Consequências da má alimentação nas crianças

· 24 de fevereiro de 2018
A alimentação das crianças é um dos aspectos mais importantes em seu desenvolvimento. Os pais são responsáveis por proporcioná-las os nutrientes necessários, além de criar neles bons hábitos alimentares.

As consequências da má alimentação nas crianças se traduzem no surgimento de patologias graves que podem ter desenlaces altamente prejudiciais. Uma dieta equilibrada compensa esses riscos e favorece uma vida saudável.

Prevenir para evitar as consequências da má alimentação nas crianças

Prevenir ao invés de remediar é a melhor escolha. Uma alimentação adequada na infância, com o fornecimento de todos os grupos alimentares, evitará consequências ruins na idade adulta. Os maus hábitos que os pais permitam que se formem na infância acompanharão a criança durante toda a sua vida.

Se a criança se opõe a comer verduras, frutas ou peixe deve-se buscar alternativas para que estes alimentos se façam presentes na alimentação dela. O metabolismo do adulto dependerá de uma dieta saudável, equilibrada e variada durante os primeiros anos de vida.

Menos desenvolvimento e concentração e mais cansaço são algumas das consequências de uma má alimentação nas crianças. Por exemplo, lhes custará muito mais estudar ou ler.

As crianças mal nutridas sofrem alterações na pele e na pigmentação do cabelo. Os problemas de vista e um desenvolvimento físico e mental inadequado são frequentes, assim como adoecer com mais facilidade.

Peso e tamanho fora dos valores normais

Por excesso ou por defeito, a má nutrição provoca sérios problemas no organismo. O peso e o tamanho fora dos valores normais são consequências de uma má alimentação no caso das crianças. Também pode causar hipertensão arterial, osteoporose, doenças renais e do coração.

Não se deve esquecer que o aumento do colesterol e certos tipos de câncer são outros dos riscos de uma má alimentação.

Falta de ferro

A falta de ferro é uma deficiência nutricional que pode desembocar em anemiaSeus efeitos sobre o desenvolvimento intelectual das crianças são irreversíveis. Encurta a capacidade de analisar e entender, e em consequência a inteligência fica limitada.

A hipotonia ou fraqueza muscular

A fraqueza muscular, conhecida como hipotonia, é uma consequência da má alimentação na crianças. Tristeza, palidez, cessar do crescimento e choro fraco são alguns dos sintomas. O baixo rendimento físico e escolar é outro risco. Nos bebês se manifesta com um atraso na chegada dos primeiros passos.

A falta de controle sobre o tipo de alimentos que ingerem é uma das causas da má alimentação nas crianças.

Obesidade desde a infância

O sobrepeso nas crianças se manifesta em um aumento rápido de peso e dificuldade para se deslocar. Pode causar desordens hormonais, diabetes, aumento do colesterol, alterações ósseas, complicações respiratórias e hepáticas.

A falta de controle sobre o tipo de alimentos que as crianças ingerem é uma das causas da má alimentação. Quando se abusa de alimentos enlatados, embutidos, refrigerantes, comidas tipo fast-food com excesso de gordura, doces e frituras, as consequências chegam rápido.

O excesso de carboidratos, gorduras e proteínas provoca sérios problemas na saúde das crianças. Por isso devem ser consumidos com muita moderação.

Proteínas, poucas ou em excesso

O consumo de proteínas, indispensáveis para a formação da fibra muscular, deve ser o adequado. Em excesso, sobrecarregam os rins e o fígado, responsáveis por rejeitar as substâncias nocivas quando o metabolismo entra em ação.

O excesso de cálcio, que se acumula diante da impossibilidade de rejeitar substâncias do corpo, provoca cálculos renais. Também pode diminuir a assimilação dos minerais.

O déficit de proteínas causa dificuldade para metabolizá-las. A caquexia causa esgotamento e atrofia dos músculos, cansaço, fraqueza e apatia.

Carboidratos, déficit ou abuso

Na infância, o excesso de carboidratos, além de obesidade, causa diabetes e doenças cardiovasculares. Aparecem as cáries, mudanças de humor, falta de concentração e hiperatividade.

No extremo oposto, o déficit de carboidratos causa fatiga e falta de apetite. Por ser a “gasolina” do corpo, seu consumo escasso diminui a energia.

Gorduras, mais ou menos

Uma dieta com gorduras em excesso causa sobrepeso. O déficit deriva em avitaminose, ou falta de vitaminas A, D, E e K, irritabilidade, falta de concentração e apatia.

A falta de vitaminas também causa problemas de tireoides, ócio, anemia, escorbuto e raquitismo. Os pais devem estar atentos às manifestações de cansaço, cãibras, dores de cabeça, adormecimento, transtornos do caráter e diminuição da capacidade mental.

As consequências de uma má alimentação nas crianças podem ser permanentes. A alimentação variada e equilibrada na infância determina uma existência saudável e prolongada. Custe o que custar, incluir na dita das crianças alimentos de todos os grupos é indispensável para que se desenvolvam da forma adequada.