38ª semana de gravidez

Enquanto você espera para conhecer seu bebê, ele continua a se desenvolver, embora dessa vez em um ritmo mais lento. Descubra as coisas mais importantes sobre essa semana.
38ª semana de gravidez

Última atualização: 22 Maio, 2021

Você já está na reta final! Na 38ª semana de gravidez, seu bebê deve estar em excelentes condições, desde que você tenha feito os exames pré-natais regularmente.

Preparamos as linhas a seguir com alguns fatos interessantes sobre esses dias, especialmente se você for mãe pela primeira vez. Continue lendo!

Como está meu bebê na 38ª semana?

 

Mulher grávida durante a 38ª semana.

Desde a semana passada, seu bebê está a termo precoce. Isso significa que, em condições normais, ele deve estar pronto para nascer a qualquer momento. Sabemos o quanto você deve estar animada e, por isso, recomendamos aproveitar esses dias ao máximo!

Embora o aumento do peso e da altura do seu bebê esteja desacelerando aos poucos, ele já pesa 3,2 quilos e mede entre 48 e 51 centímetros. Além disso, deve estar entrando na posição final.

Se estiver em apresentação cefálica, ou seja, de cabeça para baixo, é normal. Se estiver na posição pélvica (com as nádegas para baixo) ou em posição transversal, o obstetra provavelmente planejará uma cesariana.

Nessa fase, todos os sentidos do bebê devem estar bem desenvolvidos, assim como deve existir um bom funcionamento dos sistemas ósseo, cardiovascular, hematológico, nervoso e digestivo.

No entanto, os pulmões ainda estão amadurecendo. Eles estão trabalhando na produção de surfactante, uma substância que manterá os alvéolos separados assim que o bebê começar a respirar. Da mesma forma, é importante mencionar que a queda do vérnix e a queda do lanugo continuam nessa semana.

Como posso me sentir durante a 38ª semana?

Alguns dos sintomas que você pode apresentar na 38ª semana são os seguintes:

  • Náuseas e vômitos.
  • Dor na região lombar e nas extremidades inferiores.
  • Cefaleia (dor de cabeça).
  • Nervosismo.
  • Insônia.
  • Contrações uterinas.
  • Perdas de colostro.
  • Inchaço dos tornozelos e pés (edema).
  • Coceira na barriga.

Você provavelmente já apresentou vários desses sintomas nas semanas anteriores e pode seguir o tratamento indicado pelo médico para amenizar essas sensações. Nunca recorra à automedicação, pois pode causar efeitos negativos no bebê.

Dicas e recomendações na 38ª semana de gravidez

É normal ficar ansiosa durante essa fase, afinal a chegada do bebê está cada vez mais perto. Vejamos em detalhes se você deve consultar o médico nessa data, bem como algumas recomendações que provavelmente serão úteis.

É necessário ir ao médico nesse período?

Nas últimas semanas de gravidez, é comum o médico marcar consultas semanais. Isso é feito com o objetivo de monitorar de perto a saúde do seu bebê, uma vez que ainda existem muitas complicações que podem ser evitadas com o acompanhamento adequado.

Para isso, você deve realizar todos os exames correspondentes: exame ao sangue, exames de urina e serologias para doenças infecciosas, etc., assim como nos outros trimestres.

Além das consultas, você deve procurar um serviço de emergência caso apresente as seguintes manifestações clínicas:

  • Contrações regulares e dolorosas.
  • Aparecimento de secreções pelos genitais: sangue, um fluido transparente abundante ou uma secreção gelatinosa verde-amarelada.
  • Febre (temperatura superior a 38,3° C).
  • Dor ou ardência ao urinar.
  • Diarreia.
  • Parar de sentir os movimentos do bebê.

Como diferenciar entre as contrações reais e falsas?

É muito provável que nas últimas semanas você tenha experimentado contrações breves e esporádicas no abdômen. Essas são conhecidas como contrações de Braxton Hicks e correspondem apenas ao “preparo do útero” para o momento do parto.

As contrações reais são muito diferentes. São dolorosas, muito regulares e duram de 1 a 2 minutos. Mais ou menos esse é o tempo de intervalo entre uma contração e outra.

Caso você apresente esses últimos sintomas e, além disso, tenha expulsado o tampão mucoso (aquele material gelatinoso que fica dentro do colo do útero), estará iniciando o trabalho de parto. Você deve se dirigir ao serviço médico o mais rápido possível para preparar tudo.

 

Mulher grávida no consultório da obstetra durante a 38ª semana.

