Derrames oculares em crianças

29 de julho de 2019
Os derrames oculares em crianças podem ocorrer por diferentes razões e, na maioria dos casos, são reabsorvidos em uma semana sem efeitos colaterais.

Também é conhecido como hemorragia subconjuntival, sua principal característica é o aparecimento de uma mancha vermelha de sangue no olho. No artigo a seguir, vamos falar sobre como agir diante de derrames oculares em crianças.

O que é um derrame ocular?

Antes de falar sobre os derrames oculares em crianças, é necessário entender um pouco a anatomia dos olhos e, mais precisamente, da conjuntiva (onde o derrame ocorre). Trata-se de uma membrana que cobre o olho e sua principal função é protegê-lo e lubrificá-lo.

Um derrame ocular ou hipoasfagma é produzido pela ruptura de um vaso sanguíneo ou capilar localizado na área dos olhos. O sangue que vemos como uma “mancha” se aloja na parte anterior da conjuntiva do olho e não atravessa o limbo corneano.

Não há sinais que possam prevenir o aparecimento de um derrame ocular, e há vários fatores que podem desencadear um deles. O principal é o aumento da pressão ocular, mas também, especialmente no caso de crianças, pode ocorrer devido a uma pancada ou um acidente.

O que é um derrame ocular

Outras causas de derrames oculares são:

  • Espirrar ou tossir com força.
  • Esfregar os olhos com força.
  • Introdução de algum objeto no olho.
  • Hipertensão arterial.
  • Diabetes mellitus.
  • Consumo de certos medicamentos que alteram a coagulação do sangue.
  • Doenças hematológicas.

Devo me preocupar com os derrames oculares em crianças?

Se a mancha de sangue for pequena e tiver aparecido após uma pancada ou acidente, pode ser que desapareça no dia seguinte ou nas horas posteriores.

No entanto, quando o sangramento é muito grande ou ocorre repetidamente, recomenda-se uma consulta com um médico para que ele possa fazer um diagnóstico preciso e, assim, indicar o tratamento que considerar adequado.

Mas, na maioria dos casos, os derrames oculares em crianças não são perigosos e não existem tratamentos específicos para que a mancha se dissolva. Dentro de uma semana, o sangue deve ser reabsorvido sem qualquer sequela ou dor.

Porém, caso além do derrame ocular também percebermos que o olho da criança está irritado ou lacrimejando, pode ser conveniente levá-la a uma consulta oftalmológica. O mesmo vale caso a criança informar que não está conseguindo enxergar bem com esse olho.

Proteja a visão dos seus filhos

As lesões oculares são mais comuns do que imaginamos, principalmente porque essa área é bastante sensível e geralmente é alvo de acidentes e pancadas, por exemplo.

Nesse sentido, o uso indevido de brinquedos, a falta de segurança em casa, o acesso a certas ferramentas ou objetos ou, ainda, a falta de atenção por parte dos adultos pode levar a um derrame ocular.

Porém, também pode ocorrer mesmo quando os pais estão atentos e a criança é cuidadosa com os brinquedos. Os acidentes domésticos (ou onde quer que estivermos) são comuns. Então, é possível evitar as lesões oculares? Não em sua totalidade, mas sim em grande parte. Veja alguns conselhos:

  1. Não deixe nenhum objeto perfurante ou perigoso na altura das crianças (na mesa, na borda da bancada da cozinha, no chão).
  2. Compre óculos de sol ou de proteção para serem usados ao praticar esportes.
  3. Ofereça brinquedos de acordo com a idade da criança e evite aqueles que possam ser usados como projéteis.
  4. Coloque barreiras de segurança ou travas para que a criança não corra o risco de cair da escada nem bater a cabeça em certos móveis.
Proteja a visão dos seus filhos

Conclusão

Os derrames oculares em crianças são bastante comuns e podem ocorrer por diferentes razões. Portanto, quando surgirem, não devemos perder a calma nem medicar a criança com aspirina ou qualquer outro medicamento que possa levar a uma hemorragia maior.

Por isso, tente fazer com que, durante alguns dias, ela não realize atividades físicas muito bruscas e que descanse o suficiente durante as noites e tardes. Mas, se você perceber que a criança está esfregando muito o olho, opte por colocar um tapa-olho (ou brinque de pirata, para que ela o utilize por mais tempo).

Por fim, se os derrames forem constantes (mais de dois por mês), se a criança manifestar dor ou indicar que não consegue enxergar bem, leva-a ao médico imediatamente.

  • Arias-Díaz, A., Bernal-Reyes, N., Pérez-Martinto, P. C., Correa-Madrigal, O., & Méndez-Sánchez, T. de J. (2013). Medición de agudeza visual estereoscópica en una población infantil sana. Revista Mexicana de Oftalmologia.