Irritações cutâneas nos bebês: o que fazer?

7 de agosto de 2019
Nos primeiros anos de vida do bebê, é normal que ocorram alguns tipos de irritação ou de reação na sua pele. É muito importante que os pais tenham conhecimento sobre cada uma dessas condições para tratá-las de maneira apropriada.

Reações alérgicas, dermatites, eczemas ou espinhas são comuns nos primeiros meses de vida dos bebês. A pele dos pequenos é muito delicada, por isso é aconselhável estar ciente das irritações cutâneas mais comuns que podem aparecer.

O tratamento apropriado varia de acordo com o tipo de erupção cutânea que aparecer. Por isso, aprender a reconhecer as irritações cutâneas nos bebês, bem como saber como tratá-las, será muito útil.

Irritações cutâneas nos bebês: quais são?

Existem vários tipos de irritações cutâneas nos bebês. Dependendo de qual for, haverá um tipo de tratamento determinado. Entre as irritações cutâneas mais reconhecidas, estão a miliária ou brotoeja e as erupções cutâneas, conhecidas como dermatite atópica.

Miliária: como tratar

A miliária é uma das irritações cutâneas mais comuns nos bebês. Essa condição ocorre devido à imaturidade das glândulas sudoríparas nos primeiros anos de vida das crianças. Um exemplo disso é quando agasalhamos demais o bebê para que ele não pegue friagem.

Essas irritações também acontecem em condições opostas ao frio, isto é, quando as crianças estão em ambientes extremamente quentes e com altas temperaturas.

Normalmente, a miliária se resolve por conta própria, não havendo necessidade de aplicar qualquer tratamento. Nesses casos, é importante eliminar ou afastar os fatores que deixam o bebê com calor.

Quando a irritação se torna mais profunda e intensa, e se a inflamação ficar ainda pior, um creme adstringente pode ser aplicado. Diante de casos mais extremos, recomenda-se visitar um dermatologista ou pediatra, que pode aplicar um corticosteroide tópico.

Dermatite atópica

Dermatite atópica: em que consiste?

Quando as crianças têm erupções cutâneas e coceira, estamos diante de uma dermatite atópica. Esta é uma das irritações cutâneas mais comumente observadas nos bebês. É o tipo de eczema mais frequente nos primeiros anos de vida das crianças.

Nos casos de dermatite atópica, é muito importante consultar um médico especializado, seja ele um dermatologista ou pediatra. O profissional, em muitos desses casos, prescreverá um corticoide tópico.

Ao contrário de outras doenças de pele, a dermatite atópica não é contagiosa. Ela ocorre principalmente nos tipos de pele que são muito reativas a agentes externos ou que ficam irritadas em determinadas situações. São irritações que devem ser tratadas o mais rápido possível.

Como tratar a dermatite atópica?

O tratamento dado à dermatite atópica é individual e dependerá do grau de irritação que o bebê tiver. Há ocasiões nas quais a dermatite é muito leve e pode ser controlada apenas com a hidratação. Em outros casos, o tratamento padrão é o uso de corticosteroides tópicos.

Em casos mais extremos, quando o corticoide não funciona, imunossupressores são administrados por via oral. Porém, qualquer tratamento deve ser supervisionado e controlado por um profissional de saúde especializado.

Recomendações para evitar irritações cutâneas nos bebês

Primeiramente, é necessário identificar os fatores irritantes e desencadeantes das irritações. Isso é realmente útil para saber o que considerar a fim de evitar as irritações cutâneas nos bebês. Devemos, portanto, tentar localizar os fatores que as desencadeiam, tais como pele seca, estresse, infecções ou substâncias irritantes.

Também é necessário levar em consideração o tipo de roupa que é usado: esse é um aspecto muito importante. Qualquer roupa apertada, áspera e irritante, tais como roupas de tricô, de couro ou de tecido sintético, é muito desfavorável para peles dermatologicamente complicadas.

Recomendações para evitar irritações cutâneas nos bebês

“Ao contrário de outras doenças de pele, a dermatite atópica não é contagiosa. Ela ocorre principalmente nos tipos de pele que são muito reativos a agentes externos”.

O ideal é vestir os bebês com roupas feitas de algodão para evitar irritações. Nesse aspecto, também deve-se evitar agasalhar os bebês excessivamente, já que isso tende a causar transtornos.

Para o momento de lavar a roupa, é conveniente usar um sabão ou um sabão em pó que seja suave. Além disso, é fundamental usar um bom alvejante sem cloro e evitar o uso excessivo de amaciantes. Dessa forma, o contato das roupas com a pele não causará nenhum tipo de alergia.

No ambiente doméstico, é aconselhável evitar a exposição excessiva à poeira que é gerada em casa e que está no ambiente, pois ela pode causar eczema. Para os bebês com a pele mais frágil, é aconselhável manter os animais domésticos fora de casa, já que o pelo deles geralmente causa reações alérgicas.

Em resumo

As irritações cutâneas nos bebês são mais comuns e rotineiras do que se acredita. Por isso, é bom sempre estar informado sobre elas para saber quais são os cuidados de que os bebês precisam se tiverem esse problema.