Terapia emocional para crianças

17 Novembro, 2020
São diversas as situações que podem levar uma criança a lidar com emoções intensas que estão além de seu alcance. Nesse caso, a terapia emocional pode ajudá-la a compreender e administrar esses estados internos.

É frequente escutar os pais falando calmamente sobre seus filhos irem à fonoaudiologia ou à fisioterapia. Todos entendemos que, se houver alguma dificuldade nessas áreas, é apropriado fornecer a ajuda necessária à criança. Entretanto, ainda há algum estigma ligado à terapia emocional para crianças, mesmo sabendo que as emoções são um aspecto fundamental de seu desenvolvimento.

A desconfiança em relação à terapia emocional pode ser devida à ignorância: ainda pensamos que apenas crianças e adultos seriamente perturbados vão ao psicólogo. Também pode ser influenciado pelo sentimento de culpa que é gerado nos pais quando eles pensam que não são capazes de educar a criança adequadamente por si mesmos.

A realidade é que a psicoterapia é extremamente benéfica e necessária diante de quaisquer dificuldades experimentadas pelas crianças. Procurar um terapeuta não significa que elas tenham problemas sérios ou que os pais sejam ineptos, ou negligentes. Pelo contrário, é um ato de amor e responsabilidade. Os pais nem sempre têm todas as respostas e é muito positivo buscá-las junto a um profissional.

Quando é necessária uma terapia emocional para crianças?

Existem várias situações que podem produzir emoções intensas na criança, situações difíceis de lidar. Preste atenção aos comportamentos e atitudes dela, pois é a melhor maneira de verificar se ela está com dificuldades emocionais.

Terapia emocional para crianças

É possível que a criança tenha mudanças de humor repentinas, se sinta apática e desinteressada por atividades que costumava gostava de fazer. Ela pode ficar distraída e ter problemas de atenção na escola. Além disso, talvez esteja irritável, tenha birras incontroláveis, ou se mostre desafiadora ou retraída.

Em geral, as dificuldades na escola, em casa ou com os amigos podem esconder um problema emocional. Mas são algumas das seguintes situações que mais frequentemente causam angústia emocional nas crianças:

  • Divórcio dos pais.
  • Doenças, operações ou internações.
  • Morte de um ente querido.
  • Conflitos, problemas ou violência familiar.
  • Diferentes mudanças na vida: o nascimento de um irmão, uma mudança de casa, uma mudança de escola…

Como funciona a terapia emocional com crianças?

Primeiramente, é necessário saber que a terapia com crianças é totalmente diferente da dos adultos e que está completamente adaptada à sua idade e habilidades. A seguir, vamos apresentar alguns de seus principais elementos.

Vínculo com o terapeuta

É essencial que a criança se sinta confortável com a pessoa que vai acompanhá-la no processo. O terapeuta deve transmitir confiança e segurança e deve existir uma boa conexão entre os dois. É possível que o primeiro terapeuta que você achar consiga atender a esses requisitos, mas também pode ocorrer o contrário. Portanto, não tenha medo de mudar e busque outros profissionais até encontrar um que os faça sentir confortáveis.

Brincar

A terapia com crianças inclui elementos próprios que a tornam mais acessível para os pequenos. Tanto na fase de diagnóstico quanto na fase de tratamento, são utilizados jogos, desenhos, diferentes bonecos e brinquedos. A criança encontra-se num espaço seguro e relaxado, onde lhe é permitido expressar-se de uma forma natural e agradável.

Terapia emocional para crianças

Não pense que seu filho terá que se sentar em uma cadeira falando sobre coisas que ele não entende ou respondendo a perguntas confusas. Na verdade, é um processo com o qual as crianças muitas vezes se sentem muito confortáveis, pois todo o formato da terapia é adaptado a elas.

Inteligência emocional

O objetivo da terapia emocional é desenvolver a inteligência emocional nas crianças, uma qualidade que tem se mostrado relacionada à felicidade, à satisfação de vida, a um melhor desempenho acadêmico e a relações sociais mais satisfatórias.

Assim, através de diversos jogos e dinâmicas, a criança é ensinada a reconhecer e identificar diferentes emoções. O terapeuta sempre vai lembrar que todas elas são válidas (não há problema em estar zangada ou triste em certos momentos) e ajuda a criança a expressá-las de forma apropriada.

No final, a criança será mais capaz de compreender melhor suas próprias emoções e de onde elas vêm. Ela também terá as ferramentas necessárias para administrá-las, para que não causem sofrimento. Portanto, se você acha que seu filho pode precisar de ajuda com suas emoções, não deixe de procurar alguém que possa fornecê-la.