Inflamação das gengivas em crianças: sintomas, causas e tratamento

A inflamação das gengivas em crianças é uma condição irritante que indica que algo não está bem na boca. Você tem interesse em saber mais?
Inflamação das gengivas em crianças: sintomas, causas e tratamento

Última atualização: 29 julho, 2022

Muitas pessoas associam a inflamação das gengivas a uma patologia típica dos adultos, mas a verdade é que também pode afetar as crianças. Continue lendo e descubra quais são os sintomas desse problema gengival, por que ele aparece na infância, como é tratado e o que você pode fazer para evitá-lo.

Sintomas de gengivas inchadas em crianças

A aparência normal das gengivas é rosada, sem inchaço e com bordas bem definidas ao redor dos dentes. Estar atento e prestar atenção à espessura e à cor do tecido gengival do seu filho permitirá que você reconheça se algo está errado.

A inflamação das gengivas (ou gengivite) em crianças é caracterizada por alguns sintomas particulares. A seguir, citaremos os mais relevantes:

  • Vermelhidão: as gengivas apresentam um vermelho vivo e intenso.
  • Edema: a inflamação das gengivas das crianças faz com que o tecido aumente de tamanho, que pareça inchado e que as bordas que envolvem os dentes percam a forma.
  • Sangramento: o tecido gengival sangra durante a escovação dos dentes e, em casos mais avançados, isso ocorre ao menor toque ou durante a alimentação.
  • Mau hálito: o acúmulo de placa bacteriana na boca causa mau cheiro.
  • Sensibilidade: as crianças podem se queixar de sensibilidade a alguns alimentos muito quentes ou muito frios, ou durante a escovação dos dentes.
  • Sensação de dente solto: o pequeno pode sentir que os dentes estão separados ou que as gengivas se movem.
  • Abscessos: nos estágios mais avançados, a gengivite pode ser complicada por infecções que levam a abscessos. São coleções de pus na espessura do tecido gengival.
A gengivite em crianças não é tão comum quanto em adultos, mas é necessário preveni-la com bons hábitos de higiene bucal.
A inflamação das gengivas predispõe ao sangramento diante de pequenos estímulos, como escovar os dentes, comer ou tocar.

Causas de gengivas inchadas em crianças

A principal origem da inflamação gengival em crianças está na má higiene bucal. Como o acúmulo de bactérias e restos de comida não é bem removido pela escovação e pelo uso do fio dental, forma-se uma película pegajosa nas superfícies dos dentes: placa bacteriana.

Minerais na boca podem calcificar essa película e transformá-la em tártaro. Esse acúmulo permanente de placa bacteriana e tártaro no tecido gengival causa irritação e consequente inflamação das gengivas das crianças.

Existem situações na boca das crianças que podem dificultar a higiene dental e predispor ao aparecimento de gengivite. Por exemplo, cáries não tratadas e dentes apinhados favorecem a retenção de bactérias e placa.

A inflamação das gengivas em crianças também pode estar associada ao período de substituição dentária. Muitas vezes, quando o dente de leite está solto, a sensibilidade causa descuido na higiene da área. Com isso aparece vermelhidão, sangramento, inflamação e outros desconfortos na gengiva.

Além das causas já mencionadas, existem outras menos frequentes que podem gerar inflamação nas gengivas das crianças:

  • Infecções: algumas infecções orais, como gengivoestomatite herpética ou candidíase, podem causar inflamação da gengiva em crianças. Esses problemas estão associados a outros sintomas que completam os quadros.
  • Uso de medicamentos: o uso de alguns medicamentos pode causar aumento de volume e alteração da forma do tecido gengival. Por exemplo, medicamentos anticonvulsivantes, como a fenitoína.
  • Alterações hormonais: as alterações hormonais da puberdade podem causar inflamação gengival. Muitas vezes, além disso, há um descuido nos hábitos de higiene, o que agrava a situação.

Tratamento de gengivas inchadas em crianças

O tratamento de gengivas inchadas em crianças é simples e confortável. Pois bem, consiste em melhorar a higiene dental para eliminar e controlar a placa bacteriana que causa o problema. Isso pode ser feito de duas maneiras: em casa e no consultório odontológico.

Atendimento odontológico domiciliar

Para tratar a inflamação das gengivas em crianças, é necessário que os adultos se responsabilizem pelo problema. Ao detectar sintomas de gengivite, é necessário iniciar com uma higiene dental rigorosa e adequada a fim de contribuir para a resolução do distúrbio.

Será oportuno que os pais cuidem da higiene bucal de seus filhos e certifiquem-se de que todas as faces e superfícies de todos os dentes sejam bem escovadas.

