Hipertonia em bebês: sintomas, causas e tratamento

A alteração do tônus muscular pode ser esperada em um primeiro momento, mas se persistir, uma condição mais complexa deve ser descartada.
Hipertonia em bebês: sintomas, causas e tratamento

Última atualização: 29 março, 2022

Ao nascer, o corpo dos bebês é delicado e seus músculos não têm força para manter a postura por conta própria. Mas em questão de semanas, todas as estruturas de suporte começam a amadurecer e conseguem vencer a força da gravidade. Isso permite que o bebê adote uma postura ereta e, no futuro, fique em pé.

Quando a criança apresenta flacidez ou rigidez muscular incompatível com o estágio de maturação, é necessário descartar uma hipo ou hipertonia. E, em um segundo momento, determinar a causa do distúrbio.

Certos eventos que ocorrem durante a gravidez, o parto ou os primeiros meses de vida podem causar alterações no tônus muscular da criança. Às vezes, são situações transitórias, mas, em outras, a hipertonia faz parte de uma condição neurológica mais grave que requer tratamento e monitoramento especializados.

A seguir, vamos contar tudo o que você precisa saber sobre essa patologia. Não deixe de ler!

O que é a hipertonia em bebês?

A hipertonia é o aumento do tônus muscular, que é a contração relativa, permanente e involuntária que essas estruturas mantêm para preservar sua forma e função. Sem essa propriedade, nosso corpo não poderia se opor à gravidade e seríamos incapazes de manter a postura.

Quando o tônus muscular aumenta, falamos de hipertonia. Ao contrário, se o tônus muscular for menor do que o esperado, isso é definido como hipotonia. Dependendo da intensidade, existem sintomas leves, moderados ou graves.

Em uma sequência normal de desenvolvimento motor, o tônus muscular do neonato está ligeiramente diminuído no tronco e no pescoço, mas ligeiramente aumentado nos braços e nas pernas. Por isso, os bebês pequenos não conseguem segurar a cabeça, mas tendem a manter a postura C. Isso se deve à flexão quase permanente dos 4 membros, que os mantém próximos ao centro do corpo.

Com o passar dos dias, essa hipertonia no bebê começa a ceder gradativamente, mas se isso não ocorrer após algumas semanas, pode indicar a presença de hipertonia muscular patológica.

Sintomas de hipertonia no bebê

Criança com rigidez plantar.

Em geral, os sintomas de hipertonia em crianças se manifestam com clareza. A seguir, vamos mencionar as características mais características dessa condição:

  • A criança apresenta uma tensão generalizada: é comum ela parecer mais ereta do que o normal e até levantar a cabeça mais cedo do que o esperado ou com mais força. Isso ocorre porque toda a sua coluna está tensa e não porque amadurece mais cedo.
  • As mãos ficam fechadas quase que permanentemente, com o polegar incluído para dentro.
  • Os dedos dos pés mantêm uma pressão constante.
  • Os braços ficam flexionados e as pernas podem estar flexionadas ou totalmente esticadas.
  • Por volta do primeiro ano de vida, essas crianças ficam em pé e andam na ponta dos pés, devido à hiperatividade dos músculos posteriores das pernas.
  • Em geral, seus movimentos são mais estranhos e espásticos.
  • Podem apresentar dificuldades em outros sistemas, como o sistema visual ou digestivo.

Uma característica bem típica da criança hipertônica é que ela é mais difícil de mobilizar, devido ao aumento da resistência de seus músculos. Muitos pais relatam problemas ao tomar banho, trocar fraldas ou vestir-se. As próprias crianças se mostram intolerantes a esse tipo de atividade devido ao desconforto gerado.

Causas do aumento do tônus muscular em bebês

A hipertonia é mais comum em bebês prematuros (nascidos antes das 37 semanas), devido à imaturidade do sistema nervoso.

No entanto, essa condição também pode ocorrer em bebês nascidos a termo. Nesses casos, existem outras causas que vamos especificar a seguir:

  • Pré-natais: doenças psiquiátricas da mãe, pequenos traumas, hipertensão materna na gravidez, gravidez precoce ou tardia, infecções perinatais e restrição de crescimento intrauterino.
  • Perinatal: situações de risco para hipóxia ou sofrimento fetal perinatal e baixo peso ao nascer.
  • Pós-natal: traumatismo craniano ou paralisia cerebral.

Como a hipertonia em bebês é tratada?

O diagnóstico e tratamento precoces dessa condição são essenciais, pois evitam algumas complicações no futuro e ajudam a melhorar a funcionalidade e a qualidade de vida da criança.

O objetivo principal é diminuir a hipertonia, manter o comprimento do músculo e sua elasticidade.

O tratamento médico inclui o uso de alguns medicamentos, como a toxina botulínica, que são reservados para hipertonia grave ou espasticidade.

O tratamento cirúrgico é menos frequente, mas também é realizado nos casos mais graves com o objetivo de alongar os tendões dos músculos e recuperar seu comprimento.

A cinesiologia e a fisioterapia trabalham a postura, a alteração do tônus e a força muscular. Em geral, essas estruturas estão fragilizadas e não permitem que a criança desempenhe certas funções básicas (alimentar-se, movimentar-se, falar).

O fisioterapeuta especializado em pediatria trabalha com a criança e também a família, orientando-a para que possa realizar exercícios de alongamento em casa. Dessa forma, é oferecido à criança um tratamento contínuo para otimizar os resultados.

Algumas estratégias para implementar em casa são:

Em geral, a abordagem da hipertonia é multidisciplinar. Além das disciplinas citadas, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais frequentemente também colaboram.

Mãe estimulando músculos bebê.

O segredo é chegar a um diagnóstico precoce

Se você notar em seu bebê algum dos sinais descritos ou detectar uma grande resistência ao mover seus braços ou pernas, não se esqueça de consultar o pediatra. Nessa condição é importante não deixar o tempo passar e fazer os exames necessários para comprová-la.

Uma avaliação precoce ajuda a identificar a causa, iniciar o tratamento adequado e prevenir o desenvolvimento de distúrbios motores na primeira infância.

This might interest you...
8 exercícios para fortalecer os músculos do seu bebê
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
8 exercícios para fortalecer os músculos do seu bebê

A prática de exercícios é recomendável para todas as idades. Fortalecer os músculos do seu bebê vai beneficiar seu sistema locomotor e circulatório...