Paciência, uma virtude essencial para os pais

18 Agosto, 2020
Você sabia que a paciência é a melhor virtude que um pai ou mãe podem ter? Sim, porque se você for paciente, poderá ensinar seus filhos a agir com calma e aproveitar a vida.

Criar um filho não é uma tarefa fácil. Embora outras pessoas possam querer te convencer do contrário, há certas habilidades a serem trabalhadas quando se entra para o “mundo dos pais”. Neste artigo, vamos falar mais sobre a paciência, uma virtude que todos os pais deveriam ter.

A paciência deve ser cultivada para ser colhida

Nem todos nascemos com a paciência como a principal virtude… ou então podemos pensar que somos pacientes até o nascimento dos nossos filhos. A vida como pais se torna completamente diferente da anterior, e é por isso que devemos desenvolver novos hábitos e maneiras de ver o mundo.

Desde o primeiro momento em que o bebê chega em casa, precisamos nos acostumar com seus horários e suas exigências. Não existe mais o que nós queremos, e sim o que ele ou ela quer. Fazer essa mudança necessária pode levar algum tempo. 

Não perder o controle, relaxar e manter a calma são dicas fundamentais nesse processo. E isso não é tudo: afinal, quando começamos a nos acostumar com o bebê, ele cresce e começa a andar. Com isso, surgem as primeiras travessuras e a necessidade de se tornar ainda mais paciente.

A sabedoria popular diz que pressa e crianças não são compatíveis. Os pequenos olham o mundo de uma maneira diferente, concentrando-se em coisas que nós negligenciamos, repetindo músicas, movimentos e palavras inúmeras vezes.

Eles também riem duzentas vezes se repetirmos o mesmo gesto engraçado, ficam impressionadas nas centenas de vezes em que mostramos um brinquedo saindo de uma caixa ou adoram ouvir a mesma música no rádio repetidamente. Para isso, a paciência dos pais também é necessária.

Ser paciente não significa meditar ou se tornar um monge budista, e sim se colocar no lugar do outro e entender que uma criança vai fazer as coisas de uma maneira totalmente diferente de um adulto. É preciso entender que o nervosismo não ajuda, pois tem efeitos negativos para a educação.

Paciência

Como desenvolver a paciência como pais

Muitas vezes – mais do que o esperado – os pais descarregam suas frustrações, problemas e estresse nos filhos. Eles não percebem que a falta de paciência gera filhos inquietos, que gritam por tudo ou que não se dão bem com os outrosPreste muita atenção às seguintes dicas para cultivar a paciência depois de se tornar mãe ou pai:

1. Afaste-se um pouco

Tudo bem ficar em casa cuidando das crianças, mas, de vez em quando, você precisa de um tempo para você mesma. Ou seja, sair com as amigas, ir ao salão de beleza ou tirar uma tarde para tomar um café sem que ninguém fale com você.

Cuidar de si mesma não é uma atitude de uma pessoa egoísta, e sim de uma boa mãe. Você vai voltar renovada e tranquila para continuar com suas tarefas.

2. Não transforme tudo em drama

Se vocês se atrasarem ​​porque a criança ficou admirando uma borboleta ou uma formiga no caminho, peça desculpas e continue com sua vida. Ou então, da próxima vez, saia de casa meia hora antes.

Não exija que o seu filho aprenda de primeira, porque ele não vai fazer isso apenas porque você está pedindo. Você não se lembra, mas você também já foi uma criança e teve que praticar várias vezes antes de conseguir algo que agora parece simples.

“As crianças olham o mundo de uma maneira diferente, concentrando-se em coisas que nós negligenciamos, repetindo músicas, movimentos e palavras inúmeras vezes”.

3. Pense como uma criança

Outra ótima maneira de incentivar a paciência é se colocar no lugar das crianças. Não é nada mal voltar à infância e prestar atenção ao que agora ignoramos. Uma flor, uma folha que cai de uma árvore, tudo tem sua magia e vale a pena apreciar essa beleza.

Brincar na grama, molhar-se na chuva ou acampar sob as estrelas são atividades que também podem ser muito eficazes para desenvolver a paciência e se desconectar um pouco da rotina acelerada que geralmente mantemos.

Paciência

4. Use um tom de voz calmo

Os gritos e a paciência não combinam! São coisas completamente incompatíveis. Portanto, comece a falar com uma voz mais calma, usando um tom menos imperativo. Faça isso não apenas quando você estiver com seus filhos, mas também em qualquer outra situação. Você vai perceber como as coisas serão melhores para você.

Ser mãe ou pai não é uma tarefa fácil. Mas você certamente já sabe disso! É um aprendizado constante. Sim, porque não são apenas as crianças que aprendem algo novo todos os dias.

Por isso, faça o possível para desenvolver a paciência conforme os desafios forem aparecendo. Assim, você será um excelente exemplo para os seus filhos!

  • Bettelheim, B. (1997). No hay padres perfectos. Grijalbo Mondadori.
  • Isaacs, D. (2003). La educación de las virtudes humanas y su evaluación (No. 370.034 Is14e Ej. 1 022524). EUNSA.
  • Snel, E. (2013). Tranquilos y atentos como una rana: la meditación para los niños con sus padres. Editorial Kairós.