Chupar o dedo pode trazer benefícios à saúde das crianças

27 de março de 2017

É preciso eliminar o hábito de chupar o dedo à medida que as crianças crescem a fim de evitar problemas em relação à deformação do palato. No entanto, um estudo descobriu que as crianças que chupam o dedo são menos propensas a desenvolver alergias à medida que crescem, assim como as crianças que roem as unhas.

Os pesquisadores sugerem que, ao chupar o dedo e roer as unhas, provavelmente as crianças se expõem a um número maior de micróbios, o que por sua vez altera a função imunológica. Assim, elas se tornam menos propensas a desenvolver alergias.

O estudo foi realizado por pesquisadores da Universidade de Otago em Dunedin, Nova Zelândia e foi publicado pela revista Pediatrics.

Os resultados confirmam a hipótese da higiene

O estudo foi realizado utilizando dados de um outro estudo multidisciplinar de longa duração que acompanhou mais de 1000 pessoas. Os participantes se submeteram a testes de punção cutânea quando tinham 13 e 32 anos de idade. O resultado do teste apontava positivo se a pele fosse sensível a pelo menos um alérgeno comum. Um resultado positivo indica que a pessoa apresenta mais riscos de desenvolver uma alergia à fonte do alérgeno em questão, como gatos, cachorros, cavalos, grama, ácaros de pó, fungos, etc…

alergias

Os resultados aos 13 anos mostraram que somente 38 por cento dos participantes que haviam chupado o dedo ou a ponta das unhas quando eram crianças obtiveram resultado positivo com, pelo menos, um alérgeno. Em contrapartida, 49 por cento daqueles que não tinham nenhum desses hábitos na infância receberam o mesmo resultado.

Os resultados foram ainda mais evidentes nos participantes que roíam as unhas ou que chupavam o dedo frequentemente durante a infância, já que somente 31 por cento deles receberam resultado positivo no teste de punção da pele.

Essa relação ficou ainda mais evidente aos 32 anos e mais clara ainda quando os pesquisadores levaram em consideração fatores que poderiam influenciar nos resultados, como sexo, antecedentes de alergias dos pais, ter um animal de estimação na infância, o hábito dos pais de fumar e a amamentação materna.

No entanto, apesar dessas descobertas é possível sim afirmar que, de acordo com esses dados, não é tão preocupante o fato das crianças apresentarem esses tipos de hábitos, pelo menos no que se refere à questão da higiene.

De acordo com os pesquisadores, os resultados confirmam a hipótese da higiene, o que sugere que a exposição de uma criança aos micróbios reduz o risco de desenvolvimento de alergias.

hábito

Hábitos infantis que devem ser eliminados

Apesar de ser possível ajudar a evitar o desenvolvimento de alergias, é preciso que as crianças que chupam o dedo ou que roem as unhas passem a eliminar aos poucos esses hábitos. Pois, os problemas que podem surgir em consequência dessas práticas podem ser significativos.

Por exemplo, apesar de ser normal o fato de os bebês chuparem o dedo, se esse hábito se prolongar para além dos três anos de idade pode provocar a deformação do palato, o que pode acarretar muitos outros problemas, como dificuldades fonéticas quando a criança começa a utilizar a linguagem, deformações faciais ou dificuldades para ingerir alimentos.

Além disso, pode provocar alterações no dedo da criança, como a formação de calos ou eczemas e deformações. Também aumenta o risco de intoxicações e infecções, já que, a partir dos três anos de idade, as crianças se locomovem com mais facilidade e conseguem ter acesso a lugares (e substâncias) que antes não conseguiam. Por outro lado, esse hábito também pode provocar transtornos emocionais, por ser um hábito reprovado socialmente.

Em relação ao hábito de roer as unhas, também é preciso eliminá-lo, já que, além de aumentar as chances de infecções e intoxicação, à medida que as crianças crescem, começam a aparecer outros tipos de riscos, como infecções e verrugas nas unhas ou problemas dentais, sem falar das dificuldades de uma criança em realizar suas tarefas habituais por ter machucados nos dedos por roer as unhas. Esse hábito também pode causar transtornos emocionais por ser um hábito rejeitado socialmente.