Petéquias no bebê: causas, sintomas e tratamento

As petéquias devem sempre nos alertar, pois podem ser sinal de uma doença grave. Felizmente, na maioria dos casos, suas causas são triviais.
Petéquias no bebê: causas, sintomas e tratamento

Última atualização: 20 Outubro, 2021

As petéquias nos bebês são erupções cutâneas bastante comuns, mas são um dos grandes sinais de alerta para pais e pediatras. Você quer saber do que se trata? A seguir, contamos tudo o que você precisa saber.

O que são as petéquias?

As petéquias são lesões minúsculas e bem vermelhas na pele e na mucosa. Elas se parecem com pequenos pontos vermelhos com menos de 2 milímetros de diâmetro, que não desaparecem quando é aplicada pressão sobre eles.

Resultam da ruptura dos pequenos vasos da pele e sua consequente hemorragia na derme cutânea. Eles não causam sangramento para o exterior.

Por que as petéquias aparecem no bebê?

Como mencionamos anteriormente, as petéquias são o sinal de uma lesão nos vasos da derme, chamados capilares. Estes podem estourar por múltiplas causas, mas é importante determinar o que os gera, uma vez que em alguns contextos costuma ser um sinal de alerta de doenças potencialmente graves.

Independentemente do motivo aparente, um bebê com febre e petéquias requer avaliação médica urgente.

Em geral, as doenças associadas às petéquias variam de acordo com a idade da criança. Para fins práticos, listaremos as causas mais frequentes de acordo com o tipo de patologia:

  • Infecções virais: parvovírus B19, dengue, enterovírus.
  • Infecções bacterianas: infecção meningocócica, escarlatina, endocardite infecciosa, febre maculosa das Montanhas Rochosas.
  • Congênita: infecções perinatais (toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e HIV).
  • Infecções por fungos.
  • Traumáticas: lesões de causa externa, como batidas, arranhões ou esforços prolongados, como um ataque de tosse.
  • Oncohematológicas: púrpura trombocitopênica idiopática (ITP), anemia de Fanconi, leucemia, trombocitopenia com síndrome de rádio ausente (TAR), síndrome hemolítico-urêmica (SHU) e trombocitopenia neonatal aloimune (NAIT)
  • Inflamatórias e autoimune: púrpura de Henoch-Schonlein (HSP) e lúpus eritematoso sistêmico (LES)
  • Picadas de cobra, aranha ou outros insetos.

As principais causas são patologias hematológicas. No entanto, a doença meningocócica invasiva é a causa mais temida e sempre deve ser descartada.

Criança na cama com surto de sarampo.

Como o bebê é avaliado com petéquias?

Quando petéquias são observadas no bebê, um exame físico completo e uma anamnese completa são necessários para chegar ao diagnóstico correto.

Também é importante considerar a cronologia do quadro. Ou seja, o momento do aparecimento e como foi sua evolução até o momento da consulta: se as lesões aumentaram, se outros sintomas foram acrescentados, entre outras questões.

Existem alguns sinais e sintomas que podem acompanhar as petéquias e que representam sinais de alerta. Dentre eles, destacam-se:

  • Febre.
  • Aumento da pressão arterial.
  • Palpitações ou taquicardia.
  • Mau estado geral ou letargia.
  • Palidez, olheiras ou hematomas em diferentes partes do corpo.
  • Sangramento na pele ou mucosa (gengiva, nariz ou intestino).
  • Espalhamento rápido das petéquias.
  • Perda de peso.
  • Inchaço dos gânglios linfáticos.

Antes do aparecimento de um ou mais desses sinais, é necessário fazer uma consulta médica urgente.

É importante observar que as petéquias geralmente aparecem no peito, no rosto, nos braços, nas costas, no abdômen, nas nádegas e nos pés. Além disso, são lesões que não coçam nem doem. Isso ajuda a diferenciá-las das erupções comuns causadas por alergias ou picadas.

Opções de tratamento para petéquias no bebê

O tratamento a ser realizado está relacionado à causa que as gera e ao estado geral da criança.

  • No caso das petéquias associadas a traumas (pancadas, grandes esforços ou arranhões), o comportamento mais adequado é observar a evolução. Em um cenário típico, as petéquias se resolvem sozinhas em alguns dias.
  • No caso de infecções graves, como bacterianas, o tratamento requer o início precoce de antibióticos intravenosos. Por esse motivo, os bebês costumam ficar no hospital por pelo menos 48 horas, para ter seu progresso monitorado. Se após esse período o quadro não piorar e os exames laboratoriais forem normais, a alta médica é concedida.

Diagnósticos diferenciais de petéquias

Menina com erupção cutânea devido à púrpura de Henoch-Schönlein.

As petéquias são apenas uma das possíveis manifestações de sangramento cutâneo. Outras formas de sangramento de pele incluem o seguinte:

  • Hematomas.
  • Roxos.
  • Equimoses.

O médico deve diferenciar entre esses tipos de sangramento e outras lesões de aparência semelhante, que não são causadas por lesões dos vasos dérmicos. Nesse sentido, conhecer a situação vacinal da criança é uma informação muito importante.

As petéquias no bebê e a consulta médica

As petéquias no bebê devem ser um sinal de alerta para consultar o pediatra, pois existe a possibilidade de representarem um problema grave.

Embora, em última análise, não exijam intervenção para serem resolvidas, é essencial determinar a causa das petéquias em crianças pequenas.

Pode interessar a você...
Como cuidar da pele do recém-nascido?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Como cuidar da pele do recém-nascido?

A pele do recém-nascido é delicada e sensível durante os seus primeiros dias de vida, aliás ela tem que enfrentar as novas condições externas.



  • Asociación Española de Pediatría. Infección meningocócica. [Internet] Disponible en: https://www.aeped.es/sites/default/files/documentos/meningococo.pdf
  • Edmonson MB, Riedesel EL, Williams GP, Demuri GP. Generalized petechial rashes in children during a parvovirus B19 outbreak. Pediatrics. 2010 Apr;125(4):e787-92. doi: 10.1542/peds.2009-1488. Epub 2010 Mar 1. PMID: 20194277.
  • Brogan PA, Raffles A. The management of fever and petechiae: making sense of rash decisions. Arch Dis Child. 2000 Dec;83(6):506-7. doi: 10.1136/adc.83.6.506. PMID: 11087287; PMCID: PMC1718572.
  • Lee MH, Barnett PL. Petechiae/purpura in well-appearing infants. Pediatr Emerg Care. 2012 Jun;28(6):503-5. doi: 10.1097/PEC.0b013e3182586f5f. PMID: 22653463.