Os terrores noturnos em crianças

4 de abril de 2017

Muitas crianças sofrem com pesadelos quando estão dormindo durante a noite. Normalmente  se acalmam  quando acordam e nós as  tranquilizamos com um bom abraço de pais. Mas muitas crianças também  podem sofrer de terrores noturnos, e os pais muitas vezes ficam preocupados com essas alterações do sono.

O terror noturno é um distúrbio do sono que parece um pesadelo, mas é mais longo e a criança sente muito medo. As crianças parecem estar acordadas, mas na verdade estão dormindo.

Os terrores noturnos em crianças assustam muito aos pais, mas se não houver nenhum problema médico que o cause, então não devemos preocupar-nos. Assim como o  sonambulismo ou os pesadelos,  os terrores noturnos não têm relevância em relação à saúde das crianças.

Os terrores noturnos

O sono é um fenômeno complexo, durante o qual  podem aparecer  diferentes distúrbios em diversas fases, esses distúrbios são conhecidos como parassonias. Entre as parassonias infantis  mais conhecidas podemos citar a insônia pediátrica, o sonambulismo, falar durante o sono, os pesadelos, os terrores noturnos, e a síndrome das pernas inquietas, entre outros.

O sono dos nossos filhos passa por várias fases. Na fase REM é quando a maioria dos sonhos ocorrem, mas os terrores noturnos ocorrem durante o sono não REM. Os terrores noturnos ocorrem geralmente de 2 a 3 horas após a conciliação do sono, na transição entre a fase mais profunda do sono não REM e a REM.

Durante um terror noturno a criança pode sentar-se na cama e pode até mesmo gritar ou correr angustiado dentro da casa. Em seguida, depois de alguns minutos, a criança vai se acalmar e voltará a dormir tranquilamente. Mas  a criança não se lembra destes terrores noturnos. No entanto, muitas vezes os pais se preocupam muito ao ver como as crianças passam muito medo com esses terrores noturnos.

Diferenças com o pesadelo

Os pesadelos só aparecem na fase do sono REM. No entanto os terrores noturnos surgem na fase não REM, quando a criança está dormindo profundamente no primeiro terço da noite.

Se uma criança tem um pesadelo vai se acalmar se os pais se sentarem e conversarem com ela. No entanto, se a criança está passando por um terror noturno ela não vai estar ciente de que estamos a seu lado e é por isso que não devemos acordá-la. A criança pode ficar sentada na cama e até mesmo com os olhos abertos, mas não conseguirá ver-nos ou saber que estamos lá.

Se uma criança tem um pesadelo, no dia seguinte certamente irá se lembrar do que ela sonhou. Se ao invés  ela tiver um terror noturno não vai conseguir lembrar de nada, mesmo se insistirmos em perguntar o que aconteceu,  ou com que ela  estava sonhando.

Causa dos terrores noturnos

Os especialistas acreditam que os terrores noturnos são causados ​​por uma hiperativação do sistema nervoso central (SNC) durante o sono. Geralmente ocorre em crianças de três a quatro anos até a adolescência. As crianças que estão em demasiado cansaço ou doentes são as mais propensas a  sofrer com os terrores noturnos. Eles também podem aparecer como consequência  de alguma medicação ou quando as crianças dormem em uma casa diferente da sua.

 O que fazer durante um terror noturno?

Como já falamos antes, os pais ficam muito assustados com esses terrores noturnos e geralmente não sabem o que fazer. É importante não acordar a criança quando ela estiver sofrendo um terror noturno porque ela vai se sentir desorientada e provavelmente não saberá onde está.

O melhor é esperar que o terror noturno passe, sempre observando para que  a criança não caia da cama ou  que possam magoar-se . Os terrores noturnos geralmente duram alguns minutos e, em seguida, as crianças voltam a dormir em paz.

Não existe tratamento para os terrores noturnos, mas podemos tentar reduzir as atividades ou responsabilidades de nosso filho se for isso o que o estiver afetando. Talvez a criança esteja estressada ou cansada demais. Podemos também experimentar não deixar que  antes  de dormir ela assista filmes violentos nem jogue  jogos de vídeo game que possam lhe  afetar. Temos que  tentar fazer com que nosso filho não tenha nenhum problema ao dormir.

Se os terrores noturnos são repetidos com frequência, então sim devemos comentar com o pediatra, para logo conversar com algum especialista e verificar caso seja um distúrbio do sono mais complicado.