Suor e odor corporal na adolescência: o que você precisa saber

Durante a puberdade, o corpo passa por múltiplas mudanças devido a alterações hormonais. E embora não sejam graves, podem ser muito irritantes. Descubra mais!
Suor e odor corporal na adolescência: o que você precisa saber

Última atualização: 04 Novembro, 2021

O suor e o odor corporal são dois atores importantes nas mudanças físicas da adolescência. Na verdade, costumam ser um motivo muito frequente de consultas, pois acabam afetando a autoestima e até interferindo na vida familiar.

Vamos explicar por que essas mudanças ocorrem no corpo dos jovens e quais medidas se deve tomar para resolver os problemas que causam. Não perca!

O que é o suor?

O suor é uma mistura aquosa de produtos químicos muito complexos. Consiste principalmente em água, cloreto de sódio (sal) e vários elementos em concentrações variadas. Entre eles, a vitamina K e algumas enzimas ou peptídeos.

O objetivo dessa secreção é regular a temperatura e proteger a barreira cutânea. Portanto, sua produção faz parte de um processo fisiológico, natural e essencial para a saúde.

As glândulas produtoras

Existem dois tipos principais de glândulas sudoríparas, que são responsáveis pela geração de suor:

  • Glândulas sudoríparas écrinas: são as mais numerosas, estão distribuídas por quase todo o corpo e produzem a maior quantidade de suor. Elas tendem a se concentrar nas mãos, nos pés, no rosto e nas costas.
  • Glândulas sudoríparas apócrinas: desempenham um papel menor na produção geral de suor, pois estão limitadas a regiões específicas do corpo, como axilas, aréolas e área genital externa.

Além do suor, nossa pele contém outros tipos de glândulas (chamadas sebáceas) que secretam um líquido mais viscoso e oleoso. Esse produto se acumula na superfície da pele e pode modificar a composição do suor. Em geral, localizam-se próximos aos folículos capilares, no couro cabeludo, na face e na região anogenital.

Mulher com suor nas axilas porque sofre de hiperidrose.

Mudanças no suor e no odor corporal durante a adolescência

Quando a puberdade começa, ocorrem em todo o corpo mudanças hormonais que também afetam o suor e as glândulas sebáceas da pele.

Os hormônios dessa fase modificam o pH da pele e isso gera um aumento da flora bacteriana normal, que é responsável pela decomposição do suor e pela modificação de seu cheiro. Portanto, o aumento do número de bactérias na pele resulta em aumento do odor corporal desagradável, característico dessa fase.

Por sua vez, as glândulas écrinas também são estimuladas pelos hormônios da puberdade e aumentam a produção de suor em todo o corpo. Isso explica por que os adolescentes transpiram muito mais do que as crianças.

A bromidrose

Essa é uma patologia comum, que afeta significativamente a qualidade de vida de quem a sofre. Sua principal característica é a presença de suor malcheiroso por todo o corpo.

Em geral, pode ser tratada ou prevenida com algumas mudanças nos hábitos de higiene, mas também existem tratamentos médicos.

Em caso de alterações perceptíveis do odor, é importante consultar um especialista, pois elas podem estar relacionadas a algumas doenças, como diabetes, doenças renais e hepáticas.



Recomendações para evitar o suor e o odor corporal na adolescência

As alterações hormonais da puberdade são inevitáveis, mas é possível implementar algumas medidas de higiene para melhorar a qualidade de vida. Por exemplo, uma rotina de limpeza leve com produtos neutros e sem agentes agressivos ou sulfatos é altamente recomendada.

Aqui estão algumas dicas para melhorar a aparência da pele:

  • Aumente a frequência de enxágue da pele para combater o excesso de suor.
  • Escolha sempre produtos de higiene com pH neutro, como géis antibacterianos.
  • Escolha o desodorante que melhor atenda às necessidades do seu corpo: os desodorantes convencionais combatem as bactérias que geram maus odores, enquanto os antitranspirantes reduzem a produção de suor e umidade.
  • Tente depilar para reduzir a transpiração e o odor em certas áreas, como as axilas.
  • Troque de roupa várias vezes ao dia e lave bem as peças.
  • Evite calçados feitos de materiais sintéticos, para melhorar o odor dos pés.
mulher desmaiando no chão com cheiro desagradável pés chinelos adolescente

Sobre as mudanças físicas da adolescência

A adolescência é acompanhada por uma grande quantidade de mudanças físicas e mentais, que devem ser acompanhadas da melhor maneira possível.

Em geral, as alterações na pele são leves e transitórias, e tanto a hiperidrose quanto a bromidrose são raras nessa fase.

No entanto, mudanças mínimas podem ter um grande impacto nos jovens, e é importante oferecer as orientações de cuidado necessárias, para que não afetem suas emoções ou relações sociais.

Pode interessar a você...
O que é a pré-adolescência?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
O que é a pré-adolescência?

A pré-adolescência é um importante período de transição, no qual ocorrem grandes mudanças. Descubra como ajudar seu filho.



  • Lam TH, Verzotto D, Brahma P, Ng AHQ, Hu P, Schnell D, Tiesman J, Kong R, Ton TMU, Li J, Ong M, Lu Y, Swaile D, Liu P, Liu J, Nagarajan N. Understanding the microbial basis of body odor in pre-pubescent children and teenagers. Microbiome. 2018 Nov 29;6(1):213. doi: 10.1186/s40168-018-0588-z. PMID: 30497517; PMCID: PMC6267001. Disponible en: https://europepmc.org/article/pmc/pmc6267001
  • Gerrett N, Griggs K, Redortier B, Voelcker T, Kondo N, Havenith G. Sweat from gland to skin surface: production, transport, and skin absorption. J Appl Physiol (1985). 2018 Aug 1;125(2):459-469. doi: 10.1152/japplphysiol.00872.2017. Epub 2018 May 10. PMID: 29745799. Disponible en: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29745799/
  • Perera E, Sinclair R. Hyperhidrosis and bromhidrosis — a guide to assessment and management. Aust Fam Physician. 2013 May;42(5):266-9. PMID: 23781522. Disponible en: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23781522/
  • Semkova K, Gergovska M, Kazandjieva J, Tsankov N. Hyperhidrosis, bromhidrosis, and chromhidrosis: Fold (intertriginous) dermatoses. Clin Dermatol. 2015 Jul-Aug;33(4):483-91. doi: 10.1016/j.clindermatol.2015.04.013. Epub 2015 Apr 8. PMID: 26051066. Disponible en: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26051066/