5 sinais de que uma criança está infeliz

O desconforto físico ou as dificuldades de descanso que persistem ao longo do tempo podem ser uma indicação de que seu filho está infeliz. Descubra mais.
5 sinais de que uma criança está infeliz

Última atualização: 04 Novembro, 2021

Alcançar a felicidade é mais simples do que parece. Embora na maioria das vezes pensemos que devemos demonstrar isso por meio de comportamentos exagerados, não precisa ser o caso. Na verdade, esse sentimento pode assumir várias formas e cada um o vivencia à sua maneira: para alguns é sinônimo de tranquilidade, enquanto para outros implica euforia. E o que acontece quando uma criança está infeliz?

Quando uma pessoa não está muito bem, os sinais revelados são um pouco mais claros. Se você acha que seu filho está infeliz, verifique os seguintes sinais.

Como você pode saber se seu filho está infeliz?

Para saber como está seu filho, o principal é observar seu comportamento e tentar detectar qualquer mudança em seu estado normal.

Aqui estão alguns dos sinais que você deve levar em consideração ao analisar seu comportamento.

1- Já não se diverte mais com o que gostava de fazer

Embora seja verdade que os interesses das crianças variam ao longo da vida, é importante notar o humor com que elas realizam certas atividades diárias. Uma mudança na maneira como lidam com a situação, como apatia ou indiferença, pode indicar que algo está acontecendo com elas.

Ninguém conhece seu filho ou sua filha melhor do que você, então confie em seus instintos maternais.

2- Não tem vontade de brincar

Especialmente no caso de crianças pequenas, a brincadeira é seu principal meio de expressão e comunicação, mesmo quando precisam desenvolver experiências desagradáveis.

criança nene apática apatia desinteresse anedonia tristeza saúde emocional criança

Uma criança que perde o interesse em brincar, mesmo que sozinha, deve sempre despertar o alarme.

3- Tem problemas de insônia e se sente doente com frequência

Além das causas orgânicas, as dificuldades para dormir (insônia) podem surgir quando a criança está com um problema emocional. O mesmo vale para quando ela mostra perda de interesse pela comida, não gosta de tudo o que come, reclama de dores de cabeça com frequência ou mostra outros sinais de desconforto físico.

4- Mostra-se irritada e reclama continuamente

Todos nós podemos ter nossos altos e baixos emocionais de vez em quando, mas esses momentos devem nos alertar se a criança os apresentar com frequência ou se seus episódios de raiva, irritação ou angústia forem muito marcantes.

Quando uma criança se sente infeliz, geralmente fica zangada com o mundo e critica tudo o que gira ao seu redor.

5- Não sorri mais e não fica feliz com nada

Principalmente quando o ambiente é saudável e a criança tem um bom suporte, ela fica feliz, ri e se diverte em muitos momentos.

Em geral, os pequenos não percebem muito bem certas dificuldades do dia a dia e por isso esbanjam alegria por onde passam. Por outro lado, quando se sentem infelizes, essa situação é drasticamente revertida e eles se tornam solitários, egocêntricos e param de sorrir.



Criança infeliz: o que fazer?

Em primeiro lugar, o mais importante é estender a mão e tentar conversar com ele em um clima de confiança e empatia. A criança pode não querer contar o problema imediatamente, mas ao ficar ciente da sua preocupação, ela poderá fazer isso quando se sentir pronta.

Gerenciar as emoções também é um aprendizado importante para os pais. Porque muita ênfase é colocada no conhecimento acadêmico e pouca importância é dada à educação emocional. Por esse motivo, é importante ensinar as crianças a reconhecerem suas emoções e permitir que as expressem sem medo ou vergonha. Isso também permitirá que elas desenvolvam empatia e decifrem os sentimentos dos outros.

Outro aspecto a ser levado em consideração é a revisão do próprio comportamento, uma vez que estilos parentais autoritários, excessivamente exigentes ou perfeccionistas fazem com que os filhos se sintam pressionados e não saibam como se divertir.

Por fim, além dessas recomendações, é bom lembrar que existem casos graves que merecem intervenção profissional. Às vezes, a tristeza e o desânimo são crônicos e causam uma deterioração significativa na qualidade de vida dessa pessoa. A depressão é um exemplo disso e requer uma abordagem psicológica específica.

Menina adolescente sentada triste e sozinha.



Também é possível aprender a ser feliz!

A felicidade é um estado de espírito que é alcançado quando paramos de colocar expectativas no lugar errado e aprendemos a conectar nossos próprios desejos com nossas ações.

Por isso, o ato de ser feliz é algo que se aprende e se exercita no dia a dia, nos pequenos atos diários que normalmente não valorizamos.

Muitos pequenos confundem felicidade com sair de férias e ir para a praia, ter o relógio da moda ou tirar a melhor nota da escola. No entanto, a felicidade pode estar em uma caminhada ao ar livre com a vovó, no escorregador com um amigo ou em um lanche gostoso ao ar livre.

Também é importante notar que a felicidade não precisa ser permanente, já que a vida é um balanço de emoções e cada dia é diferente e único. É normal viver dias mais cinzentos do que outros, porque esses momentos nos ajudam a crescer, a nos melhorar e a mudar o que não gostamos ou nos faz sentir mal.

Lembre-se de que aprender a reconhecer e expressar as emoções é fundamental para a saúde de nossos filhos, e os pais têm um papel muito importante em seu ensino.

Pode interessar a você...
Estimular os hormônios da felicidade para curtir a maternidade
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Estimular os hormônios da felicidade para curtir a maternidade

Criar um filho pode ser estressante, mas você nunca deve se esquecer de curtir a maternidade. Conheça os hormônios que ajudam você a fazer isso.