Você sabe o que é a escarlatina em crianças?

A escarlatina é uma daquelas doenças capazes de causar vários sinais e sintomas, incluindo marcantes alterações cutâneas. Descubra mais a seguir.
Você sabe o que é a escarlatina em crianças?

Última atualização: 31 Agosto, 2021

A escarlatina é uma infecção comum na infância. É uma doença do mesmo tipo do sarampo, da catapora e da rubéola. Porém, não é de tipo viral como as doenças anteriores, então o tratamento é diferente.

Essas doenças são conhecidas como exantemáticas porque se manifestam por meio de manchas, pontos vermelhos ou pequenas espinhas na pele, chamadas de exantemas. A escarlatina e outras doenças desse tipo geralmente não são fatais.

A escarlatina também é conhecida pelo nome de “febre escarlate”. Vamos contar mais sobre ela a seguir.

Origem e transmissão da escarlatina

A escarlatina é causada por uma bactéria ou germe denominado “estreptococo beta-hemolítico” do grupo A (EBHGA). E é transmitida por contato direto.

A bactéria que a transmite pode ser encontrada no nariz ou na boca. Desta forma, pode ser disseminada pelo contato com a saliva em espirros, tosses ou através do simples ato de falar.

Também pode ser transmitida ao beber no mesmo copo ou comer usando os mesmos talheres de uma pessoa contaminada. Além disso, o contato com as lesões também causa contágio. Portanto, pode ser transmitida ao tocar em brinquedos ou outros objetos de uma criança doente.

Em seus estágios iniciais, a escarlatina pode ser confundida com uma amigdalite clássica, pois os sintomas são semelhantes.

Os sinais mais evidentes

A escarlatina inicia, no primeiro e no segundo dias, com febre alta que pode chegar a 40º C. Será acompanhada por uma forte dor de garganta, vermelhidão e inchaço das amígdalas e glândulas, calafrios, vômitos e, em alguns casos, dor abdominal.

Por outro lado, causa inflamação na região da boca e garganta que, além da náuseas, provavelmente fará com que a criança perca o apetite.

 

O aparecimento dos sintomas

Nesse primeiro período, surge as erupções escarlates que dão nome à doença. Elas são vermelhas e ásperas, e aparecem primeiro na região da virilha (a área entre o abdômen e a parte superior das coxas) e, em seguida, no pescoço e nas axilas.

A principal característica das erupções de escarlatina é sua textura de lixa. Inicialmente, os pontos vermelhos são planos.

Entre o terceiro e o quinto dia do aparecimento dos sintomas, a erupção adquire volume na pele, espalhando-se e atingindo todo o corpo da criança. A língua fica vermelha e apresenta pequenas saliências vermelhas que lembram uma framboesa.

 

Sintomas da escarlatina em crianças.

Essas saliências são, na verdade, a inflamação das papilas gustativas que lhe conferem essa aparência. A área ao redor da boca pode parecer pálida e sem erupções, em contraste com o resto da pele que ficará avermelhada.

A partir do sexto dia a criança começa a se sentir melhor, pois os sintomas diminuem gradativamente. Caso contrário, é necessário consultar o pediatra para descartar complicações.

Dentro de mais alguns dias, a pele descama, até na palma das mãos e na planta dos pés.

Tratamento

O tratamento recomendado para a escarlatina são os antibióticos, os únicos medicamentos adequados para combater as bactérias. É importante que os pais não automediquem a criança se não tiverem qualificações para isso.

Algumas bactérias se tornam resistentes aos antibióticos por serem tratadas com medicamentos inadequados. O pediatra ou o imunologista são os especialistas indicados para diagnosticar e prescrever o tratamento.

O que posso fazer se meu filho tiver escarlatina?

Para ajudar na recuperação da criança, é aconselhável manter sua hidratação constante com água. Também é recomendável oferecer sucos de frutas ricos em vitamina C e sopas de legumes.

Além disso, é recomendável monitorar a temperatura e outros sintomas caso a criança precise de atenção médica imediata. Um sintoma de cuidado urgente pode ser a incapacidade de engolir.

Mudanças na cor da urina ou dificuldades respiratórias também são sintomas importantes que requerem atenção.

Quando a escarlatina não é tratada adequadamente com antibióticos, pode haver complicações ou sequelas como:

  • Febre reumática.
  • Doenças renais.
  • Infecções na pele e na garganta.
  • Inflamação do ouvido.
  • Doenças graves do sistema respiratório, como pneumonia.

A maneira mais eficaz de evitar infecções é lavar as mãos. Evite também compartilhar escovas de dente, copos, pratos e talheres. Por outro lado, cuidadores de crianças devem lavar as mãos sempre que entrarem em contato com elas, a fim de evitar o contágio.

Pode interessar a você...
O que você não sabia sobre a escarlatina
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
O que você não sabia sobre a escarlatina

Os médicos achavam que a escarlatina, uma doença que atinge as crianças, tinha ficado no passado, mas casos recentes mostram que não é bem assim.