O que é prurigo estrófulo?

O prurigo estrófulo é a reação da pele à picada de certos insetos. Apesar de ser um quadro leve, pode causar muito desconforto nas crianças.
O que é prurigo estrófulo?

Última atualização: 25 Agosto, 2021

O prurigo estrófulo é uma condição comum causada pela picada de um inseto. Caracteriza-se por uma intensa coceira local e, às vezes, por todo o corpo. Embora possa ocorrer em qualquer momento da vida, crianças de 2 a 7 anos com doenças atópicas têm maior probabilidade de desenvolvê-lo.

Você quer saber mais sobre essa condição? Então confira a seguir todas as informações que vamos apresentar.

O que é prurigo estrófulo?

O prurigo é uma patologia da pele que se caracteriza pelo aparecimento de lesões escoriadas, pápulas ou vesículas. Seu sintoma mais característico é a coceira e, embora possa ser desencadeada por vários motivos, as picadas de pulgas e mosquitos são a causa mais comum.

Essa doença é produzida por uma reação excessiva do corpo ao entrar em contato com um inseto que pica (percevejos, mosquitos ou pulgas). É algo semelhante ao que acontece com as alergias. Na verdade, são as substâncias contidas na saliva dos insetos (alérgenos) que despertam essa reação de hipersensibilidade.

Outra característica particular é que o prurigo ocorre na forma de surtos. Isso significa que, mesmo que o inseto pique apenas uma vez, as lesões podem aparecer e sumir várias vezes. Elas podem inclusive afetar áreas mais internas do corpo, o que dificulta o controle da condição.

Causas do prurigo estrófulo

O prurigo estrófulo não é uma doença infecciosa, mas uma reação da pele ao contato com certos insetos. Alguns dos agentes causais mais frequentes são os seguintes:

  • Pulgas (as mais frequentes).
  • Mosquitos
  • Ácaros.
  • Percevejos.
  • Certos besouros.

A frequência de aparecimento do quadro é maior no final da primavera e no verão. Embora afete todas as idades, crianças que têm entre 2 e 7 anos são especialmente vulneráveis porque tendem a ser mais expostas a insetos.

Medidas de prevenção

O Australasian College of Dermatologists recomenda algumas medidas preventivas para o prurigo estrófulo. O principal é eliminar os insetos da casa.

O uso de inseticidas de ambiente ajuda a controlar os mosquitos, mas o uso de repelentes adequados para crianças é uma medida muito mais eficaz.

Além disso, os animais de estimação devem receber tratamentos contra pulgas periodicamente, principalmente durante os meses mais quentes do ano.

Sintomas da doença

 

Prurigo estrófulo : picada no joelho

As manifestações clínicas do prurigo são variáveis e pouco específicas, o que dificulta o diagnóstico preciso dessa condição.

O prurigo estrófulo pode se apresentar de forma aguda, com lesões extensas que provocam muita coceira ou até dor. Quando as lesões são examinadas de perto, um é possível observar um conteúdo turvo dentro das vesículas que surgem sobre a pele irritada.

As lesões características do prurigo são de dois tipos: as primárias são pápulas em forma de cúpula e as secundárias adquirem uma cor mais escura e um aspecto escamoso ou escoriado.

Todas essas lesões se distribuem simetricamente em ambos os lados do corpo. Elas geralmente estão localizadas nas laterais das extremidades e nas nádegas, mas podem aparecer em outros lugares.

Conforme a criança cresce, as reações ficam menos intensas, pois o corpo se torna mais tolerante a certos alérgenos. Por essa razão, a doença não é tão comum em adultos.

Possíveis complicações

O prurigo estrófulo não representa riscos graves para a saúde das crianças. No entanto, a coceira contínua pode levar ao aparecimento de algumas infecções de pele, como foliculite, celulite ou impetigo.

Quando a reação cutânea é extremamente intensa e seus sintomas causam muito desconforto, o médico pode indicar algum tratamento farmacológico para amenizá-los.

Você pode estar interessado: O que fazer diante de uma picada de carrapato?

Diagnóstico e tratamento do prurigo estrófulo

O prurigo estrófulo é diagnosticado por meio da observação direta das lesões cutâneas. Exames, como uma biópsia de pele, raramente são necessários.

O tratamento é sintomático, ou seja, visa aliviar os sintomas e não curar. Dependendo da complexidade do quadro, as opções terapêuticas são diferentes. Mencionaremos algumas delas a seguir.

Corticosteroides tópicos

Os cremes corticosteroides tópicos são aplicados apenas nas áreas onde se observa uma lesão. Sua ação é muito eficaz na redução da inflamação local e na melhora da coceira.

São indicados desde o início dos sintomas a fim de evitar que o quadro clínico evolua para estágios mais avançados.

Anti-histamínicos

Esses medicamentos são usados para aliviar a coceira e podem ser administrados em comprimidos ou xaropes. Existem também formulações de cremes para aplicação tópica, com emolientes e agentes secantes como calamina ou o creme mentolado.

Outras opções

Nos casos mais graves, pode ser necessário o uso de corticosteroides por via oral, em ciclos curtos.

Quando a lesão se infecta por bactérias, o tratamento com antibióticos também é indicado com o objetivo de sanar a infecção.

Prurigo estrófulo : picada na bochecha

O prurigo estrófulo é mais do que apenas um problema de pele

Embora o prurigo seja uma condição leve, seus sintomas podem ser muito incômodos para a criança e até mesmo interferir em seu descanso noturno. Por esse motivo, é importante tomar todas as medidas preventivas em casa (inseticidas, redes e mosquiteiros), bem como aplicar repelentes e usar outros proteções físicas nas crianças.

Além disso, se as lesões aparecerem, é importante começar a tratar os sintomas imediatamente. Dessa forma, evitaremos o desconforto e as complicações da coceira intensa para as crianças.

Pode interessar a você...
Cuidados com a pele do recém-nascido
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Cuidados com a pele do recém-nascido

A pele do bebê é muito mais macia e delicada. Portanto, os cuidados com a pele do recém-nascido são muito importantes. Veja alguns conselhos.



  • Maridet C, Perromat M, Miquel J, et al. Childhood chronic prurigo: Interest in patch tests and delayed-reading skin prick tests to environmental allergens. J Allergy Clin Immunol. 2018 Feb;141(2):797-799.e9. doi: 10.1016/j.jaci.2017.07.049. Epub 2017 Sep 22. PMID: 28943471.
  • Demain JG. Papular urticaria and things that bite in the night. Curr Allergy Asthma Rep. 2003 Jul;3(4):291-303. doi: 10.1007/s11882-003-0089-3. PMID: 12791206.
  • Stibich AS, Schwartz RA. Papular urticaria. Cutis. 2001 Aug;68(2):89-91. PMID: 11534921.