Por que os bebês jogam tudo no chão?

· 27 de junho de 2017

Como se fosse um grande desafio, os bebês vivem uma fase na qual a melhor habilidade que possuem é jogar tudo no chão. Você quer saber por que eles fazem isso?

Certamente seu pequeno já te surpreendeu várias vezes com essa habilidade de jogador de beisebol, jogando tudo o que tiver nas mãos diretamente ao chão. Talvez no começo você visse isso como um ato de rebeldia ou uma reação para chamar sua atenção até que percebeu que se tornou uma prática corriqueira.

Brava, com cara de assustada ou dando risada, você vai pedir para que eles parem de fazer isso porque podem quebrar algo importante ou machucar alguém com um lançamento certeiro. Mas nós temos uma boa notícia: essa habilidade não é nada mais que uma das primeira atividades do bebê que o permite conhecer o mundo.

Seu bebê está descobrindo o mundo todas as vezes que joga alguma coisa no chão

Quando ele joga um objeto, precisa medir a força com que vai realizar essa ação, a distância, ter um objetivo fixo, ficar em uma posição específica, prestar atenção ao que está em volta, etc Essa é a experiência que seu pequeno está tentando adquirir todas as vezes que joga alguma coisa.

Se ele já fez isso mil vezes, você deve se preparar porque vai fazer mais mil.  E sinta-se feliz e agradecida porque esse sinal de evolução e crescimento se soma à lista de capacidades que seu bebê associa para enfrentar outros desafios na vida. Oriente e ensine o bebê a ser cauteloso, a identificar o perigo e reconhecer os materiais mais delicados.

Jogar tudo no chão: uma fonte de aprendizado

no chão

Vimos como o corpo do amor da sua vida está se preparando para ficar mais forte e ágil com o simples fato de jogar tudo no chão. Assim, chegou a hora de orientá-lo nesse trabalho que, para tão pouca idade é uma odisseia cheia de desafios e conquistas dignas de um super-herói.

Nesse sentido, antes de começar essa tarefa, é fundamental conhecer com detalhes o que está aprendendo esse pequeno anjo travesso que tanto lhe impressiona com a força que tem:

Descobre o que acontece com o objeto

Se quebra, se provoca sons diferentes, ou se fica parado no mesmo lugar. Certamente, uma dúvida que produz mil perguntas que se confirmam com a prática, ou seja, jogar quantas vezes forem necessárias até comprovar que essa é a resposta.

Mede as distâncias

Mesmo que você não acredite, nessas situações o bebê se utiliza de dois dos grande sentidos, a visão e a audição. No caso do primeiro, analisa a trajetória do objeto em questão: observa como muda de tamanho na medida em que se afasta até ficar pequeninho. Quanto ao segundo, se demora para cair, quer dizer que foi longe e vice-versa.

Testa suas habilidades

Vale a pena continuar tentando com esse objeto? Devo continuar com a exploração? Entendi o que acontece quando jogo com força? Será que vai reagir diferente?

Aprende a relação entre causa e efeito

Após a decisão de jogar o objeto o bebê descobre o que acontece. A fragmentação de um objeto frágil, a reação de medo do papai e da mamãe, um barulho alto que chama a atenção das pessoas, a bronca do papai e da mamãe, etc…

Interação social

O bebê vai perceber que se esse objeto despertar o interesse das pessoas à sua volta e essas pessoas brincarem com ele, vai conseguir criar momentos mágicos para dividir com as pessoas e vai perceber que tem a oportunidade de criar conexões. No futuro, isso vai ser essencial ao seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Definitivamente, nosso pequeno cientista responde às próprias necessidades de exploração e verificação com rapidez e astúcia.

O que podemos fazer para melhorar essa experiência?

no chão

A menos que o bebê jogue algo frágil ou que pode provocar danos maiores, não o repreenda. No lugar disso, concentre-se em ensiná-lo o quê e onde pode jogar. Certamente, não o deixe ser agressivo nesses lançamentos e convide-o a recolher as coisas com você para, assim, criar o hábito de ser organizado.

Não o repreenda sem necessidade, ensine com o seu exemplo e vai perceber os resultados.

Ensine com seu exemplo o que é permitido, como jogar as calcinhas ou cuecas no cesto de roupa suja, ou os papéis no lixo. Pouco a pouco, a criança vai entender e isso certamente vai trazer benefícios.