Em que consiste a síndrome de Tourette?

11 de maio de 2020
A síndrome de Tourette é um distúrbio que afeta crianças e adolescentes, levando-os a manifestar tiques motores e vocais.

A síndrome de Tourette é um distúrbio caracterizado por tiques motores e verbais que se manifesta durante a infância. Ela faz com que a criança emita movimentos ou sons repentinos, repetitivos e incontroláveis, que podem afetar a sua qualidade de vida. No entanto, devido à maneira como geralmente é retratada nos filmes, muitas vezes obtemos uma imagem errada sobre essa síndrome.

Geralmente, ela é mostrada como uma condição na qual a pessoa grita insultos, palavrões ou comentários socialmente inadequados (coprolalia). Ou uma condição na qual são realizados gestos obscenos involuntários (copropraxia). No entanto, apesar da ampla divulgação pública, essas são manifestações raras da síndrome de Tourette.

Em que consiste a síndrome de Tourette?

A síndrome de Tourette é um distúrbio neurológico com início na infância ou adolescência, antes dos 18 anos de idade. Geralmente, costuma começar entre os cinco e os nove anos, e uma das suas primeiras manifestações são os tiques faciais, tais como piscar ou franzir o nariz.

Os tiques variam ao longo do tempo, tanto em tipo quanto em intensidade e frequência, apresentando períodos de remissão e exacerbação. Os tiques que podem aparecer são:

  • Motores: movimentos repetitivos, repentinos e incontroláveis ​​de diferentes partes do corpo.
  • Vocais: emissão involuntária de sons ou palavras de forma breve e intermitente.
A síndrome de Tourette: criança gritando

Por sua vez, tanto os tiques motores quanto os vocais podem ser simples ou complexos.

  • Simples: entre os simples, estão aqueles que envolvem um único grupo muscular, tais como piscar ou encolher os ombros, ou então pigarrear ou grunhir, no caso dos vocais. 
  • Complexos: envolvem vários grupos musculares e são mais elaborados. Por exemplo, pular, girar ou tocar uma parte do corpo, entre os tiques motores. Ou, para os tiques vocais, proferir insultos, repetir as próprias palavras ou as de outras pessoas (ecolalia).

Todos esses movimentos e expressões são involuntários e incontroláveis ​​para a criança e geralmente são precedidos por um impulso premonitório. Isso se refere a uma sensação corporal desconfortável (como uma coceira ou cócegas, semelhante ao que ocorre com um espirro), que só é aliviada quando o tique aparece.

Com muito esforço, algumas crianças conseguem suprimir os seus tiques temporariamente. Mas, eventualmente, quando a tensão aumenta, eles voltam a reaparecer.

Considerações a se ter em mente

Aproximadamente entre 0,4 e 3,8% das crianças são afetadas por essa síndrome. Acredita-se que tanto fatores genéticos quanto ambientais estejam entre suas causas, e afeta os homens cerca de três vezes mais do que as mulheres.

Além disso, foram encontrados outros distúrbios e condições relacionados à presença da síndrome de Tourette. Especialmente problemas de atenção (TDAH), problemas comportamentais, transtorno obsessivo-compulsivo, ansiedade ou depressão.

Felizmente, o distúrbio geralmente desaparece com a idade e são encontrados muito poucos casos que mantêm uma alta gravidade após a adolescência. Por outro lado, há um aumento dos sintomas nos períodos em que a criança está cansada, doente ou sob condições estressantes.

A síndrome de Tourette: mãe brincando com filho

A síndrome de Tourette não afeta a inteligência ou a saúde das pessoas que sofrem com ela, apesar da inconveniência dos próprios tiques.

Geralmente, essas crianças enfrentam grande falta de compreensão por parte das outras pessoas, o que pode fazer com que elas se sintam mais ansiosas e envergonhadas. Por isso, é importante que as pessoas que convivem com elas sejam informadas e se mostrem compreensivas.

Por fim, devemos nos lembrar de que quando esses tiques estão presentes durante a infância, isso não significa necessariamente a existência desse distúrbio.

Pelo contrário, os tiques são um fenômeno bastante frequente em crianças e, em geral, aparecem temporariamente e desaparecem sem maiores dificuldades. A síndrome de Tourette é uma doença pouco comum, e ainda mais raros são os casos de alta gravidade.

Tratamento da síndrome de Tourette

Não existe um medicamento único para combater a síndrome. Pelo contrário, várias opções estão disponíveis, dependendo do caso específico. No entanto, são medicamentos que podem gerar efeitos colaterais significativos. Portanto, quando os tiques não são incapacitantes, é preferível não usá-los.

Em relação ao tratamento psicológico, a técnica de reversão de hábitos tem se mostrado eficaz para a redução dos sintomas. As técnicas de relaxamento também podem ser muito favoráveis, assim como o tratamento das outras condições psicológicas associadas que podem estar presentes, tais como TDAH ou TOC.

  • Gonzálvez, M. T. (2016). Tratamiento cognitivo-conductual de un niño con Síndrome de Tourette. Revista de Psicología Clínica con Niños y Adolescentes3(1), 25-30.
  • Jankovic, J. (2002). Síndrome de Gilles de la Tourette. Lancet (Oncol)3, 111-117.