Tipos de vômitos em crianças: causas e tratamentos

O vômito em crianças é comum, por isso é importante diferenciar os fisiológicos daqueles que são clinicamente importantes. Confira tudo neste artigo.
Tipos de vômitos em crianças: causas e tratamentos

Última atualização: 12 julho, 2022

Existem diferentes tipos de vômitos em crianças, os quais se distinguem pelas características que apresentam. Apesar de ser um sintoma incômodo, é um dos mais frequentes na infância e é produzido como uma resposta fisiológica de defesa a estímulos de diversos tipos.

A seguir, falaremos sobre os tipos de vômitos em crianças, as causas que os produzem com mais frequência e o tratamento para aliviar essa manifestação digestiva desconfortável. Você não pode perder!

O que é o vômito?

O vômito ou êmese é a expulsão repentina do conteúdo do estômago pela boca. Em crianças, é um sintoma bastante comum, assim como a regurgitação, que é uma expulsão lenta, escassa e repetida do conteúdo gástrico.

Embora o vômito não seja o problema em si, é uma indicação de que algo não está funcionando corretamente. As suas causas são variadas e para nos situar um pouco mais sobre sua origem devemos avaliar características como cor, quantidade, frequência e sintomas que o acompanham.

Particularmente, os vômitos em bebês são raros, às vezes frequentes e costumam ocorrer após as refeições. Geralmente, não é acompanhado por sinais de doença e desaparece à medida que o sistema digestivo amadurece. Na verdade, o termo êmese é muitas vezes usado incorretamente, quando na verdade se trata de regurgitação.

Em crianças mais velhas, o vômito não é normal e cada vez que ocorre, deve-se procurar a fonte. Embora o mais comum é que se trate de distúrbios digestivos ou respiratórios (como a expulsão do muco deglutido), não devemos negligenciar outras possíveis causas: infecções, lesões intracranianas, intoxicação ou obstruções mecânicas no intestino, entre outras.

Tipos de vômito em crianças

Dependendo da natureza do vômito, podemos determinar dois tipos gerais:

  • Vômitos funcionais: são aqueles do tipo fisiológico, relacionados à imaturidade digestiva, que não são acompanhados de outros sintomas ou uma doença preexistente. Em geral, não afetam o peso ou o estado de saúde da criança.
  • Vômitos orgânicos: esse tipo inclui os vômitos relacionados à noxa (uma doença ou problema anatômico). Geralmente são acompanhados por outras manifestações típicas de cada condição, como diarreia, mal-estar ou febre. Eles devem ser identificados e tratados o mais rápido possível para evitar outras complicações em crianças, como a desidratação.

Quando o vômito é repetido, não para com as medidas habituais e vem acompanhado de outros sintomas na criança, é importante solicitar uma avaliação pediátrica para iniciar o tratamento o quanto antes.

recém-nascido vomitar leite babar saliva
Quanto mais jovem a criança, maior o risco de desidratação grave. Por isso, ao apresentar um quadro com vômitos de causa orgânica, será ideal manter o pequeno bem hidratado até que o problema seja resolvido.

Causas de vômito em crianças

Existem muitas condições que podem desencadear vômitos como parte de seu espectro de sintomas, e elas variam de uma simples indigestão a problemas cerebrais.

Para avaliar se o vômito é funcional ou orgânico, devemos primeiro analisar suas características. Um dos sinais distintivos mais importantes é a cor.

Branco

Geralmente é um vômito funcional típico de bebês que adquire essa cor devido ao leite ingerido. Um motivo é o refluxo gastroesofágico (muitas vezes fisiológico) e outro, a superalimentação.

Esverdeado ou amarelado

Esse tipo de vômito geralmente é resultado do retorno de alimentos dos intestinos. Está associado a infecções, obstruções intestinais, alergias, intoxicações alimentares ou lesões cranianas. Mesmo assim, esse vômito também pode ser resultado de condições menos graves, como resfriados, gripes ou após a ingestão de alimentos com essas tonalidades.

Vermelho

Este é outro dos vômitos aos quais devemos prestar atenção, pois são o resultado de sangramento ativo no estômago ou esôfago. Eles podem ser o resultado de irritações da mucosa, como esofagite ou gastrite, ou úlceras estomacais.

O grau de urgência vai depender da magnitude do sangramento. No entanto, sempre que aparecerem, você deve levar a criança ao pronto-socorro para que ela seja avaliada por um profissional.

Preto

O vômito preto também é resultado de sangramento gastrointestinal, superior ou inferior. A sua coloração implica que o sangue esteve em contacto com o ácido gástrico, normalmente correspondendo a uma lesão anterior ou a uma pequena quantidade.

Como o vômito é tratado?

O vômito em crianças deve ser avaliado pelo pediatra para determinar sua causa e fornecer o tratamento mais adequado para cada situação. Se forem situações esporádicas, raras e não afetarem o peso ou o estado de hidratação, não necessitam de tratamento específico. No caso de bebês pequenos, é possível fazer algumas modificações nos padrões de alimentação para melhorar esse sintoma.

No entanto, quando o vômito for secundário a uma infecção gastrointestinal, o pediatra indicará as medidas que julgar pertinentes. Antieméticos, como ondansetrona ou metoclopramida, só devem ser administrados em casos que o justifiquem. Da mesma forma, se os vômitos forem intensos e acompanhados de diarreia, será conveniente recorrer a soluções de reidratação oral para evitar a desidratação.

Feita a consulta, é importante seguir à risca as orientações do pediatra e saber que, em geral, os vômitos costumam passar em 1 ou 2 dias.

Menina com gastroenterite, uma das doenças mais comuns do sistema digestivo.
O vômito é um dos sintomas digestivos mais comuns. Embora geralmente cedam rapidamente, quando isso não acontece é necessário consultar o pediatra.

Quando consideramos o vômito como um sinal de alerta no caso das crianças?

O vômito geralmente é leve e desaparece rapidamente. No entanto, devemos estar atentos e procurar uma avaliação pediátrica urgente no caso de qualquer uma das seguintes situações:

  • Se o bebê tem menos de 3 meses e vomitou em mais de 2 mamadas.
  • Se o vômito for verde, vermelho, marrom ou enegrecido.
  • Quando a criança apresenta sinais de desidratação, como fraqueza, boca e olhos secos, sede, baixa produção de urina ou olhos encovados.
  • Se a criança vomitar com frequência e não tolerar líquidos repostos pela boca.
  • Quando o vômito é acompanhado de dor abdominal constante e intensa, que aumenta com o tempo.
  • Se o vômito ocorrer no contexto de febre, dor de cabeça, tontura ou rigidez do pescoço.

É importante manter a higiene da alimentação oferecida às crianças, promover uma alimentação balanceada e cumprir o calendário vacinal, que inclui as doses da vacina contra o rotavírus. Dessa forma, podemos prevenir muitas doenças que favorecem esse sintoma irritante.

Pode interessar a você...
O que causa os vômitos de sangue?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
O que causa os vômitos de sangue?

Cirrose, gastrite, má alimentação ou varizes esofágicas são algumas das causas dos vômitos com sangue. Descubra tudo sobre o tema aqui!