O que é a raiva esportiva e como ela afeta as crianças

Aprenda sobre a raiva esportiva, uma das emoções mais comumente vivenciadas por atletas de todas as idades.
O que é a raiva esportiva e como ela afeta as crianças

Última atualização: 23 Outubro, 2021

Você já ouviu falar da raiva esportiva? Você acha que seus filhos já sentiram isso? É possível, uma vez que todas as emoções fazem parte da natureza humana e nenhuma pessoa é alheia a elas. Muito menos as crianças.

Como mãe, você deve entender que seus filhos devem experimentar todos os tipos de emoções e sensações ao longo da vida. Limitá-los apenas à felicidade pode ser contraproducente.

Por esse motivo, queremos explicar como lidar com esses episódios de raiva esportiva, para que você possa acompanhar o seu filho da melhor forma possível.

O que é a raiva?

De modo geral, a raiva é um dos sentimentos mais comuns nos humanos. É uma emoção primária, que surge quando somos incapazes de atingir nossos objetivos. Geralmente, ela se manifesta por meio de irritabilidade ou indiferença para com as pessoas do meio ambiente.

Muitas circunstâncias podem desencadear raiva ou irritação, até mesmo as questões mais simples da vida, uma vez que cada pessoa tem um limite diferente para suas emoções.

Por sua vez, isso se aplica a adultos e crianças e é o ponto-chave para ensinar a reconhecer os sentimentos da infância.

Raiva esportiva em crianças

goleiro goleiro futebol zangado triste zangado por perder arco de bola perdida

A raiva aparece em qualquer contexto da vida da criança: nas atividades diárias em casa, na escola ou no clube.

O âmbito esportivo é um ambiente propício à raiva e às frustrações, pois nele enfrentamos constantemente desafios e a possibilidade de perder ou fracassar.

Nas crianças, a raiva esportivo não é muito diferente do que nos adultos. Contudo, as crianças podem não compreender totalmente o tipo de sentimento com que estão lidando.

Independentemente da disciplina esportiva, a raiva está na ordem do dia. Nas primeiras vezes, essa emoção pode surgir de eventos traumáticos com os quais elas não foram capazes de lidar. Mas com o passar do tempo e o acompanhamento correto é possível controlar esse sentimento.

A raiva afeta as crianças?

O desejo de destruição costuma acompanhar episódios de raiva e muitas vezes é a causa de brigas ou desentendimentos.

A raiva esportiva definitivamente afeta as crianças, em maior ou menor grau. As agressões verbais ou físicas, tanto em relação a si mesmas quanto aos colegas, são um exemplo perfeito disso.

Além de motivar a violência, a raiva esportiva também afeta o desempenho esportivo, pois leva à perda de concentração e ao direcionamento desejado no esporte.

Os pais e a raiva esportiva

Na maioria dos casos, os pais são os principais culpados pela má administração da raiva de seus filhos. Muitas vezes são pais superprotetores, que fazem o impossível enquanto seus filhos vivem em um mundo de felicidade e conforto.

Aconselhamos todos os pais a não criarem uma bolha na vida dos seus filhos, porque quando ela estourar poderá ser muito perigoso.

Procure acompanhar seus filhos para que eles aprendam a reconhecer, aceitar e expressar suas emoções. E com relação à raiva, veja o que a desencadeia e quais recursos eles têm para lidar com ela.

De acordo com um estudo publicado no European Scientific Journal, as crianças manifestam a raiva por meio de irritabilidade e respostas agressivas. Então, por meio desses comportamentos, você pode identificar a raiva delas com mais facilidade.

Uma boa forma de orientar as crianças é incentivar que esses tipos de episódios ocorram no contexto doméstico. Aproveite os ambientes controlados e ensine seus filhos a reconhecer seus próprios limites e a encontrar uma maneira de canalizar suas emoções de forma saudável para voltar à calma.

Com o passar do tempo, os pequenos poderão transferir esse aprendizado para o meio esportivo. Não se esqueça de que é um trabalho árduo e intenso, no qual a sua paciência será posta à prova.



Raiva esportiva, algo que você deve aproveitar

Independentemente do tipo de emoção que as crianças experimentam, rotulá-las como boas ou más desde o início é um erro. As emoções existem para serem vividas e cada uma delas tem um significado válido.

Com relação à raiva esportiva, muitos atletas costumam tirar vantagem dela como um estímulo motivacional para melhorar seu desempenho atlético.

De acordo com um estudo sobre esportes de combate, a raiva esportiva é um componente fundamental na prática para melhorar os resultados. Porém, é aconselhável trocar o termo raiva por intensidade esportiva, para evitar sua conotação negativa.

Deve-se notar que a raiva esportiva em crianças deve se concentrar em si mesmas e não no oponente. A competição com terceiros passa para o segundo lugar durante a infância.

conceito esporte rivalidade raiva jogadores crianças futebol

Raiva esportiva, apoio profissional e social

Como mãe, você deve ser a primeira pessoa a apoiar e ensinar seus filhos a lidarem com a raiva esportiva. Além disso, existem outros recursos humanos que podem ser de grande ajuda.

Familiares, amigos e pessoas próximas devem funcionar como uma segunda linha de apoio para a criação dos filhos.

Por último, mas não menos importante, o apoio profissional deve ser levado em consideração quando o ambiente da criança não conta com ferramentas suficientes para ensiná-la a controlar a raiva.

Lembre-se de que as emoções não devem ser menosprezadas, especialmente em um estágio tão sensível como a infância.

Pode interessar a você...
Esportes para crianças agitadas
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Esportes para crianças agitadas

Os esportes recomendados para crianças agitadas contribuem para o controle da hiperatividade, bem como para o desenvolvimento físico e psicológico.



  • Oliva Mendoza, F., Calleja Bello, N., & Hernández Pozo, R. (2012). Escala de creencias sobre la ira en el deporte de combate con atletas Mexicanos. Revista Internacional de Medicina y Ciencias de La Actividad Fisica y Del Deporte. http://cdeporte.rediris.es/revista/revista45/artescala276.pdf
  • Ortega-Andrade, N. A., Viramontes-Martínez, L. M., & Jiménez-Rodríguez, D. (2021). El enojo desde la perspectiva de un grupo de niños y niñas mexicanos. European Scientific Journal ESJ. https://doi.org/10.19044/esj.2021.v17n5p51