É necessário tratar as cáries em dentes de leite?

Os dentes de leite desempenham papéis importantes no desenvolvimento da boca dos pequenos. Por isso, é essencial cuidar da sua saúde desde o início.
É necessário tratar as cáries em dentes de leite?

Última atualização: 14 abril, 2022

Muitos pais acham que não é necessário tratar as cáries nos dentes de leite, pois esses elementos vão cair mais cedo ou mais tarde. Mas essa crença não é apenas errada, como também bastante perigosa.

A cárie é uma das patologias mais prevalentes em todo o mundo e seu aparecimento durante a infância é bastante comum. De fato, de acordo com o Global Burden of Disease Study realizado em 2017, mais de 530 milhões de bebês no mundo têm cáries em seus dentes de leite.

Sofrer de cárie na infância influencia o bem-estar e a vida diária da criança: afeta a aparência do sorriso, incomoda ao comer ou falar e causa dor. Além disso, aumenta o risco de sofrer infecções dentárias e perder os dentes de leite antes do tempo.

Portanto, tratar cáries em dentes de leite é uma ação absolutamente necessária para preservar a saúde dos pequenos. A seguir vamos contar mais sobre isso.

Por que temos que tratar as cáries nos dentes de leite?

Para entender a necessidade de tratar as cáries nos dentes de leite, é fundamental entender os efeitos negativos dessa patologia.

Interferência nas funções orais

O processo carioso destrói a integridade dos tecidos duros dos dentes. Elementos dentários manchados, quebrados e até destruídos afetam o funcionamento normal da boca. E embora seja verdade que os dentes de leite sejam transitórios, sua presença é vital para o correto desenvolvimento do bebê.

A seguir, mencionamos as funções mais importantes dos dentes temporários:

  • Favorecem a alimentação: a dentição decídua permite que as crianças aprendam a mastigar e engolir corretamente.
  • Participam do desenvolvimento da fala: muitos fonemas precisam desses elementos para soar corretamente e esse é um aspecto fundamental do aprendizado.
  • Guiam a erupção dos dentes permanentes: os dentes de leite reservam o espaço necessário para que os permanentes se posicionem posteriormente. Se os primários forem quebrados ou perdidos prematuramente, esse processo de orientação pode ser alterado e causar mal posicionamentos dentários ou problemas de mordida.
  • Promovem o desenvolvimento dos maxilares: a presença e o uso de elementos temporários permitem que os maxilares cresçam e se desenvolvam conforme o esperado.
  • Mantêm a estética da boca: apresentar todos os dentes com aparência saudável fortalece a autoestima da criança. Quando seus dentes estão doentes, os pequenos podem sentir vergonha de si mesmos e serem vítimas de bullying.
O que são as cáries dentárias e como elas podem ser prevenidas?
A cárie é muito mais do que uma questão estética e tem um impacto especial no desenvolvimento da boca dos bebês.

Sintomas incômodos

A cárie causa a perda dos tecidos duros do dente, devido à ação dos ácidos produzidos pelas bactérias na boca. Esse fenômeno está relacionado a alta ingestão de carboidratos e higiene bucal inadequada, embora alguns fatores individuais e o tempo de evolução dessas questões também influenciem.

No início dessa patologia, os dentes ficam manchados com uma cor branca seca característica. Então, à medida que o processo avança, essas manchas se tornam amarelas, marrons ou pretas.

Se a patologia não for tratada, os dentes são destruídos, com lacunas e buracos aparecendo em sua superfície. Isso pode afetar a polpa dentária, que é a parte mais interna dos elementos dentários. Consequentemente, aumenta a sensibilidade e a dor.

Ter dentes com cáries afeta a aparência do sorriso das crianças e também retém a placa bacteriana que causa o mau hálito e as predispõe a sofrer de outras patologias orais.

Por sua vez, a dor de dente por cárie interfere nas funções da boca e causa muito desconforto na criança. Isso altera o cotidiano da criança e de sua família, pois a sensação dolorosa à noite afeta o descanso de todos. Por fim, o fato de dormir mal se traduz no aumento do absenteísmo escolar e no trabalho.

Complicações da saúde infantil

A origem infecciosa da cárie predispõe a apresentar outros inconvenientes na boca e no resto do organismo do lactente.

O aparecimento de fístulas com pus nas gengivas, o inchaço da face, a inflamação dos gânglios maxilares e até o aumento da febre podem indicar a complicação de cárie com abscesso dentário. Nesses casos é pertinente ir ao dentista com urgência.

Outro ponto importante é que as bactérias que causam cárie nos dentes de leite podem afetar os dentes permanentes que estão se formando abaixo. Isso pode resultar em manchas, alterações no esmalte, hipoplasia e outros danos estruturais aos elementos permanentes.

