O que é agenesia dentária e como ela afeta as crianças?

A agenesia dentária é um distúrbio que afeta a qualidade de vida das crianças. A seguir, vamos contar mais sobre esse problema que pode aparecer na infância.
O que é agenesia dentária e como ela afeta as crianças?

Última atualização: 09 abril, 2022

Levar as crianças ao odontopediatra desde o aparecimento dos primeiros dentes permite, entre outras coisas, detectar a tempo qualquer anomalia e malformação bucal. A agenesia dentária é um dos problemas que o dentista pode encontrar durante os check-ups de rotina.

É bastante comum que uma criança perca um dente e que fique um buraco vazio esperando pelo dente definitivo. Mas existem situações anormais que podem levar à falta de um ou mais dentes na boca.

Esse problema é o que conhecemos como agenesia dentária e afeta tanto crianças quanto adultos. Em crianças pequenas, fica evidente pela falta de um dente de leite na boca ou pela falta de erupção do dente permanente quando o temporário cai. E também pela persistência do dente decíduo, pois não existe um definitivo que o reabsorva.

O que é agenesia dentária em crianças?

Boca de criança revelando dente ausente.
A agenesia dentária é a ausência de um ou mais dentes por falta de desenvolvimento e não por perda.

A agenesia dentária em crianças é a ausência de um ou mais dentes devido à falta de desenvolvimento. Ou seja, eles nunca existiram, então a dentição está incompleta.

Como já mencionamos, esse distúrbio pode afetar os dentes de leite e os dentes permanentes, mas é mais frequente nestes últimos. Dentes do siso, incisivos laterais e pré-molares são os dentes que mais comumente estão ausentes.

A dentição temporária normal inclui 20 dentes de leite que terminam de aparecer por volta dos 3 anos de idade. No caso dos dentes permanentes, há um total de 32 elementos, se levarmos em conta os dentes do siso que erupcionam entre os 17 e os 21 anos.

De qualquer forma, antes da erupção dos últimos molares, as crianças costumam apresentar 28 elementos permanentes em suas arcadas dentárias por volta dos 13 anos.

Se nas idades esperadas faltar um dente na boca das crianças, podemos estar diante de um caso de agenesia dentária. Embora seja sempre necessário considerar o ritmo de crescimento e desenvolvimento individual, o que muitas vezes pode explicar esse atraso.

Vale esclarecer que a falta do elemento dental na boca da criança não se deve à sua perda por cárie ou trauma. Nem quando o dente fica retido dentro do osso. Na agenesia dentária, o dente em questão simplesmente não existe, pois nunca foi formado.

Tipos de agenesia dentária em crianças

A agenesia dentária em crianças pode ser classificada em diferentes tipos, dependendo do número de dentes afetados. Vamos ver em detalhes:

  • Agenesia pontual ou hipodontia: é a mais comum. É a falta de entre 1 e 6 dentes isolados.
  • Agenesia múltipla ou oligodontia: aqui faltam mais de 6 elementos dentários na arcada e, além disso, os dentes presentes na boca costumam apresentar malformações.
  • Anodontia: é o tipo mais grave de agenesia dentária que se observa em crianças, pois há ausência total de dentes na boca.

A agenesia dentária em crianças também pode ser diferenciada entre unilateral ou bilateral, dependendo se ocorre em um ou ambos os lados da boca.

Causas da agenesia dentária em crianças

No momento em que os dentes estão em formação, diversos fatores podem afetar negativamente o processo. Os componentes hereditários são os determinantes mais comuns, por isso é comum observar a falta de um ou mais dentes em vários membros de uma mesma família.

Alterações cromossômicas e síndromes genéticas também são causa de agenesia dentária em crianças. Por exemplo, síndrome de Down, displasia ectodérmica, lábio leporino e fenda palatina.

A ação de agentes teratogênicos durante o primeiro trimestre de gravidez é outra causa possível. Certas doenças como tuberculose, sífilis, rubéola, raquitismo ou desnutrição sofrida durante a gravidez podem explicar a agenesia dentária em crianças.

Quais consequências essa condição traz para as crianças?

Esquema de um dos problemas dentários em crianças: agenesia dentária.
Quando um dente ou molar não se desenvolve, o antagonista pode crescer além de seus limites para buscar contato com o dente ausente.

A falta de um ou mais dentes na boca da criança altera a funcionalidade, o equilíbrio e a estética da cavidade oral. Pois bem, cada elemento dentário ocupa um lugar e cumpre um papel específico na arcada.

Assim, a agenesia dentária em crianças pode afetar diversas questões que influenciam no desenvolvimento dos pequenos. A seguir, vamos discuti-las em detalhes:

  • Efeitos estéticos: a presença de uma ou mais lacunas no sorriso afeta a aparência da criança. Isso pode trazer alguns sentimentos de vergonha, baixa autoestima e dificuldades no desenvolvimento social e no relacionamento interpessoal.
  • Problemas funcionais: os espaços deixados pela falta de dentes alteram as funções da boca. A pronúncia de certos fonemas e as dificuldades de mastigação são alguns dos problemas que podem aparecer quando há dentes a menos.
  • Maus posicionamentos dentários: os elementos dentários presentes na boca também sofrem repercussões pela ausência dos demais dentes. Os dentes vizinhos ao espaço vazio tendem a ocupar esse lugar. E o antagonista pode crescer demais, buscando um contato que não consegue encontrar. Todos esses movimentos incomuns causam dentes tortos e más oclusões.

