Bebê arco-íris: a luz depois da tristeza

· 29 de novembro de 2016

É possível que muitos não saibam o que é um bebê arco-íris, ainda quando o temos entre nós. O arco-íris, esse fenômeno luminoso que aparece justamente depois de uma tempestade, em um céu ainda nublado e uma terra ainda molhada; isso define também a esse bebê que chega depois de um momento doloroso.

Para descrever o surgimento deste bebê, costuma-se explicar que trata-se de uma criança que é concebida logo depois de se perder outra, mas em si, descreve aquele que sucede a uma tragédia, a uma tormenta. Tal como este elemento da natureza, o propósito de sua chegada não é o de acabar com a crise, mas sim modificá-la.

Podemos distinguir o bebê do arco-íris contemplando que este último é o resultado de um processo de refração solar que acontece pela ação da água e ainda que seja lindo, é natural e do tipo meteorológico. Diferente do bebê, que chega sem esperar e é o produto de uma ação quase divina, porque nenhum pai espera que aconteça depois da tormenta.

Que fatos transformam um bebê em arco-íris

Agora que sabemos, talvez tratemos de buscar arco-íris onde não há; ou seja, tentamos dá-lo um lugar equivocado a certas relações. Mas, é preciso entender que a comparação surge com toda razão e que são os sentimentos que a identificam.

Uma característica que distingue este bebê, é que chega imediatamente depois da perda de outro. Geralmente o bebê arco-íris nasce próximo ao primeiro aniversário da perda sofrida, quando passou mais tempo do que isso o conceito não se aplica, a menos que o sofrimento ainda não tenha acabado.

Uma criança que vem para trazer luz depois da tempestade nem sempre é recebida como tal; nesse sentido, para que seja arco-íris deve causar o efeito deste. Ainda que o vejamos todos os dias, nunca deixamos de nos maravilhar com este fenômeno óptico, sempre nos faz sorrir e é agradável.

id-100147845

De forma que, despertar uma ilusão e trazer paz a quem o contempla é a função desse bebê que chega depois de momentos difíceis. Este bebê não faz a dor desaparecer, não substitui um sentimento e não pode ser comparado com o outro filho, mas acalma as águas.

A perda de um filho é uma situação devastadora, que pode fazer sucumbir ao mais forte; o trágico é que leva parte dos sonhos dos pais. Algumas vezes a esperança renasce, mas outras não, assim como o arco-íris, que precisa de condições especiais para ser visto.

O bebê arco-íris se materializa quando os pais deixam de sentir medo de perdê-lo, porque não deve existir angústia nesses casos. Os fatos que transformam um bebê em arco-íris são aqueles que causam alívio nos pais, conseguem fazer com que a alegria renasça e torna possível que a esperança os inunde.

Enquanto há tormenta não aparece arco-íris, nesse momento analogicamente há dor e pranto, não existe sonho de ver o sol, os pais acreditam que perderam tudo. É por isso que para falarmos nesse tipo de bebê, é preciso que tenha-se passado por essa tormenta.

Depois da tristeza, aparece a luz do bebê arco-íris

Por mais forte que a tormenta tenha sido sempre volta a calmaria; esta luz que faz com que uma nova esperança seja possível, ela pode demorar a chegar, mas chega. Nesse sentido, ainda quando a dor não tenha sido superada o novo ser vai gerar um acúmulo de emoções que manterão a expectativa, que também pode ser causadora de angústias e trazer recordações ruins.

Depois da tristeza, aparece a luz do bebê arco-íris

O propósito deste bebê é equilibrar nossa vida, encher a escuridão com luz e cor, transformando-se em um motivo pra aprender e nos reconciliar com nós mesmos. Todo filho deve ser apreciado, mas este em particular, é um ser cheio de energias positivas que sem dúvidas gozará de uma atenção e um carinho sem igual.

Devemos lembrar que o bebê arco-íris é irmão do bebê estrela, aquele que nos deixou para que esse primeiro existisse, um mistério da vida que veio para enrugar nossos corações, mas que nos deu noções básicas para nos ensinar que estamos vivos.