5 alimentos a evitar para cuidar dos dentes dos seus filhos

Cuidar da alimentação dos pequenos é fundamental para que eles cresçam saudáveis. Acima de tudo, restrinja os alimentos que prejudicam os dentes e a saúde em geral.
5 alimentos a evitar para cuidar dos dentes dos seus filhos

Última atualização: 19 Outubro, 2021

Como pais, sempre temos dúvidas sobre quais alimentos evitar para cuidar dos dentes dos nossos filhos. Essa questão é muito importante, pois a alimentação tem um papel fundamental na saúde das crianças.

Muitos alimentos podem atuar negativamente na cavidade oral e, por isso, neste artigo vamos contar quais são os produtos você deve limitar para cuidar da saúde bucal das crianças. Não perca!

1. Doces e guloseimas

Com certeza você já sabe que doces e guloseimas são alimentos que devem ser evitados, em prol da saúde dos dentes dos seus filhos. Esses produtos são ricos em açúcar, que ajuda as bactérias da boca a crescerem  e se desenvolverem.

O açúcar dos doces permanece na cavidade oral por muito tempo, pois se adere às superfícies dos dentes. Os micro-organismos na boca crescem ao redor dele e formam grandes acúmulos de placa bacteriana.

Além disso, a fermentação dos açúcares favorece a produção de ácidos que desmineralizam os tecidos duros do dente. A perda desses minerais é o que dá origem às cáries.

Todos os doces e guloseimas são cariogênicos, mas alguns são mais perigosos do que outros. As balas mastigáveis ou pegajosas, por exemplo, se aderem mais à superfície dos dentes e aí permanecem por longos períodos de tempo.

Balas duras e pirulitos também são bastante prejudiciais. Ao chupá-los, geramos um longo período de presença de açúcar na cavidade oral, o que dá às bactérias tempo para produzir grandes quantidades de ácido.

Além disso, se forem muito duros, mordê-los pode danificar o esmalte dos dentes ou sobrecarregar a articulação da mandíbula. E quando as mastigamos, os restos da guloseima ficam presos nas superfícies e nos espaços entre os dentes.

É verdade que as crianças gostam muito de comer esses tipos de doces, mas não são um produto benéfico para a saúde. Na verdade, a ingestão de grandes quantidades de açúcar não afeta apenas o estado da boca, mas também a saúde geral dos pequenos.

O ideal é evitar a quantidade de doces ou pelo menos limitar seu consumo a ocasiões especiais. Se as crianças comerem um doce em uma festa ou aniversário, é aconselhável fazer uma boa escovação dos dentes depois para evitar possíveis danos.

2. Bebidas ácidas

Os refrigerantes, tradicionais e dietéticos, os sucos e as bebidas desportivas, caracterizam-se pela sua acidez e seu elevado teor de açúcar. Por isso, também são alimentos que se deve evitar para cuidar dos dentes dos seus filhos.

A alta acidez dessas bebidas gaseificadas causa danos ao esmalte dentário, da mesma forma que as bactérias: desmineralizando os tecidos duros dos dentes. Além disso, o alto teor de açúcar potencializa essa situação.

As bebidas esportivas costumam ser consideradas saudáveis e ideais para crianças que praticam exercícios. Mas a verdade é que também são muito ácidas e podem causar danos aos dentes.

A bebida ideal para crianças é a água. No entanto, se preferir líquidos com sabor, é sempre uma boa ideia optar por líquidos naturais sem adição de açúcares. Por exemplo, misturar água com um pouco de suco de frutas ou vegetais pode ser uma alternativa refrescante e menos prejudicial.

3. Bolos e bolachas

Os bolos e as bolachas industriais contêm carboidratos refinados que promovem o metabolismo bacteriano. Sua textura macia facilita a aderência de seus restos à superfície dentária, e seu alto teor de açúcar favorece o aparecimento de cáries.

As bolachas costumam ser um lanche fácil quando nenhum outro alimento está disponível. Mas seu consumo excessivo deve ser evitado.

Ao terminar de comer, o ideal é escovar os dentes e usar fio dental corretamente para evitar que restos fiquem presos na boca.

