Papanicolau durante a gravidez

Como as consultas são muito regulares durante a gravidez, a realização desse exame pelo menos uma vez é um método adequado para o diagnóstico do câncer.
Papanicolau durante a gravidez

Última atualização: 25 Abril, 2021

Você já ouviu falar do exame de papanicolau? Hoje em dia ele é muito utilizado, pois é uma técnica capaz de detectar precocemente e com bastante eficácia os casos de câncer de colo do útero, uma patologia potencialmente fatal. É sobre essa condição que falaremos a seguir.

Como deve ser feito periodicamente – dependendo da idade e das características da paciente – a gravidez é o momento ideal para a coleta da amostra. Embora um resultado positivo possa mudar completamente o curso da gravidez, é necessário para evitar mais complicações no futuro.

O que é uma citologia cervical?

O esfregaço de Papanicolaou é testado em laboratório.
Essa técnica é muito comum em todo o mundo.

É uma técnica muito utilizada em ginecologia, que consiste em colher uma pequena amostra de células do colo do útero e da área ao redor. Posteriormente, um médico ou técnico especializado irá examinar as células no microscópio para determinar se são anormais.

Os defeitos encontrados incluem alterações na forma, no tamanho e na coloração, podendo levar à presença de várias patologias. O perigo mais alarmante – e a razão pela qual esse método é tão importante – é o câncer de colo do útero. Embora o exame não forneça um resultado definitivo, com seu resultado o médico poderá iniciar um plano de ação.

Para fazer a citologia, a paciente deve se deitar em posição ginecológica – deitada de barriga para cima com as pernas flexionadas e separadas – enquanto o médico insere um espéculo vaginal para visualizar o colo uterino. Em seguida, insere um cotonete ou palito de madeira esterilizados para coletar uma pequena amostra.

Em geral, o procedimento é indolor e muito rápido. Depois de coletada e fixada em uma lâmina de vidro, a amostra é enviada ao laboratório. O termo Papanicolaou refere-se apenas à coloração que a equipe técnica ou o médico aplica para visualizar as células no microscópio.

Por que fazer o exame de papanicolau na gravidez?

A fama dessa técnica é ampla, pois representa a base de muitos dos planos de saúde pública para a detecção precoce de casos de câncer de colo do útero. Talvez por medo do diagnóstico ou pelo simples fato de precisar comparecer a uma avaliação ginecológica, muitas mulheres postergam ou nunca realizam voluntariamente o estudo.

Como muitos médicos geralmente começam a fazer o exame de papanicolau por volta dos 21 anos, muitas mulheres grávidas se enquadram na faixa etária específica para fazer o teste.

A realização do exame de papanicolau na gestação responde a um fato simples: as pacientes comparecem rotineiramente à consulta, tanto para sua segurança quanto para a do bebê. Isso faz com que os médicos sugiram o estudo a qualquer momento da gravidez, pois não interfere em nada na sua evolução.

Quais resultados posso esperar?

Na grande maioria dos casos, os resultados são normais (também chamados de negativos). Caso contrário, existem diferentes graus de diferenciação celular que podem ser relatados pelo médico. Isso significa que existem várias classificações de anormalidades que variam das mais leves às mais graves.

Esse último caso costuma ser reportado como um carcinoma de células escamosas, o que sugere uma alta probabilidade de câncer uterino. Nesse caso, o médico fará outros estudos complementares para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento o mais rápido possível.

O que fazer dependendo dos resultados do exame de papanicolau?

É comum fazer o teste de Papanicolaou durante a gravidez.
O médico vai orientar a paciente em cada uma das fases desse exame.

Se os resultados forem anormais, o médico vai orientar você em todo o processo. Lembre-se de que o objetivo desse estudo é detectar precocemente a doença. Portanto, se você comparecer às consultas de rotina, é muito provável que possam ser oferecidas várias opções terapêuticas.

Caso isso aconteça durante a gravidez, é ficar preocupada tanto com a sua saúde quanto com a do bebê. Como a biópsia é necessária para a confirmação diagnóstica, a técnica que os médicos irão utilizar será realizada com extremo cuidado para evitar complicações durante o procedimento.

O tratamento, como qualquer outro tipo de câncer, depende do estágio da doença. Em casos mais leves, a quimioterapia pode ser adiada até após o parto, enquanto em casos mais graves ela deve ser iniciada de imediato.

É nesse ponto que entram em cena os dilemas éticos: esses fármacos podem salvar a vida da mãe, mas, por sua vez, aumentam o risco de defeitos congênitos.

Em países onde o aborto é legal, às vezes pode ser uma opção quando as chances de dano fetal são muito elevadas.

Um exame simples capaz de salvar vidas

Graças à sua técnica simples, ao seu baixo custo e à excelente abordagem diagnóstica, a citologia cervical com coloração de papanicolau é a técnica mais utilizada para o diagnóstico presuntivo do câncer de colo do útero.

Como mencionamos ao longo do artigo, em quase todos os países existem estratégias de saúde pública voltadas para sua aplicação periódica em mulheres com ou sem fatores de risco. Aproveitar a gravidez para realizar esse procedimento é muito benéfico tanto para a mãe quanto para o futuro bebê.

Pode interessar a você...
A maternidade após câncer de ovário
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
A maternidade após câncer de ovário

Os avanços na área de reprodução trouxeram esperança a milhares de mulheres. A maternidade ainda pode ter chancer mesmo depois do câncer de ovário.



  • Rodríguez O, et al. Estudio de la patología citológica del cérvix. Perinatol Reprod Hum 2009; 23: 12-17.