para que as crianças sejam constantes, a motivação também é necessária: elas devem compreender o benefício obtido ao realizar determinado comportamento, mas aqui o benefício não deve ser entendido como uma recompensa. Por exemplo, se quiser que o seu filho se lembre de levar o casaco quando sair, você deve ajudá-lo a visualizar que assim ele evitará sentir frio e ficar doente depois.

Por sua vez, a motivação também tem a ver com o que é alcançável. Por isso, é sempre necessário considerar em que momento evolutivo a criança está e propor metas de acordo com sua idade, evitando tornar-se pais excessivamente exigentes.

Se você propõe algo muito difícil ou muito fácil, além de desmotivar seu filhos, estará indo contra as habilidades dele e também não estará respeitando o seu tempo pessoal. Você precisa definir metas que sejam justas e alcançáveis.

3- Ouvir a voz da criança e dar espaço para a participação

Quer se trate de algo negociável (como escolher a atividade esportiva que se pretende fazer) ou não negociável (como escovar os dentes todos os dias), é sempre importante envolver o pequeno nas decisões. Assim, o caminho progressivo para a autonomia pode fazer parte e amparar para que a criança exercite a liberdade de escolha.

Além disso, facilita o caminho da constância, uma vez que é “traçado” por ela mesma. Por exemplo, ao levar isso em consideração, você pode descobrir obstáculos ou vantagens que estavam escondidos: ao escovar os dentes, seu filho pode indicar que acha mais fácil fazer isso em cima de um banquinho porque assim alcança melhor a pia. Dessa forma, aquele hábito que você deseja instalar será mais fácil de alcançar.

4- Incentivar a disciplina para ensinar as crianças a serem constantes

O desenvolvimento de constância também exige disciplina. Ou seja, manter uma certa ordem e organização. Desse modo, evita-se sempre chegar na última hora, cansados ou apáticos.

Por exemplo, se uma das tarefas da criança é manter seu quarto arrumado, é importante ensiná-la a guardar os brinquedos assim que terminar de usar, a dobrar ou colocar no cesto ao trocar de roupa etc. Assim, ao cair da noite, após um longo dia de jogos e estudos, ela não terá que arrumar. A disciplina também é acompanhada por uma certa rotina: estabelecer horários para o descanso, os jogos, as visitas e as refeições.

5- Começar e terminar

A constância também tem a ver com realizar bem uma tarefa e fazê-la do início ao fim. A constância requer dar o melhor de si mesmo. Por outro lado, dependendo da idade da criança, sua atenção nessa tarefa pode durar mais ou menos tempo. Portanto, ao detectar a perda de interesse, é importante você ajudá-la a se concentrar novamente.

Mãe ajudando seu filho com problemas de concentração para estudar.

O papel dos adultos na constância das crianças

Para o desenvolvimento da constância, dependendo da idade, as crianças precisam mais ou menos do acompanhamento dos adultos. Portanto, é importante saber que também será necessário se comprometer durante o aprendizado. Ou seja, se ficar combinado com a criança que em determinado horário vamos ajudá-la a fazer a lição de casa ou que naquele dia a levaremos para patinar, então devemos tentar cumprir o acordo.

Por outro lado, também se deve evitar interromper quando a criança estiver concentrada e imersa na atividade. Assim, a paciência também deve ser cultivada por parte dos adultos. No exercício da perseverança, os pequenos resolverão as coisas à sua maneira, no seu tempo. Você tem que estar ciente disso e deixá-los seguir seu próprio ritmo.

Por último, como adultos, precisamos saber que constância não é rigidez. Devemos ser capazes de acompanhar o que acontece com as crianças e não colocar a ordem ou a tarefa acima das emoções ou do que estão sentindo. Em certos momentos, a flexibilidade é necessária e transmite uma mensagem a eles: às vezes, é importante parar para se cuidar.

Por exemplo, uma criança que teve um dia ruim na escola porque brigou com seus colegas de classe ou que está preocupada com seu animal de estimação doente, pode precisar abrir uma “exceção” e faltar ao jogo de futebol.

É necessário avaliar o processo

Para ensinar as crianças a serem constantes, tanto elas quanto os adultos precisam ter em mente a importância do passo a passo e não apenas de focar no resultado final ou na conquista. Muitas vezes, haverá algumas tentativas ou falhas, mas o importante é que o esforço não seja desperdiçado.

Os jovens precisam ser estimulados a continuar para que não queiram mudar de jogo ou atividade na primeira dificuldade que surgir. Ensinar a superar os percalços, aprender com eles e imaginar como contornar um obstáculo também são habilidades que as crianças aprendem para serem constantes.

Por fim, a constância também se nutre do reconhecimento, portanto, é importante mostrar à criança que nos sentimos à vontade com seu comportamento e o valorizamos.

Pode interessar a você...
Como ensinar as crianças a aceitar um “não”
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Como ensinar as crianças a aceitar um “não”

Ensinar os filhos a aceitar um “não” vai prepará-los para a vida. O conceito chave na hora de saber aceitar um “não” é a tolerância à frustração.