Além disso, a ênfase deve ser colocada na higienização da área onde os dentes e as gengivas se encontram. Movimentos suaves, mas concisos, devem ser feitos, na direção da gengiva para a coroa dentária.

A escovação deve durar pelo menos dois minutos e deve ser feita após cada refeição. Usar creme dental com flúor em doses apropriadas para a idade da criança ajuda a controlar a placa bacteriana.

O uso do fio dental também é importante. Pois permite a limpeza da área interdental, onde a escova não consegue acessar.

dentista pediátrico
Marcar uma consulta com o odontopediatra para buscar ajuda profissional é outro passo essencial. Embora a limpeza em casa ajude a melhorar os sintomas, será necessário que o dentista avalie o caso e complete o tratamento.

Tratamento profissional

Ao detectar qualquer um dos sintomas que fazem você suspeitar de que algo está errado com a gengiva do seu pequeno, a primeira coisa a fazer é procurar ajuda profissional. Ir ao dentista pediátrico permitirá diagnosticar o problema, identificar a causa e buscar uma solução oportuna.

Check-ups odontológicos regulares também são fundamentais. Bem, às vezes pode parecer que tudo está bem na boca das crianças, mas algumas patologias só são visíveis aos olhos experientes do dentista. Ir ao dentista pediátrico a cada seis meses é o mais recomendado.

Para tratar gengivas inchadas em crianças, o dentista realiza uma limpeza dental profissional. É um tratamento simples e indolor através do qual são eliminados os depósitos de placa bacteriana e tártaro.

O profissional também utiliza reveladores de placa para ajudar a criança e seus pais a identificar a placa bacteriana e os locais onde ela se acumula. Com isso, os pacientes poderão visualizar o problema e saber em quais locais será fundamental prestar mais atenção.

O ensino e a prática da correta higiene bucal faz parte dos conselhos que o profissional presta aos adultos para que possam cuidar da saúde bucal de seus pequenos. Escolher a escova e a pasta certas, quais movimentos fazer e como usar o fio dental são alguns dos aspectos que o dentista esclarecerá.

Bem, medidas extremas de higiene dental em casa fazem parte do tratamento. O profissional também pode recomendar o uso de um enxaguante bucal por um tempo para controlar o crescimento bacteriano.

Inflamação das gengivas em crianças pode ser prevenida

Com uma rotina de higiene bucal adequada, a inflamação da gengiva em crianças pode ser evitada. Cuidar da limpeza dos dentes do seu filho desde cedo, oferecer a ele uma alimentação saudável e levá-lo ao odontopediatra duas vezes ao ano é fundamental para manter sua boca saudável.

Ensinar as crianças sobre a importância de cuidar da boca é um passo essencial na prevenção da gengivite e de outras doenças bucais. Incutir hábitos saudáveis nas crianças desde cedo é a melhor forma de cuidar da sua saúde.

Pode interessar a você...
Perda de gengiva em crianças
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Perda de gengiva em crianças

A perda de gengiva em crianças não é igual à dos adultos. Falaremos sobre as causas e os tratamentos dessa condição nos pequenos.



  • Sánchez-Pérez, L., Sáenz-Martínez, L., Alfaro Moctezuma, P., & Osorno Escareño, C. (2013). Comportamiento del apiñamiento, gingivitis, higiene oral, caries, flujo salival y bacterias en escolares de 8 y 10 años. Revista ADM70(2).
  • Arela, C. B., Valdivia, S. M., & Alagón, S. C. (2019). Respiración bucal en el altiplano puneño y su relación con la salud gingival en niños de 6 a 12 años. REVISTA DE CIENCIAS NATURALES1(2), 76-85.
  • Martín, M. E., & de Lértora, M. S. D. (2011). Prevalencia de enfermedad gingival en niños con denticion primaria. Revista de la Facultad de Odontología4(1), 19-28.
  • Castro-Rodríguez, Y. (2018). Enfermedad periodontal en niños y adolescentes. A propósito de un caso clínico. Revista clínica de periodoncia, implantología y rehabilitación oral11(1), 36-38.
  • Núñez Picado, B., & Ulate Jiménez, J. (2020). Eficacia en la remoción del biofilme dental con diferentes aditamentos durante la profilaxis dental en pacientes pediátricos. Odontología Vital, (32), 71-78.
  • Herrera Sornoza, R. J. (2021). INFLUENCIA DE LOS CUIDADORES DE LA SALUD BUCAL DE NIÑOS Y NIÑAS ESCOLARES.
  • Martínez, F. G., Acosta, M. D. C. G., Meden, L. K., Nakayama, H. D., & Mendieta, H. N. (2019). Control de la biopelícula dental en niños mediante una estrategia de motivación basada en el uso domiciliario de sustancia reveladora. Revista científica ciencias de la salud-ISSN: 2664-28911(1), 39-45.