Os casos mais graves podem dar origem a infecções em outras partes do corpo, como as válvulas cardíacas ou até mesmo sepse.

Finalmente, outra complicação associada a essa patologia é o atraso no crescimento e desenvolvimento físico da criança.

Como tratar as cáries em dentes de leite?

Para tratar cáries em dentes de leite é necessário ir ao odontopediatra regularmente, pois é o profissional mais indicado para solucionar esse problema.

Após uma avaliação criteriosa do estado de saúde da boca, o dentista escolherá a terapia adequada para cada caso, que pode incluir os seguintes tratamentos:

  • Interrupção do processo: no caso de cárie incipiente, o uso de flúor local pode interromper a lesão e ajudar a restaurar a saúde bucal. Mudanças de hábitos nessa fase também serão necessárias.
  • Obturações: se as lesões forem mais avançadas, mas sem envolvimento pulpar, a área pode ser limpa e depois preenchida com uma obturação.
  • Tratamentos pulpares: quando a polpa estiver comprometida, serão necessários tratamentos que limpem essa área e depois restaurem a anatomia dentária.
  • Medicação: se houver infecção, abscesso ou celulite facial de origem dentária, será necessário recorrer a antibióticos.
  • Extração: os casos mais graves podem exigir a extração do dente, a fim de preservar a saúde do dente permanente que está se formando abaixo. Nestes casos, deve-se colocar um aparelho para manter o espaço até o momento da erupção do dente definitivo.
  • Aconselhamento: qualquer que seja a terapia de escolha, cabe ao odontopediatra orientar os pais sobre os cuidados bucais pertinentes em casa.
menino sentado na cadeira do dentista mostra seu dente
Detectar e erradicar os fatores de risco que favorecem o aparecimento da doença é essencial para evitar recorrências.

A importância da prevenção

Como mencionamos, quando as cáries aparecem nos dentes de leite, é necessário tratá-las. Mas o ideal é evitar que se desenvolvam, e isso pode ser conseguido com medidas simples em casa.

Cuidar de manter uma higiene bucal adequada é essencial para eliminar a placa bacteriana que causa as cáries. A escovação frequente e bem executada, o uso de fio dental e de cremes dentais com flúor ajudam a limpar dentes, gengivas e língua adequadamente.

Também é necessário prestar atenção especial à alimentação das crianças. Nesse sentido, deve-se tomar cuidado para que não seja rica em açúcares simples, ácidos ou bebidas gaseificadas.

Visitar o dentista a cada 6 meses a partir do primeiro ano de vida é outra forma de cuidar da saúde bucal da criança e evitar as cáries. Consultas periódicas permitem detectar qualquer problema a tempo, descobrir fatores de risco e otimizar a higiene bucal das crianças.

Evitar as cáries nos dentes de leite e tratá-las em tempo hábil é uma responsabilidade dos adultos. Com os devidos cuidados, seu pequeno poderá sorrir livremente.

This might interest you...
7 mitos sobre cáries infantis
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
7 mitos sobre cáries infantis

Existem vários mitos sobre as cáries infantis, mas alguns são prejudiciais aos pequenos. Confira a seguir 7 desses mitos tão prejudiciais.



  • James, S. L., Abate, D., Abate, K. H., et al. (2018). Global, regional, and national incidence, prevalence, and years lived with disability for 354 diseases and injuries for 195 countries and territories, 1990–2017: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2017. The Lancet392(10159), 1789-1858.
  • Organización Mundial de la Salud. (‎2021)‎. Poner fin a la caries dental en la infancia: manual de aplicación de la OMS. Organización Mundial de la Salud. https://apps.who.int/iris/handle/10665/340445. Licencia: CC BY-NC-SA 3.0 IGO
  • Khanh, L. N., Ivey, S. L., Sokal-Gutierrez, K., et al. (2015). Early childhood caries, mouth pain, and nutritional threats in Vietnam. American journal of public health105(12), 2510-2517.
  • Illescas, P. L. A., León, K. C., León, E. V., & Coral, B. V. (2021). Estado nutricional y caries de infancia temprana en niños de 0 a 3 años: Revisión de la literatura. Revista Odontología Pediátrica20(1), 49-59.
  • Sánchez-Pérez, L., Sáenz Martínez, L. P., Molina-Frechero, N., Irigoyen-Camacho, M. E., & Alfaro-Moctezuma, P. (2018). Riesgo a caries. Diagnóstico y sugerencias de tratamiento. Revista ADM75(6).
  • Frencken, J. O. (2018). Tratamiento restaurador atraumático. Revista de la Facultad de Odontología12(2).
  • Minaya Ramos, G. G. (2021). Factores de riesgo de caries en dentición primaria (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil. Facultad Piloto de Odontología).
  • Zambrano Hidalgo, M. J. (2021). Caries de la infancia temprana: prevención y tratamientos: Revisión sistemática.