6 doenças da infância com manifestações na língua

Prestar atenção à aparência da boca do seu filho pode ajudar você a detectar problemas de saúde precocemente. Conheça alguns dos principais sinais.
6 doenças da infância com manifestações na língua

Última atualização: 03 julho, 2022

As doenças da infância podem se manifestar na língua com sinais diferentes e variados. É por isso que é importante saber como deve ser esse órgão em condições normais e quais sinais indicam que algo pode estar errado nas crianças.

Esse pedaço de músculo que fica na cavidade oral tem muitas funções: sentir gostos, falar e comer. Muitas vezes, é também um indicador do estado geral de saúde da pessoa.

Nem sempre haverá mudanças na língua quando as crianças sofrerem de doenças, mas caso ocorram, é bom aprender a reconhecê-las. Neste artigo vamos descrever a língua normal e algumas das patologias que alteram sua aparência.

Como é a língua normal de uma criança?

A língua é uma massa muscular rosada com grande mobilidade. Sua tonalidade é indicativa de boa saúde, mas quando fica branca, pálida ou adquire um tom vermelho intenso, pode haver um problema com o corpo.

Da mesma forma, a língua é recoberta por uma mucosa que lhe confere umidade, e essa condição é essencial para cumprir determinadas funções. De fato, quando a língua está seca, também nos alerta para uma possível doença.

A superfície da língua tem pequenas saliências chamadas papilas e existem 4 tipos:

  • Foliadas: ficam nas laterais da língua e são responsáveis por drenar a saliva e limpar o órgão.
  • Fungiformes: são encontradas principalmente na região anterior da língua e percebem o paladar.
  • Circunvaladas: também chamadas de caliciformes, são produtoras de saliva e estão localizadas na base da língua, ou seja, na parte mais posterior.
  • Filiformes: são as mais numerosas, responsáveis pela textura aveludada da língua. São responsáveis pelo sentido do tato, ou seja, nos permitem reconhecer a textura do que comemos.

Abaixo da língua existe uma estrutura membranosa que serve como órgão de fixação à boca. Este é o frênulo lingual, que também pode ter seus próprios defeitos. Crianças nascidas com um frênulo mais curto podem ter anquiloglossia.

menina come sorvete de frutas na praia mar chapéu maiô sol
As papilas gustativas diminuem em número à medida que envelhecemos e é por isso que as crianças percebem os sabores de maneira diferente dos adultos.

As doenças infantis mais comuns que causam alterações na língua

Em linhas gerais, você já sabe como é a língua normal de uma criança. Dessa forma, se o seu pequeno apresentar alguma alteração na aparência dessa parte da boca, você pode consultar o pediatra para descobrir a causa do problema.

A seguir, citaremos algumas das doenças infantis que se manifestam nesse órgão bucal.

1. Candidíase

Candida albicans é um fungo com presença normal em algumas partes do corpo. Ou seja, faz parte da flora normal do ser humano.

Mas em algumas circunstâncias o equilíbrio saudável entre esse fungo e nossas defesas se rompe e acaba infectando algumas estruturas. Na boca isso é conhecido como candidíase oral ou aftas e tem uma manifestação característica: as membranas mucosas (incluindo a da língua) são cobertas por membranas brancas que parecem leite azedo.

Embora não seja uma infecção grave para crianças, pode alterar o mecanismo de alimentação. Em recém-nascidos, principalmente, o desconforto dificulta a amamentação e o bebê ingere menos leite materno do que o recomendado.

Quando as manchas esbranquiçadas se desprendem, sobra por baixo uma parte da língua vermelha, ardente e dolorida. Os pediatras costumam fazer o diagnóstico imediatamente e iniciar o tratamento correspondente.

Em algumas crianças, a candidíase pode ser um sinal de outras doenças infantis que causam diminuição das defesas (imunossupressão). A frequência desses distúrbios não é alta, mas deve ser detectada em tempo hábil.

A candidíase é uma infecção oportunista muito comum entre os lactentes. É benigna e é resolvida com o tratamento adequado.

2. Desidratação

A desidratação não é uma doença em si, mas uma condição que resulta da falta de água no corpo. Pode se originar como resultado de alguma patologia, por uma ingestão insuficiente de líquidos ou por uma perda aumentada dos mesmos.

As crianças são mais suscetíveis à desidratação do que os adultos, pois seus mecanismos de compensação são um pouco menos eficientes. De fato, muitas doenças infantis que causam desidratação, seja por febre, vômito ou diarreia, se manifestam pelo aspecto da língua.

Na ausência de água corporal, o órgão fica pálido ou esbranquiçado e perde sua umidade característica. Ao ser examinada, pode parecer seca e áspera ao toque.

Se somarmos a isso que a criança urina menos ou fica muito tempo sem urinar, fica irritável ou chora sem lágrimas, o pediatra deve ser consultado o mais rápido possível.

3. Anemia

A anemia é uma das doenças mais comuns da infância que também apresenta sinais na língua. Devido à falta de glóbulos vermelhos, tanto a pele quanto a língua ficam pálidas. No entanto, o quadro lingual mais indicativo desse distúrbio é a glossite, que consiste na inflamação do órgão, com aumento de seu tamanho, vermelhidão e perda de papilas.

A glossite não é exclusiva da anemia por deficiência de ferro, como pois outras deficiências de micronutrientes apresentam esse sintoma, como falta de vitamina B12, zinco e ácido fólico.

Se o pequeno apresentar cansaço, falta de concentração, fraqueza, unhas quebradiças e pele e língua pálidas, será pertinente consultar um pediatra.

