Radiografia odontológica: o que você precisa saber

Muitas mães param de ir ao dentista durante a gravidez por medo de precisar fazer uma radiografia odontológica. Você já pensou sobre isso? Neste artigo, vamos tentar solucionar seus medos.
Radiografia odontológica: o que você precisa saber

Última atualização: 18 Agosto, 2021

Muitas mulheres grávidas param de ir ao dentista durante a gravidez com medo de que os tratamentos dentários coloquem em risco a saúde do bebê. A possibilidade de precisar fazer uma radiografia odontológica ou de precisar tomar anestesia por algum motivo são medos comuns.

A verdade é que todas as mulheres devem ir ao dentista uma vez a cada trimestre da gravidez, pois durante a gestação ocorrem mudanças em todo o corpo, inclusive na boca. Controlar a saúde bucal e prevenir complicações é essencial em qualquer momento da vida.

Quando a mulher precisar fazer algum tratamento, o dentista saberá como e quando solicitá-lo para evitar riscos à saúde da mãe e do feto.

A seguir vamos falar sobre a radiografia dentária, um método diagnóstico que pode ser necessário e muito temido na gravidez.

O que é uma radiografia odontológica?

 

Mulher fazendo um raio-x odontológico

A radiografia odontológica é uma imagem dos elementos dentários e das estruturas da boca, obtida com o uso dos raios-X. Essa radiação penetra e atravessa o corpo, formando uma projeção das estruturas em um filme ou tela especial.

Estruturas mais densas, como o osso compacto, o esmalte dentário e as obturações de metal, bloqueiam a maioria dos raios e são refletidas em branco. Em contraste, os tecidos moles e as áreas de conteúdo orgânico são refletidos em tons de cinza. O ar ficará preto na imagem.

Existem diferentes tipos de procedimentos radiográficos que permitem obter imagens da cavidade oral. Cada um deles é usado para um propósito diferente. Abaixo, listamos os mais frequentes.

Radiografia panorâmica

Para obter esse tipo de imagem, é utilizado um dispositivo especial que gira 360 graus em torno da cabeça do paciente. Essa radiografia permite obter uma imagem detalhada das mandíbulas e de todos os elementos dentários em um único disparo. Embora muitas informações possam ser coletadas ao mesmo tempo, é a que mais usa radiação.

Tradicional intraoral

Essa radiografia permite obter imagens de um ou dois dentes completos e da área ao redor deles. Também serve para observar as porções coronárias de ambas as arcadas, superior e inferior, ao mesmo tempo. A radiação usada nesse estudo é muito baixa.

Intraoral digital

São feitas da mesma forma que as anteriores, mas as imagens são obtidas digitalizadas em um computador. A radiação usada com essa técnica é mínima.

Fazer uma radiografia odontológica não causa nenhum desconforto ou incômodo. Contudo, quando o equipamento precisa ser posicionado em áreas muito posteriores ou profundas, os pacientes podem sentir náuseas.

Quando uma radiografia odontológica é necessária?

A radiografia odontológica é um método complementar de diagnóstico de grande utilidade para o dentista. Ela fornece informações valiosas sobre a condição do paciente, que não podem ser obtidas com um simples exame físico.

Existem algumas patologias que não podem ser observadas a olho nu, como abscessos, cistos, alguns tumores, fraturas e cavidades interproximais. Em todos esses casos, as radiografias são essenciais.

Além disso, esses estudos são usados para tomar decisões antes de realizar alguns procedimentos, ou para saber o estado dos dentes e da estrutura óssea ao redor.

As radiografias dentárias prévias aos tratamentos ortodônticos, às cirurgias e à colocação de implantes são essenciais para o correto planejamento terapêutico.

Finalmente, esses estudos de imagem são muito úteis para garantir que o procedimento está sendo realizado corretamente. As radiografias odontológicas realizadas no contexto de canais radiculares ou implantes ajudam o dentista a continuar com o processo ou corrigir certas manobras.

É perigoso fazer uma radiografia odontológica durante a gravidez?

Embora nem sempre seja necessária, a radiografia dentária muitas vezes ajuda a obter um diagnóstico preciso de uma condição de saúde ou a melhorar os resultados de um procedimento odontológico.

