A fratura dos primeiros passos

29 Outubro, 2020
A fratura dos primeiros passos é comum quando os bebês começam a andar. Vamos contar tudo o que você precisa saber sobre ela.

A fratura dos primeiros passos pode ser algo comum em crianças que estão aprendendo a andar. Embora não seja muito grave, pode ter consequências tanto físicas quanto mentais para as crianças. Vamos contar tudo o que você precisa saber sobre esse tipo de fratura.

O que é a fratura dos primeiros passos?

A fratura dos primeiros passos também é conhecida como fratura de Toddler ou fratura oculta. O que acontece é que, quando a criança começa a dar os primeiros passos, ela sofre muitas quedas e pancadas, mesmo que de pouco impacto. Os ossos da perna ainda não estão solidificados o suficiente nem acostumados a suportar o peso.

Por isso, em algumas ocasiões, ocorre a fratura de Toddler. Trata-se de uma fratura da tíbia, um osso da perna. Nesse caso, é uma fratura não deslocada, o que significa que o osso se quebra, mas não se move do seu lugar original.

Assim como o próprio nome indica, esse tipo de fratura geralmente afeta crianças entre 9 meses e 3 anos, ou seja, crianças que estão na idade de aprender a andar.

A fratura dos primeiros passos

Quais são os sintomas?

Tendo em vista a idade em que ocorre, as crianças ainda não sabem expressar exatamente o que está acontecendo com elas ou o que está doendo. Por esse motivo, o sintoma mais comum é se recusar a andar.

Elas percebem que caminhar causa dor, por isso evitam apoiar o pé de todas as formas possíveis. Pode haver dor localizada ao tocar a parte inferior da perna, perto do tornozelo.

A criança também pode mancar para evitar apoiar a perna lesionada e a dor, e isso começa de repente. Devemos ter em mente que muitas vezes nem nos lembramos de que a criança sofreu uma pancada ou uma queda, por isso pode ser difícil perceber o que está acontecendo.

Como a fratura dos primeiros passos é diagnosticada?

O diagnóstico será feito pelo especialista. Ele vai se basear nos sintomas que a criança apresenta, na forma como o processo ocorreu e em um bom exame físico. Além disso, exames de imagem complementares também serão necessários. Pode ser feito um ultrassom, mas o exame que mais dará informações para o médico, nesse caso, será a radiografia da perna da criança.

Qual é o tratamento?

Uma vez feita a radiografia e estabelecido o diagnóstico, será colocada na perna da criança uma tala que permita a imobilização. Após 10 dias, a radiografia deverá ser repetida. Se realmente for o caso de uma fratura de Toddler, a radiografia feita após esse tempo mostrará o que conhecemos como calo ósseo na área da fratura.

Essa imagem é um sinal de que a fratura está sendo reparada. Portanto, uma vez comprovado que se trata desse tipo de fratura e que ela está sendo reparada, a tala de imobilização será mantida por mais duas semanas.

A fratura dos primeiros passos

Quanto à fratura dos primeiros passos, você deve saber…

Devido ao crescimento e desenvolvimento normais da criança, essa fratura é comum. Porém, levando em consideração os possíveis sintomas que podem surgir e consultando rapidamente o especialista, seu tratamento é simples. Geralmente, essas fraturas se cicatrizam bem e a criança não terá sequelas físicas após a solidificação óssea.

No entanto, devemos ter em mente que não existem apenas consequências físicas. Nesses casos, as crianças pequenas não são capazes de raciocinar como um adulto. É possível que, após sofrer essa fratura, algumas delas tenham medo de continuar aprendendo a andar.

Nesses casos, a paciência é muito importante. Teremos que explicar, na medida do possível, o que está acontecendo e dar nosso apoio, sempre buscando incluí-las no raciocínio para voltar a andar e sem forçá-las a isso em nenhum momento.