O que é deglutição atípica em crianças?

Uma criança com deglutição atípica coloca a língua em uma posição inadequada ao engolir. Aprenda sobre as causas e o tratamento dessa condição.
O que é deglutição atípica em crianças?

Última atualização: 01 Julho, 2021

A deglutição atípica em crianças é uma alteração na forma de engolir que afeta as estruturas da boca. Começa na infância e, se não for resolvida, pode persistir na idade adulta.

Na hora das refeições, a língua se apoia no lugar errado. Isso afeta o desenvolvimento da face, a posição dos dentes, a forma de morder, a fala, a estética e a saúde geral da pessoa.

A seguir, vamos apresentar mais detalhes sobre esse problema, quais são seus sintomas, suas consequências e por que ele se origina. Além disso, explicaremos como evitar o seu aparecimento e como resolver essa condição.

O que é a deglutição atípica em crianças?

Como já mencionamos, o termo deglutição atípica em crianças é usado para se referir a uma anormalidade no modo de engolir. Devido à atividade lingual inadequada, são gerados  movimentos compensatórios de outras estruturas orofaciais ao deglutir (engolir alimentos).

Nos primeiros meses de vida, o bebê posiciona a língua entre as duas arcadas dentárias para favorecer a sucção do leite durante a amamentação. Mas à medida que a criança cresce e os alimentos sólidos são incorporados à sua dieta, a maneira de engolir deve evoluir. A língua agora deve repousar no palato, logo atrás dos incisivos superiores.

Em algumas crianças, essa alteração não acontece e ocorre o desenvolvimento da deglutição atípica. Nesses casos, a língua fica entre os dentes superiores e inferiores e é gerada pressão sobre eles. Além disso, os lábios e outros músculos do rosto realizam movimentos incomuns para compensar essa posição inadequada.

Sintomas de deglutição atípica

Existem algumas manifestações muito características nas crianças com deglutição atípica. Observá-las enquanto elas comem permite detectar essas irregularidades específicas.

Como já mencionamos, a língua não se apoia no palato, mas entre os dentes superiores e inferiores. Portanto, é comum que os incisivos não entrem em contato e sobre um espaço entre eles. A língua geralmente fica apoiada nos dentes.

Além disso, devido ao posicionamento incorreto da língua, também não há vedação dos lábios. Essas estruturas costumam ficar hipotônicas e muitas vezes o lábio inferior fica posicionado atrás dos incisivos superiores.

É comum que esses pacientes apresentem respiração oral e problemas para mastigar que dificultam a formação do bolo alimentar. Por isso, durante a deglutição fazem movimentos com a cabeça, contraem excessivamente os lábios, fazem barulho ou caretas ao engolir, ou se inclinam para trás para ajudar o bolo alimentar a chegar à faringe.

A alimentação é afetada, geralmente sobram restos de comida entre as bochechas e os dentes ou escapam alimentos da boca. Essas crianças têm dificuldade para mastigar, não mastigam com tanta frequência e se cansam com facilidade.

Causas

Vários são os fatores que podem favorecer o aparecimento de deglutição atípica em crianças. Os mais relevantes são os mencionados abaixo:

  • Hábitos orais: o uso prolongado de mamadeira e chupeta após os 2 anos é o fator mais frequente. Costumes como chupar objetos ou o dedo, morder os lábios ou as bochechas, e a onicofagia (roer as unhas) também estão associados.
  • Alimentação inadequada: alimentar a criança apenas com alimentos triturados e evitar alimentos sólidos e com texturas diferentes interfere no desenvolvimento da mastigação e da musculatura orofacial.
  • Respiração oral: respirar pela boca em vez de respirar pelo nariz afeta as estruturas orais, como os maxilares, o palato, os dentes, a língua e a garganta. Pode se dever a problemas nas vias aéreas ou a um costume da criança.
  • Problemas anatômicos: um frênulo lingual curto, o desenvolvimento anormal dos ossos maxilares, maloclusões e a ausência de dentes também podem dar origem a esse problema.
  • Hipotonia muscular: a falta de tônus e força dos músculos envolvidos na mastigação e na deglutição afetam a maneira de engolir.

Consequências da deglutição atípica em crianças

O fato de a língua não ficar posicionada na posição correta durante a deglutição afeta as demais estruturas orais que intervêm nessa função. Assim, os problemas oclusais associados a esaa condição são muito comuns. A protrusão dos dentes anteriores, a mordida aberta e os diastemas são alguns exemplos.

A estética do rosto também é afetada por esse problema. É comum ver a criança com a boca aberta, os lábios hipotônicos e caídos, e a língua levemente para fora. Além disso, problemas ao pronunciar certos fonemas, como t, d, l, r e n são bastante comuns.

Menina com diastema, uma das causas da deglutição atípica em crianças.

Tratamento

Prestar atenção à alimentação da criança e fazer consultas regulares com o dentista desde cedo permite detectar essa condição precocemente. Feito o diagnóstico, será necessário iniciar o tratamento oportuno com uma equipe interdisciplinar para resolver a situação e evitar que volte a aparecer.

Assim, as alterações oclusais decorrentes da deglutição atípica em crianças podem ser corrigidas com o uso da ortodontia. Já o fonoaudiólogo trabalhará as funções orais alteradas por meio de exercícios específicos que buscarão normalizá-las.

Como prevenir a deglutição atípica em crianças

Às vezes, a instalação desses tipos de hábitos nas crianças pequenas não pode ser evitada. Contudo, manter essas dicas em mente pode ajudar a reduzir o risco de deglutição atípica em crianças:

  • Amamentação exclusiva: sempre que possível, o ideal é alimentar o bebê com leite materno exclusivamente durante os primeiros 6 meses de vida. Isso evita muitas condições infantis, incluindo as maloclusões.
  • Retirar a chupeta e a mamadeira na hora certa: o uso desses elementos não deve ser mantido após os 2 anos de idade.
  • Oferecer uma alimentação variada: dar à criança alimentos com diferentes texturas e tamanhos ajuda a desenvolver a mastigação e os músculos orofaciais.
  • Controlar a respiração da criança: certificar-se de que a criança respira pelo nariz, tanto durante o dia quanto a noite. Descartar obstruções nasais, amígdalas grandes e outras condições das vias aéreas que dificultem nessa função.
  • Consultar o dentista: o acompanhamento odontológico antes do primeiro ano de vida e de maneira periódica ajuda a acompanhar o desenvolvimento oral da criança e detectar antecipadamente eventuais problemas.

“A OMS recomenda o aleitamento materno exclusivo a todas as mães durante os primeiros 6 meses do bebê, a fim de oferecer aos filhos crescimento, desenvolvimento e saúde ideais”.

-Organização Mundial da Saúde (OMS) –

Como você pode ver, colocar essas dicas em prática não é muito difícil. E levá-las em consideração ao cuidar do seu filho não só evitará a deglutição atípica em crianças, mas também ajudará a monitorar de forma adequada o seu crescimento.

Pode interessar a você...
Problemas dentários mais comuns em crianças
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Problemas dentários mais comuns em crianças

Os problemas dentários em crianças podem surgir precocemente e causar diversos desconfortos. Aqui, vamos detalhar os mais frequentes. Confira!