Ensine o seu filho a enfrentar as brincadeiras de mau gosto

· 27 de março de 2018
Descubra a seguir como você pode ensinar o seu filho a enfrentar as brincadeiras de mau gosto de uma maneira respeitosa, saudável e eficaz.

Muitas vezes a convivência no ambiente escolar nem sempre é a ideal. Por esse motivo, devemos ajudar nossos filhos a enfrentar as brincadeiras de mau gosto desde pequeno.

Sim, pode ser que as gozações entre as crianças pareçam um assunto de pouca importância. No entanto, o impacto que pode ter no desenvolvimento psicológico das crianças pode ser enorme se a situação se mantiver por algum tempo.

A frequência e a crueldade das brincadeiras de mau gosto podem variar. Uma das principais razões pelas quais as crianças podem desenvolver essa forma de interação é por ignorância e falta de empatia.

Em outras palavras, quando as crianças se encontram diante de uma novidade, ao não saber como agir, podem começar a fazer brincadeiras de mau gosto com essa novidade. Geralmente, elas acham que é a melhor forma de interagir e se divertir. 

Fatores que influenciam nas gozações

  1. Idade das crianças.
  2. Apoio familiar.
  3. Valores estimulados em casa.
  4. Sociabilidade das crianças.
  5. Presença ou ausência de um orientador escolar.
  6. Comportamento do docente encarregado pelo grupo escolar.
  7. Forma de apresentação e introdução de um novo companheiro de classe.
Ensine o seu filho a enfrentar as "brincadeiras"

A ciência revela o impacto das brincadeiras de mau gosto

Já está comprovado cientificamente que a humilhação tem um impacto no cérebro das pessoas, inclusive mais intenso que emoções como a alegria ou a raiva.

Um grupo de cientistas da Universidade de Amsterdã realizou um experimento para medir o impacto da humilhação e das gozações.

Para isso, selecionou um grupo de indivíduos, para o qual uma série de histórias foram lidas. Durante as leituras, as pessoas deviam se colocar no lugar do protagonista. Isso permite comprovar as distintas emoções que as pessoas experimentavam.

Os cientistas revelaram que o mal-estar causado pela humilhação fere mais do que se pensava anteriormente.

As humilhações ativavam áreas do cérebro relacionada com a dor e isso foi o que levou os cientistas a perceberem que uma humilhação é percebida pelo cérebro como uma sensação de dor muito intensa.

Como ensinar as crianças a enfrentar as brincadeiras de mau gosto?

Os pais devem averiguar bem o que acontece e analisar quais são as opções. Qual é a origem das gozações? Qual é a frequência? Como a criança reage diante de tal situação? E depois, como fazer que meu filho saiba enfrentar as brincadeiras de mau gosto de maneira saudável?

É preciso saber distinguir bem esses elementos para poder solucionar o problema a tempo e da melhor forma possível. Mesmo assim, é importante diferenciar se nosso filho é o objeto de brincadeiras de mau gosto ou, ao contrário, se é a criança que faz bullying com as outras.

É preciso ensinar as crianças a reagir com agilidade diante das brincadeiras de mau gosto. Dessa maneira, vão atacar o problema na raiz e conseguirão desarmar o a criança que pratica o bullying, quem, ao não obter o efeito que deseja, cansará e deixará de zombar dos colegas.

A solução nunca é a violência. Sempre existem alternativas saudáveis para enfrentar as brincadeiras de mau gosto.

Ensine o seu filho a enfrentar as "brincadeiras"

Não devemos rotular os nossos filhos como “covardes” ou “chorões” porque isso não resolve nada nem os torna mais fortes. A melhor opção é sempre oferecer respeito, amor e compreensão. 

Quando a criança explicar o problema, é importante nos solidarizarmos com seus sentimentos e contar alguma história pessoal que a conforte.

Devemos dar especial ênfase aos aspectos positivos da nossa reação naquele episódio e mostrar para ela que foi possível chegar a uma solução. 

Conselhos chaves

  1. Nunca devemos incitar a violência.
  2. Se as gozações são leves, devemos ensinar nossos filhos a ignorar o agressor até que ele se canse.
  3. Se as gozações são moderadas ou severas, o melhor é procurar a instituição educativa e conversar tanto com o docente quanto com o orientador escolar para colocar fim à situação. É muito importante não piorar o mal-estar.
  4. Por outro lado, devemos ensinar nossos filhos a serem educados com todas as pessoas. Dessa forma, saberão enfrentar as brincadeiras de mau gosto de uma forma melhor.
  5. Uma vez que se conheça bem a situação, é preciso apoiar nossos filhos incondicionalmente. Para eles, se sentir queridos e respaldados é essencial.
  6. Toda situação tem o seu lado positivo e traz uma lição importante para todos. É fundamental refletir a respeito.