Exame de toque vaginal na gravidez: o que você deve saber

O exame de toque vaginal é um exame invasivo, mas bastante necessário durante o trabalho de parto. Com os cuidados necessários, é possível minimizar os riscos.
Exame de toque vaginal na gravidez: o que você deve saber

Última atualização: 16 abril, 2022

O exame de toque vaginal é um procedimento exploratório que o especialista realiza durante o trabalho de parto, a fim de avaliar sua evolução e o estado dos órgãos genitais.

Por se tratar de um exame invasivo, sua realização deve seguir rigorosos critérios clínicos e ser realizada por profissionais treinados. Da mesma forma, a frequência de desempenho durante o processo de parto deve ser minimizada.

Vamos ver mais sobre esse exame diagnóstico, suas indicações, o procedimento e em que condições é necessário evitá-lo.

Por que esse exame ginecológico é realizado?

Embora desconfortável, o exame de toque vaginal é um exame físico que fornece informações importantes sobre o estado dos tecidos materno e fetal durante o trabalho de parto. Ele permite determinar os seguintes parâmetros:

  • Consistência do colo do útero: se está mole, média ou dura.
  • Apagamento ou afinamento do colo do útero.
  • Dilatação uterina: através da palpação do diâmetro do colo do útero.
  • Apresentação do bebê: cefálica se a cabeça puder ser palpada ou pélvica quando está posicionado de nádegas.
  • Altura de apresentação: é a posição do bebê em relação à estrutura óssea da pelve materna.
  • Descida e rotação da cabeça do bebê no canal do parto.
  • Complicações relacionadas ao parto: como apresentação transversal, prolapso do cordão umbilical ou outra anormalidade que possa colocar em risco o bem-estar do bebê.
Bebê posicionado na barriga da mãe.

Como é feito o exame de toque vaginal?

Por ser um exame invasivo e arriscado, só deve ser realizado por pessoal treinado e de acordo com as diretrizes de assepsia corretas. Por exemplo, as mãos devem estar limpas e cobertas por luvas esterilizadas.

Antes de realizar o toque, o especialista pedirá sua permissão e explicará como será o exame. Nesse momento você pode tirar dúvidas, como entender qual é a finalidade do procedimento.

Em seguida, ele vai instruir você para se deitar na mesa de costas, com os joelhos dobrados e as pernas abertas e apoiadas na mesa.

Em seguida, o médico vai inserir os dedos indicador e médio na vagina para palpar o colo do útero e fazer a respectiva avaliação. É possível que isso seja um pouco desconfortável, devido à pressão que é exercida sobre uma área tão sensível nesses momentos.

Quando é realizado o exame de toque vaginal?

Esse procedimento geralmente é feito durante o trabalho de parto para avaliar a progressão. O normal é que o primeiro toque seja feito ao chegar na maternidade, no contexto da avaliação inicial, para estabelecer em que estágio você se encontra.

No entanto, também pode ser necessário realizá-lo durante a gravidez para avaliar o estado dos tecidos em caso de ameaça de aborto ou insuficiência cervical.

Quantas vezes é permitido fazer um exame de toque vaginal?

Embora não haja um número exato de vezes, é melhor realizar alguns exames durante o trabalho de parto. Em primeiro lugar, porque é incômodo e, em segundo lugar, porque pode aumentar o risco de infecções.

Segundo a OMS, a frequência dos exames vaginais deve ser minimizada para evitar esses desfechos. Nesse sentido, recomenda-se a realização de um exame de toque vaginal com intervalo de quatro horas para avaliar a evolução do trabalho de parto. Vale esclarecer que quando não se constata progresso ao longo do tempo, é necessário tomar outros cuidados e por isso se justifica a reiteração do teste.

Da mesma forma, recomenda-se que esse procedimento seja realizado apenas com a aprovação da gestante, que também pode exigir que esse exame seja realizado por seu médico ou parteira de confiança.

Exame clínico da gestante em trabalho de parto

Em que circunstâncias o exame de toque vaginal é contraindicado?

Esse exame exploratório é contraindicado em algumas situações, como as descritas abaixo :

  • Placenta prévia.
  • Sangramento vaginal
  • Apresentação fetal transversal ou pélvica.

Algumas considerações finais

Como você viu, o exame de toque vaginal é um procedimento muito útil para os profissionais de saúde durante o parto. No entanto, não é uma prática aconselhável durante a gravidez, devido ao risco de lesões e infecção.

Para sua tranquilidade, esse é um assunto que você pode discutir com o seu médico ou parteira antes do parto. Eles o orientarão sobre a frequência recomendada e a necessidade de realização. E lembre-se de que, caso você não aceite, deve avisar com antecedência.

Pode interessar a você...
Secreções vaginais: o que são e como detectar anormalidades
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Secreções vaginais: o que são e como detectar anormalidades

As secreções vaginais são absolutamente normais nas mulheres e servem para o corpo limpar a vagina e remover as impurezas, bem como as células mort...



  • Carvajal, J (2017). Manual de obstetricia y ginecología. VIII edición 2017. Escuela de medicina de la universidad pontificia de Chile.
  • Gonzales, C (2010). Conducta del Cuello Uterino Durante el Embarazo, Parto y Puerperio. Ginecol Obstet Mex 2010;78(2):121-127
  • Organización Mundial de la Salud (2015). Recomendaciones de la OMS para la conducción del trabajo de parto. Recuperado de: https://www.who.int/topics/maternal_health/directrices_OMS_parto_es.pdf