A importância da vitamina A para crianças e gestantes

Saiba mais sobre a importância da vitamina A para crianças e gestantes e também sobre os riscos de suplementá-la sem prescrição médica.
A importância da vitamina A para crianças e gestantes

Última atualização: 08 Março, 2021

A alimentação é um dos pilares fundamentais em todas as fases da vida. Além disso, cada uma dessas fases se caracteriza pela importância de determinados nutrientes. É o que acontece com a vitamina A para crianças e gestantes. Você sabe por que ela é tão necessária ou quais são os riscos envolvidos em suplementá-la além do recomendado?

Primeiramente, é necessário saber que ela é lipossolúvel e, por isso, acumula-se no tecido adiposo do organismo e no fígado, sendo excretado apenas entre 5-20%. Além disso, é fácil suprir as quantidades necessárias por meio da alimentação, já que estas seriam de 400 a 600 microgramas para crianças e de 770 microgramas para gestantes.

É uma vitamina encontrada em vegetais vermelhos e alaranjados e também nos laticínios e nas gemas de ovos. Outra fonte é o óleo de fígado de bacalhau, embora em quantidades muito superiores à ingestão diária recomendada (IDR).

Você sabia que, entre as suas funções, está a diferenciação celular, além da manutenção da boa visão e do sistema imunológico? Fique atenta, pois vamos contar todos os detalhes nas linhas a seguir.

A importância da vitamina A para crianças e gestantes

Por que a vitamina A é importante para crianças e gestantes?

Por um lado, ter bons níveis dessa vitamina evita problemas de visão. Além disso, ao incorporá-la à dieta, o risco de cegueira noturna em gestantes é reduzido.

Por outro lado, ela reduz o risco de infecções, diarreia e sarampo em crianças com níveis baixos. É importante lembrar que após 48 horas da suplementação ela pode causar vômitos e tontura.

Outro efeito sobre a visão em caso de déficit é o aparecimento da xeroftalmia, que se caracteriza por olhos secos e opacidade da córnea.

É necessário ter em mente que não é recomendável tomá-la em doses altas com o objetivo de evitar a morbidade e a mortalidade infantil. Ela também protege a pele e a mucosa digestiva contra a degeneração ou ataques de vírus e favorece o crescimento ósseo. Inclusive, também mantém a boa hidratação, pois estimula a secreção de muco.

Da mesma forma, atua como antioxidante e anti-inflamatório, reduzindo as recidivas de doenças inflamatórias intestinais, tais como doença de Crohn ou a colite.

Os perigos da suplementação com vitamina A durante a gravidez

A deficiência de vitamina A é rara, exceto em países subdesenvolvidos, como, por exemplo, a Índia ou a África do Sul, entre outros. Além disso, como se trata de uma vitamina lipossolúvel, ela se acumula no corpo. Portanto, a suplementação é contraindicada no caso de valores normais.

A principal razão é que ela produz efeitos teratogênicos no futuro bebê. Isso ocorre por meio de malformações, principalmente no crânio, que não se fecha e deixa partes do cérebro desprotegidas.

Também causa abortos e danos ao coração e ao sistema nervoso central. Por esse motivo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) só recomendasuplementação com vitamina A durante a gravidez em países onde o déficit é um problema de saúde pública.

É importante saber que esses distúrbios são irreversíveis. Além disso, vale a pena avaliar se há uma deficiência secundária por causa da má absorção de gorduras.

Outro efeito colateral é o aumento do risco de desenvolver asma na infância após exceder 2,5 vezes a IDR dessa vitamina. Isso foi observado em um estudo de coorte norueguês.

A importância da vitamina A para crianças e gestantes

Além disso, foram encontrados baixos níveis dessa vitamina em crianças com asma, embora ainda não se saiba se isso é uma causa ou uma consequência.

Como incorporar a vitamina A para crianças e gestantes?

Conforme você pôde ver, a vitamina A é essencial para o bom desenvolvimento das crianças, assim como para as defesas e para o sentido da visão.

Assim, é importante consumir diariamente pelo menos uma porção de vegetais crus, tais como tomate ou cenoura. Por outro lado, aproveite o outono para preparar deliciosos cremes com abóbora e batata-doce assada.

Além disso, lembre-se de temperá-los com azeite de oliva virgem para que a vitamina A seja melhor absorvida. Também é aconselhável fazer um refogado ou molho de tomate, já que o calor aumenta a sua disponibilidade.

Em resumo, evite tomar suplementos de vitamina A por conta própria sem consultar um profissional da saúde. Ele será responsável por avaliar o seu caso e o dos seus filhos a fim de estabelecer a dose do suplemento caso seja necessário.

Pode interessar a você...
Raquitismo: deficiência de vitamina D em crianças
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Raquitismo: deficiência de vitamina D em crianças

Os casos de raquitismo por causa da falta de vitamina D diminuíram bastante graças às campanhas de prevenção, pelo menos nos países desenvolvidos.



  • Ferreira Faustino, J; Ribeiro-Silva, A; Faeda Dalto, R; Martins de Souza, M; Marcello Fortes Furtado, J; de Melo Rocha, G et al (2016) Vitamin A and the eye: an old tale for modern times. Arq Bras Oftalmol, 79(1): 56-61.
  • Bastos Maia, S; Rolland Souza, A S; Costa Caminha, M; Lins da Silva, S; de Sá Barreto, R;  Callou Cruz, L; Carvalho Dos Santos, C et al (2018) Vitamin A and Pregnancy: A Narrative Review. Nutrients, 11(3): 681.
  • Thorne-Lyman, A L; Fawzi, W W (2012) Vitamin A and carotenoids during pregnancy and maternal, neonatal and infant health outcomes: a systematic review and meta-analysis. Paediatr Perinat Epidemiol, 26 (S1): 36-54.
  • Imdad, A; Mayo-Wilson, E; Herzer, K; Bhutta, Z A (2017) Vitamin A supplementation for preventing morbidity and mortality in children from six months to five years of age. Cocrhane Database Syst Rev, 3(3)
  • Gannon, B M;Jones, C; Saurabh Mehta, S (2020) Vitamin A Requirements in Pregnancy and Lactation. Curr Dev Nutr, 4(10): 142.
  • McGuire, S (2012) WHO Guideline: Vitamin A supplementation in pregnant women. Geneva: WHO, 2011; WHO Guideline: Vitamin A supplementation in postpartum women. Geneva: WHO, 2011. Adv Nutr, 3(2): 215-6.
  • L Parr, C; C Magnus, M; Karlstad, O; Holvik, K; A Lund-Blix, N; Haugen, M et al (2018) Vitamin A and D intake in pregnancy, infant supplementation, and asthma development: the Norwegian Mother and Child Cohort. Am J Clin Nutr, 107(5): 789-98.
  • Andino, D; Moy, J; Gaynes, B I (2019) Serum vitamin A, zinc and visual function in children with moderate to severe persistent asthma.  J Asthma, 56(11): 1198-1203.