Hábitos de sono para prevenir a obesidade infantil

· 28 de fevereiro de 2017

Cada vez há mais problemas de obesidade na população em geral e na população infantil em particular. O aumento da obesidade infantil pode ser devido a questões tão evidentes como o sedentarismo e a falta de atividade física ou os maus hábitos alimentares. Além disso, os maus hábitos de sono também influenciam negativamente neste aspecto.

A obesidade infantil não é um tema que deva se deixar passar porque pode afetar negativamente a saúde atual e futura das crianças. Os médicos e cientistas estão preocupados com o aumento da obesidade em crianças e jovens, porque a obesidade pode conduzir, já na infância, aos seguintes problemas de saúde:

  • doenças do coração causadas por níveis elevados de colesterol e/ou hipertensão
  • diabetes tipo 2
  • asma
  • apneia do sono
  • discriminação social

Hábitos de sono e obesidade infantil

Além de tomar medidas quanto à alimentação e à atividade física das crianças, outra questão importante a ser considerada é a dos hábitos de sono.

Neste sentido, segundo um estudo da Universidade de Faculdade de Medicina da Universidade Estadual da Pensilvânia, os pais que ensinam para seus filhos técnicas para promover hábitos de sono saudáveis ​​na hora de dormir podem ajudar a prevenir a obesidade. Aparentemente, existem fortes vínculos entre a falta de sono e a obesidade infantil.

A equipe estudou o uso da intervenção usando dados do estudo INSIGHT (algo como, Intervenção de Enfermeiras no Início da Infância faz com que Crianças Cresçam em Trajetórias Saudáveis), um estudo de ensaio longitudinal que observa como a intervenção da criação sensível pode prevenir a obesidade.

Para o estudo foram recrutados 291 pares de mães e filhos e se atribuíram ao acaso as mães para um de dois grupos. Um grupo recebeu educação para a prevenção da obesidade, que abrangeu as condutas relacionadas com o sono, rotinas antes de dormir e a melhora da duração do sono, assim como evitar a alimentação e balançar as crianças para dormir. O outro grupo, o grupo controle, foi formado para a prevenção da síndrome da morte súbita do lactante.

Técnicas apropriadas para a hora de colocar os bebês para dormir

O estudo mostrou que os bebês de pais que haviam aprendido as técnicas para aplicar na hora de dormir e que iam cedo para a cama tiveram uma rotina de sono mais consistente e dormiram durante mais tempo do que crianças do grupo controle.

Os bebês cujos pais haviam aplicado as técnicas também eram mais propensos a se acalmar e a dormir sem serem alimentados e eram menos propensos a serem alimentados novamente quando acordavam durante a noite. Além disso, em 9 meses os bebês que dormiam sozinhos e iam para a cama cedo dormiram uma média de 80 minutos a mais do que aqueles que dormiam tarde e não adormeciam sozinhos.

A equipe de pesquisadores também observou que a intervenção também teve um efeito positivo sobre a obesidade, não só sobre a qualidade e a quantidade do sono. Observaram que os bebês do grupo que aplicou as técnicas para a hora de deitar ganharam peso mais lentamente do que o grupo controle e eram menos propensos a ter sobrepeso com a idade de um ano.

Colocar o bebê na cama cedo é essencial

Os pesquisadores explicam que muitos pais tentam manter seus bebês acordados durante mais tempo pensando que assim irão dormir mais durante a noite e que não vão acordar. No entanto, esta pesquisa mostra que não é verdade e que, quando os pais mantêm os bebês mais tempo acordados a única coisa que conseguem é que os bebês durmam menos.

Os pesquisadores recomendam que para que os bebês durmam mais é necessário colocá-los na cama cedo, porque, independentemente da hora em que forem para a cama, os bebês irão acordar da mesma forma durante a noite. A chave para que despertem menos e se acalmem sozinhos é não fixar a expectativa de que eles serão alimentados toda vez que acordarem.

Além de ajudar a prevenir a obesidade, incutir melhores hábitos de sono também acrescentam benefícios para a saúde tanto dos pais quanto dos filhos. De fato, tem sido demonstrado que a falta de sono tem um efeito negativo no desenvolvimento das crianças e no bem-estar psicológico dos pais.