Possíveis complicações no parto e como evitá-las

· 7 de fevereiro de 2017

As complicações do parto são o grande temor de toda mulher grávida, porém, isso não é algo que deveria acontecer normalmente. Em geral, o parto se produz de maneira normal, mas existem circunstâncias que podem chegar a causar complicações.

Hoje em dia, o mais comum é que as mulheres deem a luz em uma maternidade e que todo o processo de gestação tenha sido controlado por um especialista. Portanto, as complicações podem ser atendidas a tempo. Apesar de que qualquer circunstância adversa pode ser controlada, sempre existe a possibilidade que o parto se converta em um processo especial.

De maneira que as dificuldades potenciais estejam sendo avaliadas pelos especialistas por meio do controle pré-natal, isto implica que se indique um tratamento dirigido para atender a dificuldade. Para ela está destinada a consulta pré-natal, pois a maioria dos casos pode ser antecipada através de exames.

Causas das complicações no parto

As causas que originam possíveis complicações no parto são diversas e em geral evidentes: estão relacionadas à obstrução, incapacidade do feto para descer ou falta de dilatação. É comum que as dificuldades apareçam na primeira etapa do processo de parto, pelo qual a solução se pode converter em um atendimento prolongado.

Entre as dificuldades mais comuns que podem se apresentar no parto temos:

• Obstrução fetal

Se refere à dificuldade apresentada pelo feto para descer. As causas se devem geralmente à posição em que começa a descer, por exemplo, de cabeça, de pé ou com as nádegas à frente. Do mesmo modo, pode tratar-se de algum emaranhado com o cordão umbilical, anormalidade ou tamanho desproporcional.

1b691878b7b4064ecfddc053d6d1cba4

• Obstrução do canal

Neste caso, o obstáculo para o feto é originado pela mãe e pode se tratar de uma anormalidade no conduto uterino ou desproporção da pélvis óssea, presença de tumores, fibromas ou cistos.

• Contração excessiva do útero

Quando o útero se contrai excessivamente é capaz de originar um anel muscular, o que provoca um encolhimento do colo uterino. Isto além de impedir a descida do feto também evita que as contrações se propaguem da maneira correta. Não é uma condição muito comum, mas pode ser ocasionada em casos de uma super estimulação por oxitocina.

• O feto não desce do útero

Existem muitas causas pelas quais o feto não consegue dar sinais de que nascerá por via vaginal. Isto é algo que se pode avaliar nas semanas anteriores ao parto. Em geral, é a desproporção entre a cabeça do feto e o conduto cervical, pelo que é fácil de diagnosticar com antecedência.

Obstruções ou falta de mobilidade no feto devido à anormalidade é uma causa provável que impede que ele desça pela cavidade vaginal.

• Não há suficiente dilatação do canal uterino

Isto acontece devido às contrações serem pouco frequentes e fracas, impedindo uma dilatação rápida e apropriada. Também pode ocorrer que o útero não se contrai na parte superior, algo necessário para estimular a descida do feto, e ao invés disso a contração acontece na parte inferior, onde se produz menos efeito.

• Parto prolongado

Ocorre quando as contrações não são suficientes para que o feto desça. Qualquer das causas mencionadas anteriormente podem ser a razão pela qual um parto se prolongue mais que o seu tempo habitual. Isto traz como consequência o esgotamento da mãe e do bebê.

87c6fd01325c37432b241ae99fb07503

• Parto prematuro

Se trata de um nascimento antes das 37 semanas correspondentes. Em geral, as causas de um parto prematuro são desconhecidas, porém, em sua maioria, estão relacionadas com anormalidades no útero, casos de pré-eclampsia, estresse, gravidez múltipla e ou ruptura da membrana.

Controle pré-natal

A maioria das causas que provocam complicações no parto pode ser detectada nas consultas pré-natais, as quais permitiram que se tomem as medidas necessárias para impedir problemas maiores, quando finalmente nascer o bebê. Entretanto, uma das complicações menos esperadas se produz por causa de um parto prematuro, que como é de se supor, fora de seu tempo previsto.

Em todo caso, acredita-se que a maioria dos partos previstos para terminar antes das 37 semanas, acaba sendo avisos falsos. Quer dizer, que o aparente nascimento não ocorre e pode ser controlado clinicamente para que se prolongue o tempo que faça falta para conseguir o total amadurecimento do feto.