Trombose e gravidez: uma dupla perigosa

· 30 de abril de 2018
Trombose e gravidez é uma dupla perigosa porque implica a adoção de uma série de medidas especiais e a realização de exames médicos para poder lidar com o problema. Conheça mais sobre essa relação aqui!

Trombose e gravidez são uma dupla perigosa. No entanto, com um diagnóstico precoce e a adoção de certas medidas, é possível lidar com esse problema.

Devemos nos lembrar DE que a circulação sanguínea pode ser afetada pela presença de um coágulo. Isso produz o que se conhece como trombose. Conhecer suas características vai ajudar a prevenir a doença.

Durante a gravidez, as chances de sofrer de trombose aumentam. Isso se deve ao fato de que o sangue da grávida está mais suscetível a formar coágulos devido a algumas mudanças de coagulação ou na placenta.

Além disso, o útero aumenta de tamanho, diminuindo a circulação vascular, principalmente nos membros inferiores. Descubra por que a trombose e a gravidez são situações que não convivem bem.

O que é uma trombose?

É conhecido com o nome de “trombose” o coágulo que se forma no interior dos vasos sanguíneos. Mais especificamente nas extremidades. Portanto, é uma das possíveis complicações que podem ocorrer na gravidez.

A trombose é uma patologia mais comum em mulheres que são sedentárias, obesas, que têm varizes ou mais de 30 anos de idade. O risco de sofrer de uma trombose aumenta à medida que a gravidez avança.

As tromboses podem aparecer superficialmente ou nas veias interiormente. Podem significar complicações graves, já que os coágulos podem se soltar, obstruindo o fluxo sanguíneo e causando uma embolia pulmonar. Acredita-se que a gravidez aumenta em 10% as chances de ter trombose.

trombose e gravidez

Sintomas de trombose na gravidez

Durante a gravidez, a retenção de líquidos nas células do organismo, especialmente nas pernas, é muito comum. No entanto, essa inflamação pode vir acompanhada pelos seguintes sintomas:

  • Febre.
  • Tosse e dor no tórax.
  • Ardor e inchaço na panturrilha.
  • Taquicardia e dificuldade para respirar.
  • Vermelhidão na extremidade afetada.
  • Dor aguda que vai desde as coxas até a panturrilha.

Possíveis causas da trombose na gravidez

Embora a gravidez já funcione como fator de risco principal, essa situação pode se combinar com outras possíveis causas:

  • Obesidade.
  • Sedentarismo.
  • Gravidez múltipla.
  • Hipertensão arterial.
  • Pré-eclâmplsia e eclâmpsia.
  • Alterações hormonais.
  • Alterações intestinais.
  • Cesárea ou parto prematuro.
  • Transtornos na coagulação sanguínea.
  • Pressão originada pelo crescimento fetal.

Ajudar a diminuir os efeitos dessas causas vai reduzir em grande parte as chances de sofrer de trombose durante a gravidez.

Complicações da gravidez ao ter trombose

Ter trombose durante a gravidez pode levar você a sofrer as seguintes consequências:

  • Limitação do crescimento fetal.
  • Abortos espontâneos até o primeiro trimestre da gravidez.
  • Descolamento de placenta. Consiste na separação parcial ou total da placenta e da parede uterina. Além disso, com essa complicação ocorre uma significativa perda de sangue, colocando em risco a vida de ambos.

Tratamentos para a trombose na gravidez

O tratamento vai depender do tipo de trombose e quais causas pode ter:

  1. 1. Trombose superficial. Nessa caso, o tratamento vai se basear em medidas profiláticas, tais como elevação das pernas, exercícios físicos, utilização de faixas ou meias elásticas especiais. Às vezes esse tratamento é complementado ao tomar algum anticoagulante como a aspirina.
  2. Trombose profunda. Para esse tratamento são usados medicamentos anticoagulantes do tipo da heparina em forma intravenosa e posteriormente subcutânea.

Se o coágulo chegar à altura dos pulmões pode provocar uma embolia pulmonar. Assim que é detectado, exige cuidados médicos especializados e, inclusive, hospitalização.

trombose e gravidez

Como prevenir uma trombose durante a gravidez?

Basicamente, a melhor maneira de evitar essa patologia é aumentar os exercícios físicos que favorecem a circulação sanguínea. Também se pode complementar com os seguintes métodos:

  • Evitar trabalhos em altas temperaturas.
  • Manter uma dieta balanceada, saudável e rica em nutrientes.
  • Evitar ficar muito tempo sentada ou em repouso prolongado.
  • Fazer caminhadas pequenas e frequentes, totalizando pelo menos 150 minutos semanais.
  • Evitar usar peças de roupa apertadas que impeçam o fluxo normal do sangue.
  • Evitar ficar muito tempo com as pernas cruzadas, já que isso dificulta o retorno venoso.
  • Ingerir fármacos receitados pelo médico para prevenir ou tratar a trombose na gravidez.
  • Se o médico recomendar repouso, peça sugestões de como manter as pernas elevadas.
  • Manter um controle bem específico em relação aos exames de coagulação, eco Doppler, etc.
  • Outra ótima alternativa é monitorar minuciosamente a alimentação. Evitando, assim, comidas com muito sódio.

Em suma, trombose e gravidez são uma dupla perigosa, mas que, com um diagnóstico preciso e os cuidados adequados, é uma situação que pode ser resolvida.

Paralelamente, é necessário observar de perto os sintomas e beber água suficiente, já que isso vai diminuir consideravelmente as possibilidades de ter trombose.