Dicas para mães de primeira viagem

Se essa for a sua primeira gravidez, sabemos o quanto você pode ficar animada. Isso não acontece apenas com você, mas também com todos os seus entes queridos, que viverão intensamente com você essas últimas semanas. Para tornar esse processo mais agradável, é preferível levar em conta as seguintes recomendações:

  • Não tenha medo da dor durante o trabalho de parto. Embora seja um processo intenso, hoje em dia podem ser administrados muitos anestésicos para evitar que o trabalho de parto seja excessivamente incômodo.
  • Tente manter uma dieta leve e nutritiva.
  • O processo de dilatação do colo do útero levará várias horas. Prepare-se para passar um bom tempo esperando o seu bebê nascer!
  • É conveniente assistir às aulas de indução do parto para entender melhor o processo. Você vai aprender, por exemplo, técnicas de respiração.
  • Após o parto, tente amamentar o mais rápido possível.
  • Saia para dar um passeio. Além de reduzir o inchaço nos tornozelos e pés, essa atividade física pode ajudar a cabeça do bebê a entrar na pélvis.
  • Verifique a bolsa de maternidade para o parto. Dar uma conferida durante essa semana nunca é demais, pois você pode ter esquecido algo.
  • Para combater a insônia, você pode sentir o cheiro de lavanda antes de dormir. Você pode perfumar seu quarto com um difusor ou diluir o óleo em água e borrifá-lo com um spray.

Perguntas mais frequentes sobre a 38ª semana

A seguir, vamos esclarecer algumas das dúvidas mais comuns que podem surgir durante esses dias:

1. Já que a gravidez está acabando, posso consumir álcool?

Em nenhum momento durante a gravidez essa substância deve ser consumida. Embora o bebê já deva estar bem desenvolvido, existem algumas complicações médicas que o álcool, assim como o cigarro e as drogas, podem desencadear.

2. Posso manter relações sexuais?

Em geral, a relação sexual durante a gravidez não é contraindicada. No entanto, a estimulação excessiva do colo do útero durante a penetração pode favorecer o início do trabalho de parto. Em caso de dúvida, você pode consultar seu médico de confiança.

3. Posso ter meu bebê na 38ª semana de gravidez?

Sim, seu bebê pode chegar algumas semanas mais cedo. No entanto, como ele ainda é considerado prematuro, você deve evitar induzir o parto por conta própria. Em geral, o bebê precisa ficar um pouco mais no útero.

No entanto, o médico pode induzir o parto nessa fase se houver complicações, como pré-eclâmpsia ou diabetes gestacional. E, se você tiver gêmeos e sangrar, é provável que o trabalho de parto também comece.

Um excelente momento para refletir

Se você se encontra nessa marcante semana, é uma ótima ideia relembrar todos os momentos vividos nos últimos 9 meses. Se você teve a oportunidade de documentar várias delas por meio de textos, fotos ou vídeos, é uma boa ideia compartilhar essas lembranças com seus entes queridos e se preparar em paz para essa nova etapa de sua vida.

Pode interessar a você...
Nascimento de gêmeos: aumento exponencial na taxa de natalidade
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Nascimento de gêmeos: aumento exponencial na taxa de natalidade

Aqui você encontrará as razões para o aumento de nascimento de gêmeos de 1980 até o presente. Como será a tendência futura? Veja aqui!



  • Fleischman, A. R., Oinuma, M., & Clark, S. L. (2010). Rethinking the definition of “term pregnancy”. Obstetrics and gynecology, 116(1), 136–139. https://doi.org/10.1097/AOG.0b013e3181e24f28
  • MedlinePlus [Updated 2021 May 4]. Fetal development. Available from: https://medlineplus.gov/ency/article/002398.htm
  • Burri P. H. (1984). Fetal and postnatal development of the lung. Annual review of physiology, 46, 617–628. https://doi.org/10.1146/annurev.ph.46.030184.003153
  • Mayo Clinic [Updated 2020 Feb 27]. 3rd trimester pregnancy: What to expect. Available from: https://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/pregnancy-week-by-week/in-depth/pregnancy/art-20046767
  • Yamauchi, Y., & Yamanouchi, I. (1990). Breast-feeding frequency during the first 24 hours after birth in full-term neonates. Pediatrics, 86(2), 171–175.
  • Connolly, C. P., Conger, S. A., Montoye, A., Marshall, M. R., Schlaff, R. A., Badon, S. E., & Pivarnik, J. M. (2019). Walking for health during pregnancy: A literature review and considerations for future research. Journal of sport and health science, 8(5), 401–411. https://doi.org/10.1016/j.jshs.2018.11.004
  • Dejong, K., Olyaei, A., & Lo, J. O. (2019). Alcohol Use in Pregnancy. Clinical obstetrics and gynecology, 62(1), 142–155. https://doi.org/10.1097/GRF.0000000000000414
  • Maldonado-Durán, M., Sauceda-García, J. M., Lartigue, T. (2008). Cambios fisiológicos y emocionales durante el embarazo normal y la conducta del feto. Perinatología y reproducción humana, 22, 5–14.
  • Schapira, I. (2004). Características del desarrollo humano perinatal. Un método para la evaluación del sistema nervioso joven. Revista del Hospital Materno Infantil Ramón Sardá, 23(2), 59–69.