Disbiose infantil: o que é, causas e tratamento

Para evitar a disbiose infantil, será fundamental propor uma dieta baseada em alimentos frescos, com teor adequado de fibras todos os dias.
Disbiose infantil: o que é, causas e tratamento

Última atualização: 17 junho, 2022

A disbiose infantil é um problema causado por uma alteração na microbiota das crianças, que ocorre por diversos motivos e gera sintomas relacionados ao aparato intestinal. Pode até condicionar negativamente a absorção de nutrientes e o estado da composição corporal.

Há alguns anos, a microbiota começou a ser considerada um órgão independente, que cumpre diferentes funções importantes na fisiologia humana. Não só está envolvida nos processos digestivos, como também está intimamente ligada ao sistema nervoso central.

Em muitos casos, a disbiose pode ser prevenida e melhorada e este é um objetivo desejável e benéfico em muitos aspectos. Descubra por que mudar seus hábitos alimentares é tão relevante.

Por que ocorre a disbiose?

Como antecipamos, a doença da microbiota pode ocorrer por diferentes razões.

Em primeiro lugar, devemos destacar a redução da densidade de bactérias benéficas que habitam o intestino. Nessas circunstâncias, as condições ideais são fornecidas para que os germes patogênicos colonizem o tubo e interrompam seu funcionamento normal. Como consequência, gases, inflamação e até dor são produzidos de forma recorrente.

Por outro lado, pode ocorrer uma perda da biodiversidade da flora. Em geral, muitas espécies diferentes de microrganismos coexistem no intestino e são mantidas em um delicado equilíbrio. No entanto, quando essa estabilidade é interrompida, como quando ocorre a diarreia, os germes nocivos proliferam incontrolavelmente e danificam os tecidos. Até mesmo a absorção de nutrientes e a síntese de algumas vitaminas podem ser afetadas negativamente.

Além das infecções, existem outras causas de perda da diversidade da flora, que ocorrem de forma progressiva e gradual. Por exemplo, a adoção de hábitos alimentares pouco saudáveis, que incluem o consumo de alimentos de má qualidade ou estragados. Assim, fica claro que cuidar da alimentação é decisivo para manter uma microbiota saudável.

Espécies de bactérias intestinais que compõem a microbiota ou microbioma
As bactérias que compõem a microbiota são de diferentes espécies. Algumas são benéficas e outras nem tanto, mas devem coexistir em um delicado equilíbrio para manter a saúde do corpo.

Antibióticos e disbiose

Um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da disbiose infantil é o uso sustentado de antibióticos. Muitos desses medicamentos não são seletivos quando se trata de atacar bactérias e tendem a erradicá-las independentemente do órgão em que residem.

No caso da microbiota, sua densidade é consideravelmente reduzida, o que favorece o desenvolvimento de patologias intestinais, como diarreia. Isso fica evidenciado em uma pesquisa publicada em Brain, Behavior and Immunity.

Nesses casos, muitas vezes é aconselhável administrar probióticos para evitar que as bactérias benéficas sejam mortas pelo antibiótico. Assim, os efeitos colaterais do medicamento serão menores, bem como seus riscos, mas seu uso ainda deve ser reservado para casos específicos que o justifiquem.

É necessário melhorar a dieta para evitar a disbiose infantil

É importante notar que o que comemos influencia na composição da flora intestinal, para melhor ou para pior.

Hoje estamos expostos a muitos alimentos ricos em conservantes, aditivos artificiais e gorduras trans. O consumo regular dessas substâncias pode afetar a configuração bacteriana do intestino, principalmente em organismos mais jovens.

Da mesma forma, o fornecimento inadequado de fibras na dieta pode ser outra causa da perda de densidade bacteriana, uma vez que parte dela atua como prebiótico natural. De fato, vários estudos mostraram que a fibra nutre a microbiota e favorece a sobrevivência e o funcionamento desses microrganismos.

Por tudo isso, é sempre aconselhável basear a dieta no consumo de alimentos frescos com elevada densidade nutricional. Além disso, garanta uma ingestão de pelo menos 25 gramas de fibra por dia, para manter uma microbiota saudável e um trânsito intestinal em boas condições.

Pais com a filha na cozinha preparando frutas e legumes para fornecer um bom suprimento de vitaminas na alimentação das crianças.
Modificar os hábitos alimentares de toda a família é fundamental para melhorar a saúde da microbiota intestinal. Inclusive, é a estratégia mais adequada para reverter a disbiose infantil.

Disbiose infantil, um problema cada vez mais frequente

Infelizmente, a disbiose infantil é cada vez mais recorrente, e isso aumenta o risco de sofrer de patologias de base inflamatória, como a síndrome do intestino irritável. Apostar na prevenção é fundamental, e essa estratégia começa em casa.

No caso em que já tiver ocorrido uma disbiose infantil, é melhor consultar um especialista para implementar as estratégias para reverter a condição. Caso contrário, os sintomas da criança só piorarão com o tempo.

Pode interessar a você...
Alimentos para aliviar a dor de estômago nas crianças
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Alimentos para aliviar a dor de estômago nas crianças

A dor de estômago nas crianças é muito mais frequente do que se imagina. As crianças costumam sentir esse tipo de incômodo.



  • Fröhlich EE, Farzi A, Mayerhofer R, Reichmann F, Jačan A, Wagner B, Zinser E, Bordag N, Magnes C, Fröhlich E, Kashofer K, Gorkiewicz G, Holzer P. Cognitive impairment by antibiotic-induced gut dysbiosis: Analysis of gut microbiota-brain communication. Brain Behav Immun. 2016 Aug;56:140-55. doi: 10.1016/j.bbi.2016.02.020. Epub 2016 Feb 23. PMID: 26923630; PMCID: PMC5014122.
  • Simpson HL, Campbell BJ. Review article: dietary fibre-microbiota interactions. Aliment Pharmacol Ther. 2015 Jul;42(2):158-79. doi: 10.1111/apt.13248. Epub 2015 May 24. PMID: 26011307; PMCID: PMC4949558.