Como derrubar os medos das crianças

08 Dezembro, 2020
O medo é uma resposta fisiológica diante de um estímulo perigoso. Contudo, ele pode surgir em uma situação que não representa um perigo, e é aí que surge o problema. A seguir, vamos falar sobre como derrubar esses medos.

É muito comum que as crianças tenham medos e que eles mudem de acordo com a idade de cada uma, mas, às vezes, esses medos as bloqueiam e interferem no seu dia a dia. A seguir, vamos ver algumas dicas que podem ser úteis para derrubar os medos das crianças.

Para superar um medo que consideramos irracional, não devemos fugir dele ou evitá-lo, e sim enfrentá-lo e derrubar a sua estrutura, confrontando o pensamento que gera o medo com a realidade.

O medo tem um lado positivo e um lado negativo. Você quer saber por quê? Como os pais podem ajudar a dissipar os medos dos filhos? Recomendamos que você continue lendo para descobrir tudo isso.

Como derrubar os medos das crianças?

Em primeiro lugar, é importante saber a diferença entre medo, fobia e ansiedade.

  • Medo. Diante de certas situações, o corpo reage com medo – e isso é normal – já que ele nos ajuda a nos proteger de algo que consideramos perigoso.
  • Fobia. É quando o medo se torna algo irracional, que interfere de forma significativa na vida de quem a sente.
  • AnsiedadeGeralmente, ocorre por motivos difusos e não há uma causa específica. Qualquer situação é interpretada com incerteza e gera esse estado.
    Como desmontar os medos das crianças

Como as crianças aprendem a ter medo?

Normalmente, as crianças não nascem com medo, pois eles vão sendo adquiridos ao longo da infância, muitas vezes influenciados pelos pais. Por exemplo, quando gritamos “Fique longe desse cachorro, ele pode te morder!”, isso faz com que a criança passe a ter medo de cachorro. Por isso, é importante ter cuidado ao dizer frases que possam assustar ou gerar medo nas crianças.

Também devemos ter cuidado ao mostrar insegurança diante de algum medo que tenhamos, pois, se o pequeno vir a sua figura de referência com medo, ele vai aprender a também ter medo dessa situação.

É bom ter medo?

O medo é algo normal, desde que seja uma resposta fisiológica diante de um estímulo ou situação perigosa. Ele ativa o corpo para a fuga, aumentando a frequência cardíaca, nos fazendo respirar mais rápido e tensionando os nossos músculos para nos preparar caso tenhamos que sair correndo de algo que possa colocar a nossa integridade física em risco.

Quando se torna um problema? Quando o medo da criança é de algo que não coloca a sua vida em risco, como, por exemplo, a escuridão ou fantasmas. Esse medo é um pouco irracional, diante de uma situação que não é perigosa e, portanto, a resposta fisiológica que ocorre está equivocada.

Podemos educar com o medo?

Não com o medo em si, mas é importante explicar aos nossos filhos algumas situações que podem envolver perigo, tais como atravessar a rua sem segurar a nossa mão, sem olhar ou sem respeitar o semáforo. Outra coisa que deve ser explicada, mas sem mencionar a palavra medo, é que eles não devem falar nem aceitar nada de alguém que não conheçam.

Por isso, em vez de usar frases como “Tenha medo de estranhos” ou “Tenha medo de atravessar a rua”, é melhor dizer “Tome cuidado ao atravessar e procure não falar com estranhos”.

Derrubar os medos das crianças: como os medos se manifestam nas diferentes idades?

  • Dos 6 meses aos 2 anos. Antes dos 6 meses, foi observado que não existe o medo em si, apenas o medo do distanciamento quando as crianças ficam longe dos pais ou encontram alguém que não conhecem.
  • Dos 2 aos 6 anos. Aqui começam a surgir os medos de seres imaginários, tais como fantasmas, monstros… É nessa idade que começam a surgir fobias, principalmente de alguns animais.
  • Dos 7 aos 11 anos. Nessas idades, os medos de seres imaginários desaparecem e começam a surgir medos relacionados à vida cotidiana, tais como acidentes, tratamentos médicos, etc.
  • Dos 12 aos 14 anos. Na fase da pré-adolescência, surgem medos relacionados às relações sociais, tais como o medo de ficar sem amigos, do fracasso escolar, de não ser aceito pelo grupo de pares…
  • Dos 15 aos 18 anos. Aos medos da etapa anterior, soma-se o medo das relações pessoais ou de não obter conquistas nos esportes ou hobbies.
    Como desmontar os medos das crianças

Dicas para derrubar os medos das crianças

O ponto principal é que os filhos vejam os pais, que são os seus modelos a seguir, como pessoas seguras, porque essa atitude vai gerar segurança neles.

“Aprendi que a coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas o que conquista esse medo”.

-Nelson Mandela-

Não as impeça de enfrentar o que temem

Isso só criará um medo maior. Em vez disso, é preciso criar estratégias para enfrentar esse medo e superá-lo. Por esse motivo, não se deve permitir que as crianças evitem as situações que geram medo. Como fazer isso?

  • Enfrentando pouco a pouco a situação que temem.
  • Dando recursos ou ferramentas para que saibam como enfrentá-los.
  • Ter um adulto ao lado que seja uma referência e que ofereça segurança.

Não repreenda

Não fique irritada nem repreenda a criança por ter medo de algo que parece bobo para você. Explique que é normal sentir medo e que não é preciso ter vergonha disso, mas que essa situação não é perigosa para ela.

Analise a situação temida

Ensine a criança a analisar a situação e diga que não é preciso temer certas coisas. Além disso, mostre que pode ser que ela tenha medo de algo em particular apenas porque isso é desconhecido para ela.

Ensine orientações para se acalmar

Ensine técnicas de respiração ou relaxamento para o momento em que a criança estiver sentindo medo e dê alternativas racionais para pensar se esse medo tem fundamento ou não.

Sobre como derrubar os medos das crianças

Já vimos como o medo funciona e o que pode ser feito para derrubar os medos das crianças. É importante lembrar que, se essas dicas forem aplicadas e a criança continuar sentindo um medo irracional, que possa acabar se transformando em uma fobia, será necessário consultar um especialista para que ele possa ajudá-la.

  • Mendez Carrillo, F.J. (2012). Miedos y temores en la infancia: Ayudar a los niños a superarlos. Murcia, Piramide.