Como resolver a agenesia dentária em crianças?

Para solucionar os problemas causados pela agenesia dentária em crianças, é essencial ter um diagnóstico preciso do problema. E quanto mais cedo for detectado, menos consequências haverá.

Por isso, levar a criança a consultas odontológicas regulares é fundamental. É necessário iniciar o acompanhamento desde o primeiro ano de vida para que o odontopediatra possa acompanhar todo o processo eruptivo e detectar qualquer anormalidade a tempo.

No exame clínico, o dentista pode diagnosticar a ausência de um dente, mas somente através de radiografias o profissional pode confirmar se a causa é ou não a agenesia dentária.

No caso de agenesia dentária, a abordagem e o tratamento dependerão da idade da criança, da dentição afetada e do número de dentes ausentes. Além disso, influenciam outros fatores, como a fisionomia facial da criança, o tamanho dos dentes presentes na boca e a presença de problemas de mordida associados.

Uma opção terapêutica consiste em fechar o espaço gerado pela ausência do dente através do uso da ortodontia. Com o aparelho, os demais elementos dentários são mobilizados e alinhados até que o espaço livre seja anulado.

Depois disso, geralmente é necessário esculpir e restaurar os dentes, para dar-lhes a forma que corresponde ao espaço que ocupam. Por exemplo, caninos avançados com ortodontia podem se tornar incisivos laterais.

Outra alternativa é guardar o espaço para colocar um implante ou uma prótese quando a criança crescer. Para isso, será necessário colocar um mantenedor de espaço que preserve o local e impeça a movimentação dos dentes vizinhos.

Caso os dentes de leite persistam devido à ausência do dente definitivo, o ideal é mantê-los. A aplicação de medidas preventivas, como selantes e flúor, ajudam a prolongar sua permanência em boas condições.

Dentista examinando para saber se criança tem agenesia dentária.
Os check-ups odontológicos desde o primeiro ano de vida são essenciais para avaliar todo o processo de erupção dentária da criança.

Quando consultar o odontopediatra?

Como já dissemos, os check-ups odontológicos regulares são fundamentais para detectar precocemente a agenesia dentária em crianças. O acompanhamento profissional da erupção dentária ajuda a identificar qualquer alteração a tempo.

Da mesma forma, se você notar alguma dessas condições, é aconselhável consultar um odontopediatra:

  • Seu filho já tem 3 anos, mas ainda não tem os 20 dentes de leite na boca.
  • Na idade esperada, o dente de leite não se move.
  • O dente definitivo não aparece após a queda do elemento temporário.

Essas situações não são determinantes por si mesmas, pois cada criança tem seu próprio ritmo de crescimento e erupção dentária. Mas vale a pena investigar precocemente, pois podem indicar uma agenesia dentária. O diagnóstico precoce permitirá que você escolha as melhores opções de tratamento para o seu pequeno.

This might interest you...
Problemas dentários mais comuns em crianças
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Problemas dentários mais comuns em crianças

Os problemas dentários em crianças podem surgir precocemente e causar diversos desconfortos. Aqui, vamos detalhar os mais frequentes. Confira!



  • Echeverri Escobar, J., Restrepo Perdomo, L. A., Vásquez Palacio, G., Pineda Trujillo, N., Isaza Guzmán, D. M., Manco Guzmán, H. A., & Marín Botero, M. L. (2013). Agenesia dental: Epidemiología, clínica y genética en pacientes antioqueños. Avances en Odontoestomatología, 29(3), 119-130.
  • Oliva Ruiz, E. S. (2021). Asociación del tipo de agenesia del incisivo lateral superior con la percepción estética de la sonrisa en pacientes atendidos en la Clínica Estomatológica del Adulto de la Universidad Inca Garcilaso de la Vega.
  • Díaz-Pérez, R., & Echaverry-Navarrete, R. A. (2009). Agenesia en dentición permanente. Revista de Salud Pública, 11, 961-969.
  • Lloret García, M. (2016). Influencia de la agenesia dental en el desarrollo de la dentición.
  • Mocha Medina, L. M. (2021). Agenesia en dentición permanente (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil. Facultad Piloto de Odontología).
  • Flores-Carrillo, C. L., Santiesteban-Ponciano, F. A., & Gutiérrez-Rojo, J. F. (2020). Tratamiento de ortodoncia en paciente con agenesia de incisivos laterales superiores. Revista Tamé, 7(21), 842-847.
  • Loor Alvarado, F. A. (2021). Estado actual de la agenesia en dentición permanente (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil. Facultad Piloto de Odontología).
  • Bryan, J., & Arias, T. (2021). Efecto de la Hipodoncia en relación a su origen congénito. revisión bibliográfica (Bachelor’s thesis, Universidad Nacional de Chimborazo).
  • Berumen-Torres, Y., Murisi-Pedroza, I., González-Zarazua, C., Alcalá-Sánchez, J., & Guzmán-Uribe, D. Agenesia múltiple de dientes permanentes en paciente pediátrico: Reporte de un caso clínico. Mis casos Clínicos de Odontopediatría y Ortodoncia, 119.