Como identificar picadas de insetos em crianças?

Quando os dias bonitos chegam, as crianças começam a sofrer com as picadas. Mas será que conseguimos reconhecer qual inseto as picou através das marcas na pele?
Como identificar picadas de insetos em crianças?

Última atualização: 10 Novembro, 2021

As picadas de insetos em crianças são bastante comuns. Em geral, ocorrem durante os meses de verão, pois há uma maior área superficial de pele exposta.

Existem várias manifestações clínicas das picadas, desde um eritema local até reações anafiláticas graves. Por sua vez, as picadas podem atuar como vetores de diversas patologias, por isso é fundamental reconhecer o inseto que as provoca para lidar com suas consequências.

Neste artigo, explicamos como identificar as diferentes picadas de insetos em crianças.

Os sintomas mais comuns de picadas de insetos em crianças

A maioria das picadas de insetos causa um pequeno desconforto nas crianças. No entanto, algumas delas podem causar quadros mais graves e complicados.

Os sintomas ou sinais mais leves das picadas são os seguintes:

  • Prurido.

Os sinais e sintomas de uma reação grave, que deve ser tratada imediatamente, incluem alguns dos seguintes:

  • Febre.
  • Dificuldade para respirar.
  • Náusea e vômitos.
  • Aceleração dos batimentos cardíacos (taquicardia).
  • Edema de glote e lábios.
  • Espasmos musculares.

A maioria das picadas de insetos em crianças se cura por conta própria após vários dias de leve desconforto.

Criança levando picada de mosquito.

As picadas de insetos mais frequentes em crianças

Os insetos podem picar a criança em qualquer parte do corpo, mas o mais comum é que o façam nas áreas de pele exposta. Além disso, algumas demoram muito mais para desaparecer do que outras, por isso o desconforto de cada uma é variável.

Por isso, é fundamental conhecer algumas características particulares das lesões causadas por diferentes insetos. Anote!

Picadas de formiga

As formigas-lava-pés são insetos bastante agressivos, pois quando picam geram reações muito dolorosas. Seu veneno é capaz de causar intensa inflamação local e, em alguns casos, desencadeia uma reação anafilática.

Em geral, essas picadas ocorrem nos membros inferiores das crianças. A reação imediata ao contato com o veneno é uma sensação de queimação intensa, que desaparece após alguns minutos.

Depois de um tempo, surge uma erupção na pele, com pápulas e vergões muito incômodos. Eventualmente, as vesículas se desenvolvem, dando origem a pústulas estéreis.

Picadas de mosquito

As picadas de mosquito geralmente causam trauma mínimo, e a criança não costuma sentir quando elas ocorrem. No entanto, o sintoma mais comum é o prurido (a coceira) e o aparecimento de erupções urticariformes na pele.

Essas erupções são saliências pequenas, redondas e inchadas e é comum encontrar várias agrupadas na mesma área.

As opções de tratamento para picadas de mosquito são sintomáticas e incluem corticosteroides tópicos, aplicação de gelo local e uso de anti-histamínicos sistêmicos.

Picadas de pulga

Na maioria dos casos, as picadas de pulgas se apresentam como pápulas eritematosas com centro hemorrágico. Além disso, podem se manifestar por meio de urticária, bolhas ou vesículas, conforme descrito em uma revisão publicada na revista Pediatrics Annals.

As picadas de pulgas geralmente são encontradas em grupos e na parte inferior das pernas ou pés. A coceira pode ser intensa e o ato de coçar tende a desenvolver escoriações na pele, o que pode levar a uma infecção bacteriana secundária.

Portanto, o objetivo principal no tratamento das picadas de pulgas é controlar o prurido intenso com corticosteroides, loções tópicas de calamina e anti-histamínicos sistêmicos.



Picadas de carrapato

As picadas de carrapatos em crianças geralmente são indolores e podem se manifestar com uma grande variedade de erupções cutâneas. Isso complica muito o diagnóstico diferencial com outros tipos de picadas.

Em geral, uma pápula eritematosa com eritema circundante é observada, embora também possa causar lesões urticariformes pruriginosas.

Em algumas ocasiões, o carrapato também pode ser observado aderido à pele da criança, sendo necessária sua remoção de forma suave e delicada utilizando uma pinça.

Quando as picadas são simples e descomplicadas, são indicados apenas cuidados de rotina, como o uso de cremes corticosteroides e anti-histamínicos sistêmicos. Em caso de infecção secundária, podem ser adicionados antibióticos.

Picadas de vespa ou abelha

As picadas de abelha podem causar dor aguda temporária, calor, eritema, inchaço e coceira na área da picada.

Um fato importante é que, quando a abelha pica, ela libera seu ferrão na pele e morre. Isso a diferencia da picada das vespas, que não perdem o ferrão e podem picar mais de uma vez antes de morrer.

As reações alérgicas leves podem causar aumento do inchaço no local ou vermelhidão extrema. E de acordo com um artigo no Journal of Paediatrics and Child Health, as reações alérgicas graves incluem as seguintes manifestações:

  • Urticária.
  • Coceira intensa.
  • Pele pálida.
  • Edema da glote e da língua.
  • Dificuldade para respirar.
  • Aceleração do pulso.

Os casos leves são tratados com compressas frias, anti-inflamatórios e cremes de corticosteroide ou calamina para reduzir o inchaço e a dor.

Uma vespa picando pele.



Picadas de insetos em crianças e sua evolução

Em geral, as picadas de insetos em crianças causam inchaço e dor, o que proporciona um ponto de entrada para que as bactérias desenvolvam uma infecção secundária.

A resposta alérgica mais importante às picadas dos insetos é o desenvolvimento de anafilaxia, que pode ser fatal e deve ser tratada urgentemente com epinefrina. Por esse motivo, é importante conhecer o histórico de alergia da criança a diversos animais e insetos.

Pode interessar a você...
Como as picadas de insetos afetam as crianças?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Como as picadas de insetos afetam as crianças?

É importante que os pais saibam como prevenir picadas de insetos em crianças pequenas, pois isso poderá ser prejudicial à saúde do pequeno.



  • Kamath S, Kenner-Bell B. Infestations, Bites, and Insect Repellents. Pediatr Ann. 2020 Mar 1;49(3):e124-e131. doi: 10.3928/19382359-20200214-01. PMID: 32155278.
  • Quercia O, Incorvaia C, Marseglia GL, Puccinelli P, Dell’albani I, Emiliani F, Frati F, Stefanini GF. Prevalence and incidence of reactions to insect stings in children: a reappraisal. Minerva Pediatr. 2014 Aug;66(4):257-60. PMID: 25198560.
  • Tan JW, Campbell DE. Insect allergy in children. J Paediatr Child Health. 2013 Sep;49(9):E381-7. doi: 10.1111/jpc.12178. Epub 2013 Apr 16. PMID: 23586469.
  • Kruse B, Anderson J, Simon LV. Fire Ant Bites. 2021 Aug 11. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2021 Jan–. PMID: 29261949.