Falar com seu filho em dois idiomas é uma vantagem ou problema?

· 4 de maio de 2017

A prática de dois idiomas é sempre uma grande vantagem para qualquer adulto, a cada dia mais essa característica favorece o desenvolvimento acadêmico e profissional das pessoas. Nunca é tarde para aprender, por isso existem muitas pessoas tentando se capacitar para se tornarem ao menos bilíngues.

Também existe certos fatores que incentivam a fala em dois diomas, por exemplo a criação numa família multicultural ou a mudança para um país com uma língua diferente. Nesse caso, é normal que os pais se preocupem com o desenvolvimento linguístico dos filhos, o que muitas vezes levanta dúvidas.

Criar um filho bilíngue não deve ser um problema, no entanto, exitem várias facetas sobre os verdadeiros benefícios desse processo. Por esse motivo os pais se interessam em frutificá-lo, assim como também existem aqueles que desanimam de seguir tentando.

A principal preocupação que os pais possuem nesse aspecto é o medo de que falar com o filho em dois idiomas pode terminar confundindo as crianças, o que poderia gerar um eventual atraso no desenvolvimento da fala. No entanto, sabemos a quantidade de opiniões diversas sobre isso.

Aprender dois idiomas

Da mesma forma, sabemos que existem situações onde não temos escolha sobre o filho aprender um segundo idioma. É importante que os pais se informem adequadamente se é uma vantagem ou um problema falar com a criança em dois idiomas, porque talvez o atraso possa se encontrar na necessidade de socializar e de se integrar a uma nova comunidade

Em todo caso, cada família tem a decisão final sobre como criar seus filhos, mas queremos compartilhar a visão que os especialistas têm sobre os principais mitos dessa prática.

Principais motivos de preocupação

Se você é do grupo dos pais que ainda desconfiam dessa prática, compartilharemos possíveis respostas que os especialistas têm sobre esse tema. Para apresentá-lo, focaremos nas principais hipóteses que circulam ao redor do bilinguismo nas crianças.

1. Falar com a criança em dois idiomas pode provocar atraso na fala?

Por muito tempo acreditou-se que o bilinguismo era o causador desse tipo de problemas nas crianças. No entanto, mas à frente se descobriu que se trata de um atraso temporário, e além disso não é um regra geral. Ou seja, não acontece com todas as crianças.

No entanto, certos pais se preocuparam muito com isso, por isso deixam de criar seus filhos bilíngues. Segundo a empresa americana que realizou o estudo, chamada Bilinguistics. As pesquisas não determinaram que realmente exista transtornos de desenvolvimento de fala ou na aquisição de linguagem nesses casos.

2. As crianças podem chegar a misturar os dois idiomas?

Os especialistas afirmam que sim, elas podem a misturar os dois idiomas e o que é totalmente normal, na verdade é uma regra que faz parte do processo. Não apenas as crianças, qualquer pessoa bilíngue pode misturar palavras dos dois idiomas, o que é temporário até que começam a diferenciar uma língua da outra.

É normal que as pessoas que falam dois idiomas localizem a palavra que é mais propícia para se expressar ou não conhecem muito bem qual é a que querem utilizar no outro idioma. Também é frequente que a frase que querem usar não seja fácil de ser traduzida para a outra língua.

De qualquer maneira, para os especialistas seria irreal pensar que isso não aconteça, sobretudo porque sempre existe uma língua predominante em uso, além disso é transitório e não constitui problema algum.

3. A criança pode se confundir a ponto de não diferenciar os dois idiomas?

Segundo a autora do texto Raising a Bilingual Child, Barbara Zurer Pearson, todos os bebês são capazes de diferenciar qualquer idioma, ainda que não o conheçam e tenham pouco tempo de nascidos. Isso é porque os idiomas podem chegar a ser bem diferentes, o que torna quase impossível que não se possa distingui-los.

Por outro lado, ainda que Pearson admita que alguns idiomas possam ser confundidos pelos bebês devido a sua semelhança, essa confusão é passageira e poderá desaparecer no máximo aos seis meses de idade. Nesse caso, a autora enfatiza que ser bilíngue tem muitas vantagens e que estudos mais recentes indicam que não foram detectados problemas que desestimulem esse processo. Uma criança que fala dois idiomas tem uma forma de pensar mais flexível, porque seus conceitos e opiniões são diferentes.

4. Qual é a idade limite para ensinar um idioma para o meu filho?

Aprender dois idiomas

Se você até agora tinha dúvidas sobre essa prática, lembramos que nunca é muito tarde para aprender. Assim como qualquer adulto pode se tornar bilíngue, uma criança também pode se tornar sem ter uma idade específica para deixar de tentá-lo. Sobre isso é preciso esclarecer que sim existe uma idade adequada que favorece essa aprendizagem, mas não é limitador.

Um adulto ou uma criança maior de dez anos requerem mais esforço para aprender uma segunda língua; por isso as crianças que são menores de cinco anos poderiam aprender mais rapidamente. No entanto, é preciso que se ensine a partir de outras estruturas específicas, já que não basta deixá-los na frente da televisão. 

Embora a aquisição de um segundo idioma por crianças menores de dez anos seja mais simples, isso não quer dizer que irão aprender sem praticar.