Deficiência de ferro na gravidez, maior risco de complicações

· 24 de abril de 2017

A deficiência de ferro na gravidez aumenta o risco de complicações, como, por exemplo, a necessidade de se realizar um parto prematuro ou de ocorrer um aborto espontâneo. De fato, aproximadamente 35 por cento das mulheres grávidas pode sofrer com o risco de complicações por falta de ferro durante a gravidez.

Essa é a conclusão de um novo estudo publicado recentemente na Revista Europeia de Endocrinologia. Entre outros dados interessantes os pesquisadores também descobriram que aproximadamente 10 por cento das mulheres grávidas com deficiência de ferro têm problemas de tireoide.

Deficiência de ferro durante a gravidez

A deficiência de ferro é uma forma comum de anemia que ocorre quando o organismo não recebe ferro em quantidade suficiente. O ferro é um mineral presente na carne de novilho, nos legumes, nas nozes, nos grãos inteiros, e nas frutas secas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde mais de 30% da população mundial é anêmica. Na maioria dos casos essa condição é atribuída à deficiência de ferro.

Como resultado da deficiência de ferro o organismo não produz níveis suficientes de hemoglobina, uma proteína presente nos glóbulos vermelhos do sangue. Os glóbulos levam o oxigênio dos pulmões aos tecidos do corpo. Isso pode provocar cansaço e falta de energia, além de falta de ar, dores no peito, palpitações e pele pálida.

A deficiência de ferro pode ser especialmente prejudicial para as mulheres grávidas e os fetos. As mulheres precisam de maiores quantidades de ferro durante a gravidez, pois esse é um elemento essencial ao crescimento do feto e à placenta.

O ferro também ajuda no funcionamento de uma proteína chamada peroxidase da tireoide que é essencial para a produção do hormônio da tireoide. As mulheres grávidas precisam produzir hormônios da tireoide em quantidade suficiente para que o cérebro dos seus bebês se desenvolva completamente. Isso é especialmente importante no primeiro trimestre de gravidez, quando o feto ainda precisa desenvolver sua própria glândula tireoide.

deficiência

Gravidez com deficiência de ferro e tireoidite autoimune

Os pesquisadores descobriram que 35% das mães gestantes sofrem com deficiência de ferro. Dessas mulheres 10% sofreria de tireoidite autoimune. Entre as mulheres grávidas sem deficiência de ferro, 6% sofrem de tireoidite autoimune.

Além disso, as análises mostraram que 20 por cento das mulheres grávidas com deficiência de ferro teriam hipotireoidismo subclínico. Nessa doença, os níveis dos hormônios da tireoide são ligeiramente mais altos em comparação com os 16 por cento das mulheres que não tinham deficiência de ferro. Os resultados se mantiveram depois de se considerar a idade e o índice de massa corporal das mulheres.

Os pesquisadores dizem que suas descobertas mostram que a deficiência de ferro continua sendo um problema grave. Por isso, sugerem mais atenção a fim de identificar e tratar a deficiência de ferro durante a gravidez.

Eles também querem estabelecer uma relação de causa e efeito entre essas condições para saber se é a deficiência de ferro que pode influenciar no aparecimento da tireoidite autoimune ou se é o contrário. Apesar de apontar que os estudos anteriores mostraram que a primeira proposição é mais provável, parece que ainda é preciso realizar mais pesquisas.

Conselhos para combater e prevenir a anemia durante a gravidez

deficiência

É comum que os médicos receitem suplementos de ferro para mulheres grávidas, inclusive antes da fecundação de fato ocorrer. No entanto, é possível prevenir a anemia comendo alimentos ricos em ferro e também alimentos que favorecem sua absorção.

A carne vermelha é a melhor fonte natural de ferro, mas há outras opções. Entre os alimentos de origem vegetal ricos em ferro estão os legumes, o tofu, as uvas passas, as tâmaras, as ameixas, os figos, os damascos, as batatas, os brócolis, as beterrabas, os vegetais de folha verde, o pão integral e os cereais integrais. Apesar do fígado também ser uma boa fonte de ferro, seu consumo deveria ser evitado durante a gravidez.

Para favorecer a absorção de ferro consuma alimentos ricos em vitamina C, como tangerinas, laranjas, tomates, cerejas ou pimentas, entre outros alimentos. Em contrapartida, o cálcio interfere na absorção de ferro, o mesmo acontece com o chá e o café. Dessa forma, procure não ingerir esses alimentos nessa fase.