A importância da educação emocional em sala de aula

8 de novembro de 2019
Trabalhar a educação emocional em sala de aula é possível e importante. Por isso, neste artigo, veremos as razões para essa importância.

Dizem que as habilidades sociais e emocionais são indicadores da capacidade de uma pessoa para se adaptar ao ambiente e à mudança, e que também são indicativas do sucesso futuro. Por essas razões, veremos a importância de trabalhar a educação emocional em sala de aula.

As habilidades básicas de desenvolvimento, tais como consciência, estabilidade emocional, sociabilidade e simpatia podem ser tão importantes quanto, ou até mesmo mais importantes, do que a inteligência cognitiva para determinar o trabalho que uma pessoa terá no futuro.

Para os educadores, pode parecer difícil encontrar maneiras eficazes de priorizar, ensinar e avaliar essas habilidades sociais e emocionais, mas é preciso tentar. É importante lembrar que a questão das emoções não é simplesmente algo que está na moda. É necessário sempre levá-las em consideração e tratá-las com a importância que elas têm.

Toda educação cognitiva também deve envolver a educação emocional e social. Não devemos nos esquecer de que as emoções estão nas nossas vidas o tempo todo, vinte e quatro horas por dia. Convivemos com elas e temos que aprender a lidar com elas.

Trabalhar as emoções em sala de aula é algo diretamente relacionado com o sucesso e a felicidade que uma criança terá quando adulta. Além disso, para muitas crianças, a escola é o único local para lidar com qualquer deficiência nessas capacidades.

educação emocional em sala de aula

Combinar educação emocional e desenvolvimento acadêmico

A combinação dessas habilidades emocionais com o desenvolvimento acadêmico tornará possível a criação de experiências e ambientes de aprendizagem de alta qualidade que vão capacitar os alunos para que eles sejam mais eficazes tanto na sala de aula no presente quanto em seus locais de trabalho e na sociedade no futuro.

Estudos sobre trabalhar a educação emocional em sala de aula

Em Ready to Lead (Pronto para liderar), um relatório para a Colaboração para o Aprendizado Acadêmico, Social e Emocional (CASEL) realizado nos Estados Unidos, com base em uma pesquisa sobre como a inteligência emocional e social pode preparar as crianças e transformar as escolas, existem dados que apoiam a importância de sustentar a educação emocional em sala de aula com o desenvolvimento acadêmico.

O relatório cita uma meta-análise de 2011, na qual foi comprovado que os alunos que trabalham a educação emocional em sala de aula têm um desempenho acadêmico até 11 pontos percentuais melhor do que aqueles que não trabalharam essa habilidade.

Outro estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) também analisou essas habilidades emocionais.

Foi revelado que a falta de trabalho emocional em sala de aula de forma regular pode ter relação com a criação de situações desfavoráveis ​​no futuro. Situações como, por exemplo, aumento da probabilidade de desemprego, divórcio, problemas de saúde e até mesmo comportamento criminoso.

O relatório informa que os avanços na neurociência mostram que trabalhar a inteligência emocional na Educação Infantil é fundamental.

A importância da educação emocional em sala de aula

Trabalhar a inteligência emocional na Educação Infantil pode trazer benefícios acadêmicos a longo prazo. Benefícios como melhorias na capacidade de leitura ou aquisição de vocabulário.

O que os professores pensam em relação a trabalhar a educação emocional em sala de aula?

Segundo o relatório da CASEL, há grande interesse no desenvolvimento da inteligência emocional entre professores e administradores escolares. Os diretores, mais especificamente, geralmente mostram bastante interesse em trabalhar essa experiência.

Quando isso se tornará uma prioridade?

Embora a grande maioria das partes interessadas na educação concorde que se trata de algo importante, isso geralmente é deixado de fora. Os educadores tendem a mostrar mais interesse no desenvolvimento puramente acadêmico do que no desenvolvimento integral da criança.

Pode ser uma questão de tempo para que seja algo amplamente adotado. Mas avanço geral da educação emocional precisa de uma mudança gradual na pedagogia, pois um processo lento e longo, porém muito necessário.

  • Jennifer L. DePaoli, Matthew N. Atwell, John Bridgeland. (2017).Ready to Lead. CASEL.
  • Belfield, C., Bowden, B., Klapp, A., Levin, H., Shand, R., & Zander, S. (2015). The Economic Value of Social and Emotional Learning. New York: Columbia University.
  • Oleksandr S. Chernyshenko, Miloš Kankaraš, Fritz Drasgow. (2018).  Social and Emotional SkillsWell-being, connectedness and success. OECD.