Parto: técnicas para aliviar a dor e dilatar melhor

16 de maio de 2017

Quando pensamos sobre a dor do parto nos dá um pouco de medo. Essa dor é tão real quanto intensa. Mas temos boas novidades: o seu corpo é capaz de lidar com isso, e existem técnicas que ajudam a aliviar a dor e dilatar melhor.


Minha mãe diz que durante o parto “se sente dor.” Com esta expressão quer explicar que na sua experiência, ela somente sentiu uma dor intensa que passou rapidamente, mas apesar da história dela ser válida, dizem os especialistas que no parto há duas etapas com diferente gênese da dor.

A primeira surge no período da dilatação, quando o tipo predominante de dor é visceral. Sua intensidade está diretamente relacionada com a pressão exercida pelas contrações.

E a segunda fase é no período expulsivo, quando se adiciona uma dor somática grave e melhor localizada, o que é devido ao efeito de compressão da cabeça do bebê sobre as estruturas pélvicas, explica um documento de protocolo de parto elaborado pela Sociedade Espanhola de Ginecologia e obstetrícia (SEGO).

Como aliviar a dor

Esse documento explica que existem métodos farmacológicos e não farmacológicos para aliviar a dor do parto.

Métodos não farmacológicos de eficácia comprovada:

• Apoio durante o parto.
• Injeção dérmica de solução salina estéril.
• Imersão em água.

De eficácia pouco documentada:

• Psicoprofilaxia.
• Hipnose.
• Acupuntura.

Métodos farmacológicos eficazes

• Anestesia inalatória.
• Analgesia parenteral (intramuscular ou intravenosa).
• Raquianestesia (peridural e subaracnoidea).
• Anestesia geral.

Antes de explicar-lhe algumas técnicas para controlar a dor, vamos expor algumas técnicas de dilatação retiradas de documentos acadêmicos, como o Guia sobre atendimento ao parto normal e as notas do protocolo de SEGO.

7167903447_40f0b853ae_n

Técnicas de dilatação

O surgimento de contrações cada vez mais frequentes e intensas normalmente são o primeiro sinal de que o trabalho de parto começou. Graças a eles você vai prestar atenção ao que está acontecendo e poderá tomar as decisões mais adequadas.

As contrações vão se tornando rítmicas e dolorosas emagrecendo o colo do útero gradualmente, mudando-o para uma consistência macia e dilatando-o.

Durante o processo de dilatação os especialistas aconselham a não permanecer necessariamente deitada, mas mover-se e adotar qualquer posição que você encontrar confortável durante todo o período de dilatação.

Também é bom beber líquidos claros (água, sucos sem polpa, chá ou café, e isotônicos). As bebidas isotônicas são as mais recomendáveis, pois além de hidratar, providenciam pequenas quantidades de glicose e previnem a Cetose.

Algumas posições confortáveis para evitar que você fique deitada de costas, estas são as verticais (sentada, de pé, de cócoras) ou laterais (deitada de lado). Estes estão associados com trabalhos expulsivos de menor duração.

Além disso, as mulheres que adotam a posição de apoio de mãos e joelhos acharam que é a mais confortável para dar à luz, e relataram dor lombar e menos dor pós-parto perineal, segundo as notas do Guia sobre os cuidados no parto.

Aplicar compressas quentes sobre o períneo durante o parto; e evitar a massagem perineal, como fazer os puxamentos espontaneamente são alguns dos conselhos.

6986603836_61cfcf43c8_n

Técnicas para aliviar a dor

Entre os métodos não farmacológicos de eficácia comprovada tem destaque no apoio durante o parto. Isto, à primeira vista parece uma recomendação hippie, mas está cientificamente provado.

Após a revisão Cochrane publicada em 2006, o apoio contínuo da mãe deve ser considerado eficaz no alívio da dor. Nesta revisão há 15 estudos com um total de 12.791 mulheres.

Uma das conclusões, é que as mulheres que receberam apoio contínuo no intraparto eram menos propensas a qualquer tipo de analgesia durante o intraparto, ou por se mostrarem insatisfeitas na experiência do parto tiveram menos partos instrumentais.

O acompanhamento durante o parto oferece segurança, aumenta a tolerância à dor das contrações, e facilita o andamento do trabalho de parto. A pessoa que acompanha você durante o parto deverá ser cuidadosamente escolhida.

O seu acompanhante precisa saber como você quer vivenciar o parto e ser capaz de cuidar de você, lhe apoiar e  incentivar em todos os momentos, sem ser levado pelos nervos ou envolvimento emocional.

Agora entre os métodos não farmacológicos de eficácia pouco documentada está a acupuntura. Apesar de numerosos estudos terem avaliado o benefício da acupuntura para alívio da dor durante o parto, foi anunciado uma eficácia de 63% ou uma redução na necessidade de analgesia de até 94%.

Analgesia espinhal: peridural e intramural

Um dos métodos farmacológicos comprovados é a analgesia espinhal porque proporciona alívio da dor durante todos os períodos de parto.

O seu efeito é superior a qualquer outra analgesia sistêmica e é altamente seguro. É, portanto, o método de escolha para o alívio da dor do parto, e deve estar disponível para todas as mulheres em trabalho de parto.

Especialistas dizem que o simples pedido da mãe, na ausência de contraindicações é indicante suficiente para o uso dessa analgesia, pois é a indicação mais eficaz e segura.

Além disso, em situações especificas, apresenta benefícios não fornecidos por outros tipos de analgesia, devido a isso sua administração é particularmente indicada e é trabalho do obstetra informar adequadamente sobre ela, coisa que sem dúvida irá incentivar a mãe a solicitá-la.

A analgesia peridural (raquianestesia) é o método para aliviar a dor mais estudado e difundido, porém quando aplicado você não sentirá as contrações, então eles terão que lhe dizer quando contrair.