Vivificação: o primeiro movimento do bebê

21 de agosto de 2017

Desde que ficamos sabendo da nossa gravidez achamos que sentimos o movimento do bebê em todos os momentos. No entanto, os especialistas garantem que é a partir da 13ª semana que acontece o fenômeno da vivificação. A vivificação é o conjunto de movimentos que o feto realiza dentro da barriga da mãe.

No início não são movimentos bruscos, mas um pequeno formigamento quase imperceptível. É possível que os primeiros movimentos sejam confundidos com gases. Mas, rapidamente, as mães vão percebendo a diferença. O feto vai passar a se movimentar cada vez mais e seguir certo padrão.

Os bebês se movimentam todos os dias, mas as mães de primeira viagem demoram um pouco para perceber. Em uma segunda gravidez, é mais fácil identificar o que acontece. Quem é mãe pela primeira vez pode perceber a vivificação até a 20ª semana.

No entanto, cada gravidez é diferente, e cada mulher pode ter uma percepção particular. O intervalo de tempo no qual é possível notar os primeiros movimentos do bebê varia da 13ª até a 25ª semana de gestação.

Por que a vivificação acontece?

vivificação

O desenvolvimento do feto não para no momento da concepção. No entanto, enquanto estamos falando sobre um pequeno embrião, e não há muitos sinais de vida. É por isso que depois de um tempo se desenvolvendo, ele começa a dar sinais de estar vivo.

Assim como quando acordamos lentamente, o feto vai se espreguiçar e movimentar seus pequenos membros. Entendemos que os primeiros movimentos são delicados porque o feto ainda é um ser minúsculo cujas partes do corpo ainda não estão muito bem definidas.

Portanto, ao longo da gravidez, as ações realizadas se tornam mais nítidas, tais como chutes e socos. Da mesma forma, o feto vai ficando mais forte para bater com mais força.

Com o tempo as mães podem interagir com seus filhos na barriga, porque eles podem responder aos nossos movimentos. Talvez a posição em que estamos incomode o bebê, então ele vai se manifestar com um movimento. Em algumas situações os alimentos que consumimos deixam o bebê agitado, razão pela qual ele vai se movimentar mais.

Nossas emoções também podem estimular a atividade do bebê ou a falta dela. Alguns especialistas consideram que quando o bebê está quieto na barriga é porque está assustado, talvez a mãe esteja mais ativa. O contrário acontece quando ele se movimenta muito, é quando a mãe está mais relaxada, mais quieta.

Apesar dos motivos pelos quais ocorre a vivificação serem variados, a razão básica é que o feto está vivo e se manifesta. É completamente normal ele começar a se mexer, caso isso não ocorra pode ser uma preocupação. Mesmo assim, nem todas as gravidezes são iguais.

Depois da vivificação, com que frequência o bebê se mexe?

vivificação

Como já dissemos anteriormente, o feto se movimenta por diferentes motivos. Vamos perceber que seus movimentos se tornarão cada vez mais regulares e mais fortes. Depois de ter sentido os primeiros movimentos, talvez vamos passar a perceber outros mais.

A partir do terceiro trimestre é possível identificar um padrão, que só poderemos notar se fizermos um acompanhamento. Ele vai se movimentar todos os dias, talvez na mesma hora, ou de acordo com um estímulo particular, por exemplo, as refeições da mamãe. Nesse sentido, muitas mães garantem que seus bebês ficam mais ativos enquanto elas tentam descansar.

Todos os dias podemos notar seus movimentos de maneira regular, no entanto não é algo estável. Ou seja, eles podem se movimentar quando sentirem necessidade mesmo que isso esteja fora do padrão percebido. Da mesma forma, a partir do terceiro trimestre tudo pode mudar. O bebê está ficando maior e o útero vai ficando pequeno para o seu tamanho.

É importante realizar um acompanhamento dos seus movimentos, e prestar atenção se o sentimos todos os dias. No caso de o bebê diminuir a frequência de atividade, então talvez será preciso consultar seu médico. A ideia é que o feto se movimente umas 10 vezes em um período de duas horas. Conte os chutes e anote qualquer mudança importante.

A partir da 28ª semana, acompanhar o movimento do bebê é essencial. Isso não apenas contribui para detectar potenciais problemas, como também é um momento único. A vivificação e os outros sinais de vida do seu bebê são um privilégio para qualquer mãe. Aproveite para se conectar com ele e desfrute dessa fase com consciência.