A escarlatina: uma das doenças da língua na infância
A escarlatina é uma erupção bacteriana que causa uma erupção cutânea característica e envolvimento da mucosa oral, incluindo a língua.

4. Escarlatina

A escarlatina, também conhecida como febre escarlate, é uma das doenças da infância que apresenta sintomas na língua. Em geral, aparece após uma faringite estreptocócica, pois é causada pelo mesmo germe.

As crianças afetadas apresentam uma erupção cutânea em grande parte do corpo, que geralmente surge no nível do pescoço. Um sinal característico é que, se essa erupção for pressionada, a pele momentaneamente deixa de ficar vermelha nesse ponto.

Na boca, a escarlatina é identificada com a chamada “língua de morango. Primeiro, o órgão fica branco e inchado, com uma camada superior semelhante a um revestimento. Em seguida, adquire um tom vermelho profundo com muitas protuberâncias, que são papilas aumentadas de tamanho.

O tratamento dessa patologia é com antibióticos, uma vez que o agente causal é uma bactéria. Diante dos sintomas, o pediatra saberá qual medicação indicar.

5. Alergias

As alergias são muito comuns durante a infância. As crianças podem sofrer reações cutâneas pelo contato com um elemento alergênico, seja veneno de insetos, alimentos ou pelos de animais.

O sistema imunológico das crianças é exposto a substâncias desconhecidas quase constantemente, mas se houver uma certa suscetibilidade a alguma, uma reação alérgica será desencadeada. A língua pode ser um local onde o processo se manifesta: ela incha e fica mais vermelha do que o normal, o que dificulta a fala, a deglutição e até a respiração.

Se a reação for grande, envolver outras partes do corpo e apresentar lábios inchados, eritema da pele, inchaço das pálpebras, dificuldade para engolir e diarreia, uma consulta pediátrica imediata é necessária.

6. Língua geográfica

Por fim, entre as doenças infantis com manifestações na língua, não podemos deixar de citar a glossite migratória benigna ou a língua geográfica. É uma patologia benigna e crônica da língua, que não é grave e não requer tratamento.

Seu nome se deve à aparência de mapa que a superfície lingual adquire, pois aparecem algumas manchas róseas ou avermelhadas em seu dorso, separadas umas das outras por bordas brancas. Eles mudam seu arranjo ao longo do tempo.

Em geral, esse distúrbio não causa dor ou desconforto, mas em algumas crianças aumenta a percepção de alguns sabores.

Sua etiologia é desconhecida, embora existam diferentes teorias que tentam explicar suas causas. Especula-se sobre uma herança genética, pois há casos em que mais de um membro de uma família compartilha o traço.

Além disso, há associação entre algumas doenças sistêmicas e o aparecimento da língua geográfica como outro sintoma. Psoríase, dermatite atópica e doença celíaca são alguns exemplos.

Médico procurando doenças da língua na infância
O exame da boca do paciente no controle pediátrico é muito importante, pois esse órgão revela alguns alertas de doenças.

Observação da língua

A língua pode apresentar sinais e sintomas que apontam para a presença de qualquer uma das doenças comuns da infância. Observar a boca do seu pequeno permitirá que você perceba qualquer alteração que indique que algo está errado e procure o pediatra em tempo hábil.

Muitas condições são benignas e são facilmente resolvidas, mas outras exigirão métodos complementares para definir um diagnóstico e iniciar o tratamento em tempo hábil.

Ninguém conhece a língua do seu filho tão bem quanto você. Portanto, se algo parecer incomum, não demore a procurar atendimento médico.

Pode interessar a você...
Língua geográfica em crianças: sintomas e tratamento
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Língua geográfica em crianças: sintomas e tratamento

A língua geográfica em crianças geralmente se apresenta sem dor, na maioria dos casos, embora algumas circunstâncias levem ao desconforto e à irrit...



  • Bhattad, Mayur S., M. S. Baliga, and Ritika Kriplani. “Clinical guidelines and management of ankyloglossia with 1-year followup: report of 3 cases.” Case reports in dentistry 2013 (2013).
  • Krishnan, P. Anitha. “Fungal infections of the oral mucosa.” Indian journal of dental research 23.5 (2012): 650.
  • Chiang, Chun-Pin, et al. “Atrophic glossitis: Etiology, serum autoantibodies, anemia, hematinic deficiencies, hyperhomocysteinemia, and management.” Journal of the Formosan Medical Association 119.4 (2020): 774-780.
  • Adya, Keshavmurthy, Arun Inamadar, and Aparna Palit. “The strawberry tongue: What, how and where?.” Indian journal of dermatology, venereology and leprology 84.4 (2018).
  • Ogueta, I., et al. “Lengua geográfica:¿ qué es lo que un dermatólogo debería saber?.” Actas Dermo-Sifiliográficas 110.5 (2019): 341-346.
  • Steffen, Richard, and Hubertus van Waes. “Enfermedades infantiles frecuentes y sus manifestaciones en la cavidad oral.” Quintessence: Publicación internacional de odontología 23.8 (2010): 378-387.
  • Schling, P. The Sense of Taste.
  • Pérez-Elizondo, A. D. (2017). Glositis comunes y su relación con patologías orgánicas. Revista Mexicana de Cirugía Bucal y Maxilofacial13(3), 83-87.
  • González-Álvarez, L., García-Pola, M. J., & Garcia-Martin, J. M. (2018). Lengua geográfica: factores predisponentes, diagnóstico y tratamiento. Revisión sistemática. Revista Clínica Española218(9), 481-488.