A extinção como uma técnica para eliminar comportamentos

25 de novembro de 2019
Muitos dos comportamentos negativos das crianças são mantidos porque elas recebem a nossa atenção. A técnica de extinção nos ajuda a substituir esses comportamentos por outros mais apropriados.

Cada criança (e cada família) é diferente das outras. Nem todas as crianças têm a mesma personalidade, nem todas as dinâmicas familiares são iguais. São os pais que devem escolher, dentre todas as técnicas e estratégias disponíveis, aquelas com as quais mais se identificam. Hoje vamos falar sobre uma delas: a extinção.

A educação tem como objetivo orientar as crianças para que elas aprendam a lidar com a frustração e a selecionar comportamentos úteis para lidar com o ambiente.

No entanto, às vezes, as crianças têm comportamentos inadequados que causam problemas em termos pessoais, sociais, familiares e escolares. Crianças que desobedecem, insultam ou nos desafiam constantemente.

Nosso papel nessa situação será ajudá-las a substituir essas atitudes conflitantes por atitudes mais saudáveis ​​e adequadas. Mas isso sempre deve ser feito por meio do respeito e do carinho, fugindo, assim, da violência e do castigo. Afinal, devemos ter em mente que os pequenos ainda estão aprendendo a viver.

A importância da atenção

Uma das técnicas que mais podem nos ajudar nesse processo é a extinção. Ela parte da ideia de que qualquer comportamento repetitivo ocorre porque ele está sendo reforçado de alguma forma. O objetivo será, portanto, eliminar os reforçadores que recompensam e mantêm o comportamento conflituoso.

técnica para eliminar comportamentos

Talvez não seja fácil perceber como estamos recompensando essa atitude negativa. Certamente, quando esse comportamento aparece, repreendemos a criança ou a punimos de alguma maneira. O que não estamos percebendo é que a atenção do pai e da mãe é um dos maiores reforçadores que existem para uma criança.

Os adultos tendem a prestar mais atenção às transgressões e aos maus comportamentos das crianças, pois são o que incomodam e desagradam. Dessa forma, o bom comportamento acaba sendo ignorado. A criança entende, então, que o meio de obter atenção é se comportar mal.

Como aplicar a extinção

A extinção propõe, precisamente, desviar a atenção dos comportamentos que queremos eliminar. Não responder a eles, não repreender, mas sim ignorá-los completamente.

Essa técnica sempre deve ser acompanhada pelo reforço positivo de qualquer outro comportamento apropriado que a criança tiver, pois, caso contrário, ela poderá se sentir ignorada.

Não se trata de um castigo nem de uma vingança. Não vamos desviar a atenção com uma cara feia porque estamos com raiva. Simplesmente vamos focar a nossa atenção em comportamentos positivos e desejáveis. Vamos ajudar, por meio do carinho, a substituir uma atitude por outra.

Se, por exemplo, uma criança estiver fazendo birra porque desligamos a televisão, não vamos discutir com ela, nem repreendê-la por chorar. Vamos ignorar esse comportamento indesejável e tentar redirecionar a criança, oferecendo um jogo de tabuleiro para jogar junto.

No entanto, se a birra continuar, devemos explicar, de forma calma e afetuosa, que não vamos dar atenção enquanto ela continuar chorando e gritando. Que ficaremos felizes em conversar e brincar com ela quando ela se acalmar e conversar direito.

Assim que a criança conseguir se acalmar e falar conosco em um tom normal, devemos recebê-la com um sorriso e, então, recompensá-la com toda a nossa atenção e o nosso carinho.

A extinção

Dicas a serem lembradas

  • A criança deve conhecer as condições desde o início. É muito importante explicar claramente que é necessário conversar e pedir as coisas com calma e educação. E que não iremos ajudá-la enquanto estiver fazendo isso chorando ou gritando.
  • É essencial ser constante e consistente na aplicação dessa técnica. Se às vezes ignorarmos o comportamento, mas às vezes o atendermos, estaremos dando um reforço intermitente que só vai piorar a situação. É necessário ser firme e, assim, sempre ignorar a atitude negativa e recompensar a positiva.
  • Esse procedimento, embora seja realmente eficaz, leva tempo. Portanto, não podemos usá-lo para comportamentos que precisem ser eliminados imediatamente. Por exemplo, se a criança for colocar os dedos em uma tomada, não podemos ignorá-la, devemos agir.
  • É necessário ter em mente que, quando essa técnica começa a ser aplicada, geralmente há um aumento temporário do comportamento indesejado. Isso é normal e devemos permanecer firmes até que a criança entenda o novo funcionamento familiar, abandonando, assim, o mau comportamento.
  • Albert, M. A. R. T. A. (2007). Técnicas de modificación de conducta.
  • Isabel, C. A. R. O. TRATAMIENTO CONDUCTUAL EN UN CASO DE RABIETAS.