Em todos os pacientes, principalmente em gestantes, esse exame só será realizado se a causa justificar.

Dependendo do estado de saúde da gestante, será avaliada a conveniência do uso desse método complementar durante a gestação ou de seu adiamento para o pós-parto. Se a urgência for necessária, o dentista tomará as medidas cabíveis para não colocar em risco a mãe ou o bebê.

O feto é mais sensível à radiação do que a gestante, por isso é importante colocar uma proteção na barriga para diminuir a penetração dos raios-X. Se for possível realizar o estudo com equipamento digital, essa forma deve ser a escolhida.

Mulher fazendo exame no dentista.

 

É importante saber que a quantidade de radiação usada para as radiografias odontológicas é mínima, e há evidências que sugerem que essas práticas não afetam o feto. De qualquer modo, é aconselhável evitá-las sempre que possível, especialmente nas primeiras semanas de gravidez.

Confie no dentista

Garantir uma ótima saúde bucal durante a gravidez é essencial. Isso evita complicações associadas a dores ou infecções na gestante, como partos prematuros, contrações ou crianças com baixo peso ao nascer.

Resolver qualquer problema na boca reduz o risco de ocorrência desses problemas durante a gravidez. Por esse motivo, é importante comparecer às consultas com o dentista a cada trimestre. O profissional pode definir a necessidade de realizar tratamentos durante a gravidez ou não.

Confiar no dentista e manter uma rotina adequada de higiene bucal permitirá que a gestante sorria com tranquilidade, enquanto espera a chegada do seu bebê.

Pode interessar a você...
Dentes sensíveis durante a gravidez: o que fazer?
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Dentes sensíveis durante a gravidez: o que fazer?

Os dentes sensíveis durante a gravidez são um incômodo bastante comum. Continue lendo para descobrir por que e como evitá-los.



  • Veliz Vaca, Violeta. Factores que influyen en la inasistencia de las mujeres embarazadas a la atención odontológica durante los controles prenatales en seis centros de salud de primer nivel en Cercado, Cochabamba, Bolivia. Gaceta Médica Boliviana 41.1 (2018): 20-23.
  • Altamirano, Carla Andrea Arias, and Fadya Orozco. Conocimientos, actitudes y prácticas de embarazadas en control prenatal relacionadas con salud oral y embarazo, de mujeres que acuden a consulta externa del Hospital Gíneco Obstétrico Isidro Ayora. Odontoinvestigación 3.1 (2017).
  • Andreina, Curiel Álvarez, and Dorta Diana. Abordaje clínico odontológico de la mujer embarazada. Revisión de la literatura Odontological clinical approach of pregnant women. Review of literature. ODOUS CIENTIFICA 20.1 (2019).
  • Alfaro Alfaro, Ascensión, et al. Embarazo y salud oral. Revista Clínica de Medicina de Familia 11.3 (2018): 144-153.
  • Ubeda, Carlos, Diego Nocetti, and Marco Aragón. Seguridad y protección radiológica en procedimientos imagenológicos dentales. International journal of odontostomatology 12.3 (2018): 246-251.
  • Visbal, Jorge Homero Wilches, Midian Clara Castillo Pedraza, and Helen Jamil Khoury. Protección Radiológica en Radiología Dental. CES Odontología 34.1 (2021): 75-90.
  • Macías, Maholy D. Muñoz, Nicolle V. Muñoz-Macías, and Julio C. Jimbo-Mendoza. Algunas consideraciones acerca de la radiografía panorámica. Polo del Conocimiento 2.3 (2017): 103-111.
  • Álvarez, Renzo Ismael Ayala, and Gustavo Fiori Chíncaro. Revisión de las principales normas de protección radiológica para el uso de equipos de rayos x en odontología. Revisión de literatura. Revista Científica Odontológica 7.2 (2019): 119-133.
  • Lomas Delgado, Génesis Adamari. Conocimiento de las gestantes sobre la relación entre enfermedades bucodentales y complicaciones del embarazo. BS thesis. Universidad de Guayaquil. Facultad Piloto de Odontología, 2021.