4. Açúcar

Já mencionamos que o açúcar favorece o desenvolvimento de bactérias na boca e seu consumo excessivo representa um risco para a saúde bucal.

Muitos produtos alimentícios industrializados contêm açúcar incorporado, e seu consumo é mais difícil de evitar. Mas, no caso das refeições caseiras, é fundamental diminuir a adição de adoçantes.

Muitas vezes, ao preparar refeições ou bebidas para os filhos, os pais tendem a adicionar açúcar para deixar a comida mais aceitável. O ideal é não criar esse hábito e evitar colocar colheradas de açúcar em tudo o que os pequenos ingerem.

Leite e infusões, por exemplo, podem ser consumidos sem adoçar.

Também é importante não molhar as chupetas e mamadeiras das crianças com mel ou açúcar, pois são hábitos nocivos que promovem o desenvolvimento de cáries desde a infância.

5. Alimentos duros

Já mencionamos os danos que a ingestão de balas duras pode causar, mas existem outros produtos que, devido à sua firmeza, podem danificar os dentes.

O gelo é um exemplo deles, pois ao mordê-lo provoca-se o enfraquecimento ou a ruptura do esmalte dentário. Adquirir o hábito de mascar cubos de gelo congelados pode causar rachaduras nos dentes.

Oleaginosas muito duras, como nozes e amêndoas, também podem danificar os dentes ou aparelhos bucais.

bebê come nozes nozes

Uma dieta saudável

Comer uma dieta variada, balanceada e nutritiva é muito importante para o crescimento e o desenvolvimento adequado da criança. Além disso, uma dieta saudável ajuda a prevenir várias das doenças orais mais comuns, como as cáries e a gengivite.

Idealmente, as crianças devem ser acostumadas a comer uma dieta saudável que inclua laticínios, frutas e vegetais. Da mesma forma, evite os alimentos que mencionamos para cuidar melhor dos dentes dos seus filhos.

Pode interessar a você...
O que são os dentes de tubarão na infância?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
O que são os dentes de tubarão na infância?

O aparecimento dos dentes de tubarão na infância pode levantar muitas questões. Descubra do que se trata e o que você deve fazer com eles.



  • González Sanz, Á. M., González Nieto, B. A., & González Nieto, E. (2013). Salud dental: relación entre la caries dental y el consumo de alimentos. Nutrición hospitalaria28, 64-71.
  • Hernández-Cantú, E. I., Reyes-Silva, A. K. S., Garcia-Pineda, M. A., González-Montalvo, A., & Sada-Amaya, L. J. (2018). Hábitos de higiene bucal y caries dental en escolares de primer año de tres escuelas públicas. Rev Enferm Inst Mex Seguro Soc [Internet]3(26), 179-85.
  • Ventura Borda, C. A. (2017). Variación del ph salival antes y después del consumo de alimentos cariogénicos en los niños de la IEI San Martín de Porres N° 383, Calca-2017.
  • Arévalo Manzaba, L. S. (2019). Factores de riesgo asociados a la caries de la infancia temprana (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil. Facultad Piloto de Odontología).
  • Guerra, M. H., Rondón, N. D., Zamudio, Y. C., & Hoffmann, I. M. (2018). Hábitos alimenticios y su relación con la caries de la primera infancia.
  • Gayá, V. (2018). Chucherías: dulce y maldita tentación: Caries, obesidad y diabetes, consecuencias de su consumo excesivo. El siglo de Europa, (1266), 9.
  • Andrés, E. C. (2018). Factores de riesgo asociados a la aparición de nuevas lesiones de caries en primeros molares permanentes (Doctoral dissertation, Universitat de València).
  • Alvarado Silva, U. (2018). Calidad Nutricional y Caries Dental de los niños de 3 a 5 años del Centro Materno Infantil de Villa María del Triunfo, Lima, 2018.
  • Alcívar Pinela, A. G. (2019). Potencial cariogénico de los alimentos en las loncheras y su influencia en el índice de caries (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil. Facultad Piloto de Odontología).